O futebol português foi abalado com uma notícia, na passada semana, que poderá ter passado despercebida aos adeptos portugueses. Tudo por causa das constantes notícias de casos de corrupção e de violência nos três grandes, que claramente abafam este tipo de notícias, igualmente graves, e porventura com mais ilações a retirar. Falo claro, da forte hipótese de a equipa de futebol profissional do Belenenses, ter de jogar noutro estádio na próxima temporada desportiva, que não no seu tradicional Estádio do Restelo.

O Estádio do Restelo pela já sua avançada idade, 61 anos, e pelo número de jogos da Primeira Liga, ali protagonizados, ganhou o estatuto de estádio mítico do nosso futebol, e só o facto da sua ausência do futebol português ao mais alto nível é de lamentar. Este é mais um episódio da já longa disputa entre a administração da SAD e do Clube, desta vez as coisas prometem tornar-se bastante sérias. O Belenenses é um campeão nacional, merece todo o meu respeito, mas sejamos honestos, ainda que o clube esteja situado na capital portuguesa, que margem de progressão tem o clube quando todo o mercado potencial é absorvido pelo Benfica e Sporting?

As assistências no Restelo são fracas para um estádio que está numa cidade enorme, a massa adepta do Belenenses tem vindo a cair claramente com o passar dos anos, o que ganham, clube e SAD, em continuar esta disputa? A meu ver, nada. Um clube que cada vez está mais pequeno em massa adepta vai ficar dividido, e caso a equipa profissional do Belenenses se mude efetivamente para o Estádio do Jamor, ou outro qualquer, as assistências serão piores ainda.

O estádio do Jamor é a mais forte possibilidade de substituir o Restelo como a casa do Belenenses
Fonte: FPF

Não posso propriamente ajudar o Belenenses a capitalizar o seu número de adeptos, não descobri ainda essa poção mágica, mas de uma coisa tenho a certeza, esta guerra entre Clube e SAD em nada contribui para o seu crescimento, diria que contribui invés disso para a sua regressão. Ainda assim, poderemos retirar daqui algumas ilações para o futuro, e nomeadamente para os restantes clubes portugueses de pequena-média dimensão, sobre os perigos que advêm da separação da administração da SAD e do Clube. Entendo perfeitamente o porquê de este tipo de negócios acontecerem, o poderio financeiro dos três grandes e a falta de patrocinadores, sufoca cada vez mais os clubes pequenos que na necessidade de arranjar maior financiamento acabam por vender a maioria da SAD. Neste caso específico o Clube de Futebol “Os Belenenses” vendeu a maioria da SAD ao empresário português Rui Pedro Soares. E a verdade é que esta venda recuperou financeiramente e desportivamente um clube que andava um pouco à deriva, mas o presidente do clube, Patrick Morais de Carvalho, não se mostra nada conformado com o facto de o clube já não ter uma palavra a dizer sobre a equipa de futebol profissional e tem travado uma dura batalha com o administrador da SAD, Rui Pedro Soares.

Será a claque azul obrigada, em breve, a abandonar “o seu Restelo”?
Fonte: CF “Os Belenenses”

A verdade é que a SAD possuí o direito de gestão da equipa de futebol profissional, mas os ativos usados pela equipa de futebol profissional, para treinar e jogar, pertencem ao Clube, exige-se por isso uma boa relação mútua entre ambas administrações para o bem da instituição Belenenses, o que não tem acontecido. Já tivemos outros exemplos no nosso futebol de empresários a possuírem a maioria da SAD que acabaram muito mal. Desde logo o exemplo do SC Beira-Mar, que teve o iraniano Majid Pishyar como proprietário de 85% das ações da SAD e o clube acabaria por ter que ser “reinventado” passado uns anos.

Pede-se, por isso, prudência aos clubes portugueses olhando para estes exemplos recentes. O clube perder a maioria da SAD significa que o clube, e por consequência os sócios, deixam de ter uma palavra importante a dizer sobre a administração da equipa de futebol profissional.

Desejo sinceramente que a SAD do Belenenses e o Clube possam finalmente chegar a um entendimento e que trabalhem juntos em prol do clube. Fazer com que a equipa profissional se mude para um outro estádio que não o Restelo é mais um passo gigante na regressão do clube e se o Clube optar por começar uma equipa de futebol nas distritais, como já tem vindo a ser ameaçado, pior ainda.  O Belenenses é uma equipa gigante a nível histórico no contexto português, mas o seu tamanho popular neste momento não permite este tipo de loucuras, seria matar o clube.

Foto de Capa: Belenenses SAD

Comentários