A CRÓNICA – NENHUM GOLO PARA “AQUECER”

Num encontro entre duas equipas que ocupam lugares confortáveis na metade de cima da tabela da Segunda Liga, o Académico de Viseu e o GD Chaves empatarem sem golos, num jogo onde as oportunidades foram praticamente inexistentes. Apesar do tempo de posse de bola ter sido favorável aos flavienses, foram os homens de Viseu que criaram mais perigo junto da baliza adversária, sobretudo através da ala esquerda, onde Jorge Miguel e Jean Patric protagonizaram diversas combinações. Do lado do Chaves, Benny foi se destacando pelas várias vezes em que tentou alvejar a baliza de Janota, mas nenhuma delas assustou o guarda-redes beirão. Também João Correia, jovem extremo (esta tarde adaptado a lateral direito) emprestado pelo Vitória SC, foi estando em grande plano, mostrando-se muito disponível e utilizando a sua velocidade para atacar o flanco direito e ganhar espaço nas costas da defesa beirã. No entanto, nenhuma equipa conseguiu desfazer o nulo, e numa tarde fria em Viseu, assistiu-se a um jogo mais frio ainda.

 

A FIGURA

Fonte: GD Chaves

João Correia – Numa exibição apagada de quase todos os intervenientes, o jovem jogador destacou-se pela sua capacidade técnica e pela determinação com que atacou cada bola que lhe era disponibilizada. Um talento a ter em conta para o futuro.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: Bola na Rede

Segunda parte – A primeira parte já havia sido de fraca qualidade, mas ainda existiram nela algumas oportunidades. Já na segunda, nada se passou de relevante, sendo que só nos descontos é que houve uma oportunidade de golo, para o lado dos flavienses.

 

ANÁLISE TÁTICA – ACADÉMICO DE VISEU FC

Com Jean Patric e Luisinho muito interventivos nos dois extremos do terreno, a função de pautar o jogo ofensivo do 4-3-3 viseense esteve hoje entregue a Fernando Ferreira (ocupou a posição que habitualmente pertence a Latyr Fall). A defender, Mathaus voltou a estar em muito bom plano, sendo o “bombeiro de serviço” em alguns casos onde o meio-campo academista vacilou e entregou a bola ao adversário.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ricardo Janota (6)

Tiago Almeida (5)

Pica (6)

Mathaus (6)

Jorge Miguel (6)

Diogo Santos (6)

Zimbabwe (6)

Fernando Ferreira (5)

Luisinho (6)

Jean Patric (6)

Anthony Carter (6)

SUBS UTILIZADOS

Latyr Fall (6)

João Mário (6)

Bruninho (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – GD CHAVES

Dispostos num 4-3-3 na ficha de jogo, foi assim que a turma flaviense foi tentando travar as ofensivas do Académico, tendo Jefferson sido o principal ajudante dos quatro homens mais recuados. A atacar, o mesmo Jefferson alinhava-se com os dois centrais e a equipa formava um 3-5-2, com João Correia (pela direita) e José Gomes (pela esquerda) a serem constantemente chamados a jogos, nas laterais do terreno.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ricardo Nunes (6)

João Correia (6)

Hugo Basto (6)

Kevin Medina (5)

José Gomes (6)

Jefferson Santos (6)

Raphael Guzzo (6)

Bernardo Martins (5)

Platiny (5)

Benny (6)

André Luís (5)

SUBS UTILIZADOS

Wagner (5)

João Teixeira (6)

Fatai (6)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

GD Chaves

BnR – Dada a falta de concretização da equipa, que já abordou, considera ir ao mercado de transferências para reforçar o ataque?

César Peixoto – Temos o André e o Platiny, que são dois jogadores de muita qualidade, portanto penso que não será por aí. As coisas não saíram bem  hoje, mas no futuro começarão a sair, portanto o ataque ao mercado não deverá ser uma realidade.

Académico de Viseu FC

BnR – A falta de eficácia mantém-se uma constante, como pensa resolver essa lacuna?

Rui Borges – É continuar a trabalhar. Só tenho que dar os parabéns à equipa, pois tivemos um jogo há 48 horas que foi muito desgastante, tanto física como mentalmente. Quanto ao ataque, não venho para aqui queixar-me, vamos trabalhar com aquilo que temos.

Foto de Capa: Bola na Rede

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários