Anterior1 de 3Próximo

O confortável sexto classificado, o SC Mirandela, visitou este domingo os minhotos da AD Limianos que precisam de pontos como de oxigénio. Os visitantes nunca chegarama  ser superiores e nunca provaram em campo o fosso pontual que os separam na classificação.

Com uma defesa a cinco, projetando imenso os laterais, o SC Mirandela procurava materializar cedo as oportunidades que conseguisse criar e resolver desde cedo a partida. A verdade é que encontrou um adversário agerrido na hora de disputar a bola, algo que pouco se via até hoje, e não conseguiu criar qualquer oportunidade de golo. A primeira parte limitou-se aos duelos no meio campo e as poucas aproximações às áreas raramente terminaram em remate.

A primeira e única oportunidade do primeiro tempo foi para os homens da casa, já em cima do intervalo, e com uma melhor definição podia ter resultado em golo. Nogueira recebeu a bola de Cláudio Dantas e solicitou o jogo aéreo de Mailó. Nas alturas, o avançado limiano amorteceu para Luan Sérgio que rematou com força, para grande defesa de Pedro Fernandes.

Para reverter os acontecimentos da primeira parte, ou a falta deles, esperava-se uma etapa complementar mais mexida, o que se verificou logo de início. À passagem do minuto 58, Zé Pimenta descobriu Alvinho na lateral contrária com um passe longo e teleguiado. O brasileiro dominou com qualidade e enfrentou João Loureiro, esperou a passagem de Luan e tocou de calcanhar. O médio limiano rematou de primeira e obrigou Pedro a uma defesa apertada.

A partida nunca conheceu superioridade de nenhuma equipa e venceu aquela que mais rematou
Fonte: Diogo Pires Gonçalves/Bola na Rede

Seria um aviso para o que acabaria por acontecer dois minutos depois. Borges saiu a jogar com tranquilidade e, mais uma vez, com recurso ao passe longo, descobriu Iano, recém-entrado na direita. O guineense aguentou a carga, recolheu a bola e cruzou de trivela para Chiquinho que apareceu ao segundo poste a inaugurar o marcador. O arranque da segunda parte foi feliz para os da casa e castigou os visitantes que continuavam sem acertar agulhas no ataque.

Quem aproveitou a falta de produtividade dos forasteiros foi novamente a AD Limianos, que voltava a marcar aos 73 minutos. Chiquinho penteou um passe longo para Mailó, mas Gilberto ganhou a frente ao avançado. No entanto, sem desistir, o cabo-verdiano discutiu e recuperou a posso, enfrentou Pedro Fernandes, fintou-o e atirou de pé esquerdo para o segundo dos visitados. O resultado parecia fechado e tudo resultou na entrada inspirada de Iano e na persistência de Mailó, no espaço de 15 minutos.

Ainda mais atrás no resultado, o SC Mirandela via a oportunidade de pontuar cada vez mais longe e o golo de Mailó deixava tudo mais difícil, numa altura em que a defesa já atuava a quatro e o ataque se via mais reforçado. No entanto, eram novamente os anfitriões que mais perigo criava. Aos 75’, Micka recebeu na direita e deixou a condução do lance para Iano, que contemporizou, preparou com espaço e atirou forte à barra.

Só de bola parada é que o perigo rondava a baliza de Carlos Fernandes, sem nunca obrigar o experiente guardião a trabalhos esforçados. A dez minutos do fim da partida, um cruzamento largo ainda assustou, mas passou por cima da trave. A tarde foi de desinspiração total para os comandados de Luís Pinto, enquanto que a vitória premiou o esforço e clarividência dos da casa, pondo termo a uma série negativa de três jogos sem pontuar.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

AD Limianos: Carlos Fernandes; Cláudio Dantas, Digas (Iano, 58’), Cláudio Borges e Alvinho; Zé Pimenta, Micka e João Nogueira (Rui Magalhães, 78’); Chiquinho, Mailó (Balotelli, 82’) e Luan Sérgio.

SC Mirandela: Pedro Fernandes; Manecas (Gilberto, 70‘), Zaidu, Nuno Corunha, João Loureiro e Carlos Ponte (Renato Reis, 63’); Alex Porto, Tissone (Amorim, 78’) e Clayton; Adílio Varela e Tiago Borges.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários