Anterior1 de 3Próximo

A jornada 11, disputada no dia 11 do 11.º mês, dia de São Martinho, levou a equipa de Santo Tirso a Ponte de Lima para defrontar a Associação Desportiva “Os Limianos”. José Carlos Fernandes, o treinador da casa, repetiu o onze inicial que tinha levado a equipa novamente às vitórias na jornada anterior. O mesmo fez Agostinho Bento, o treinador visitante, depois do nulo contra o GD Chaves Satélite.

Apesar da vitória, a equipa minhota ainda persegue todos os pontos possíveis, enquanto os tirsenses, segundos classificados à entrada para esta jornada, procuravam não ceder espaço na luta pelos lugares cimeiros. O jogo acabou por se revelar, contra as expetativas, dividido em termos de oportunidades e posse de bola. Prova disso é o igual número de aproximações perigosas à baliza contrária de ambas as equipas.

A AD Limianos entrou melhor e, logo aos seis minutos, faltou apenas a emenda ao segundo poste para dar o melhor seguimento ao cruzamento perfeito de Alvinho, que percorreu toda a área e saiu pela lateral oposta. Na resposta, George tentou acordar a sua equipa e rematou forte de longe, mas bem ao lado.

Aos 20 minutos, surgiu a melhor oportunidade da primeira parte- e talvez de toda a partida- para os visitantes, com George novamente na conclusão da jogada. Isolado, com a defesa bem longe, plantada a pedir fora de jogo, e com apenas Bruno pela frente, o extremo rematou bem por cima da barra, para desânimo dos numerosos adeptos que viajaram de Santo Tirso. Na resposta, três minutos depois, Cláudio Dantas desfez a pressão de Chiquinho e rematou forte de longe, ligeiramente ao lado.

Antes do intervalo, mais um lance de perigo para cada lado. Aos 28 minutos, o passe de Luan foi travado por um dos muitos lençóis de água que manchavam o relvado e Chiquinho, embora rápido no aproveitamento, não foi eficaz na conclusão e rematou por cima. Já depois da meia hora de jogo, Luan e Micka combinaram numa troca de passes curtos que terminou com o brasileiro a respeitar o movimento de rotura de Cláudio Dantas. Desta vez, o passe saiu com demasiada força e forçou uma dividida entre o camisola 77 limiano e o guardião Bruno Pinto, que levou a melhor.

As bolas paradas foram a melhor forma de criar perigo, mas não desfizeram o nulo
Fonte: Diogo Gonçalves / Bola na Rede

A segunda parte iniciou com os mesmos 22 atletas, mas trouxe um AR São Martinho mais decidido e prático na chegada à área adversária. Aos 53 minutos, quase inauguraram o marcador de canto direto e, aos 56, só a rápida recuperação de Cláudio Borges conseguiu atrapalhar a tomada de decisão de George. Pressionado, o extremo rematou para defesa apertada de Bruno Santos e na recarga a bola saiu muito por cima. Apenas três minutos depois, João Carneiro bateu um livre lateral na perfeição, mas a emenda chegou tarde e a bola rasou o poste esquerdo. Em seis minutos, os visitantes podiam ter marcado por três vezes e isso levou à primeira alteração dos da casa, que fizeram entrar Nandinho, um extremo “fresco” e com maiores aptidões para ajudar defensivamente.

O jogo passou a ser mais dividido, mas foi novamente a equipa de São Martinho do Campo a estar perto do golo. Aos 66 minutos, novamente na sequência de uma bola parada lateral, um duplo cabeceamento levou a bola a rasar o poste direito da baliza caseira, para desespero dos adeptos forasteiros. Com a entrada de Rui Magalhães, o meio campo limiano passou a tapar melhor os espaços e a condicionar a construção adversária, além da qualidade que ganhou na saída para o ataque. Foi assim, sem surpresa, que a equipa da casa passou a ter o jogo do seu lado nos minutos finais.

Aos 83 minutos, foi Rui Magalhães a recuperar a posse e, aproveitando a defesa contrária demasiado subida, serviu Nandinho que errou o alvo por pouco. Três minutos depois, e de bola parada, os da casa podiam ter chegado ao ambicionado golo através de um remate inesperado de Luan, quando se esperava um cruzamento. Na última jogada do encontro, Magalhães tabelou com Alvinho e acabou por ficar em posição de remate, que a defesa contrária prontamente bloqueou.

Numa tarde tão cinzenta como a partida, a divisão de pontos acabou por se justificar, uma vez que o domínio do jogo não foi evidente por parte de alguma equipa. O relvado pesado na primeira parte, que prejudicou a criatividade, deu lugar a um piso rápido na segunda, mas o resultado permaneceu inalterado desde o apito inicial de Carlos Macedo.

A AD Limianos soma novo ponto importante antes da visita à AD Fafe, enquanto a AR São Martinho cede dois pontos na luta pela subida antes da receção ao Vilaverdense FC.

 

Onzes iniciais:

AD Limianos: Bruno Santos; Alvinho, Cláudio Borges, Touré e Jojó; Micka, Luan Sérgio e Wanderley (Rui Magalhães, 76’); Cláudio Dantas (Nandinho, 66’), Iano e Elivelton (Mailó, 72’).

AR São Martinho: Bruno Pinto; Pedro Rodrigues, Manuel Pedro, Tiago Valente e Chiquinho; Babu, João Carneiro (Danilo Castro, 82’) e João Abreu (Olatunji, 74’); George, Vasco Costa e Matheus (Sam Diallo, 63’).

Anterior1 de 3Próximo

Comentários