Anterior1 de 3Próximo

O poderoso Arsenal FC frente a um Vitória SC, não muito habituado a estes palcos, defrontavam-se em Londres em pleno Emirates. À partida para este jogo, os ingleses comandavam o grupo com duas vitórias e os portugueses ainda não somavam qualquer ponto. Com um registo bastante favorável nas receções a equipas portuguesas, o Arsenal FC procurava manter o registo e, à partida, tinha um adversário bastante apetecível pela frente.

A verdade é que se viu um grande começo para a equipa portuguesa. Aos 3′ surge a primeira oportunidade do jogo com André Almeida a aproveitar um cruzamento da direita e a rodar sobre Holding para disparar fraco para defesa de Martinez. Estava dado o primeiro aviso e passados cinco minutos deu-se o primeiro golpe na partida. Foi um inglês a marcar, mas não foi para a equipa da casa. Uma boa transição do Vitória SC permitiu a Victor Garcia surgir na linha de fundo e cruzar rasteiro e atrasado para Edwards que, dentro da área, tira dois adversários do caminho e remata para o fundo da baliza.

Nos primeiros 10′ assistiu-se a um jogo repartido com o Vitória SC a conseguir ter bola e a criar mais perigo junto da área adversária, compensado por um golo. Aos 13′, o conjunto vimaranense aproveita um passe mal efetuado a meio campo para sair em transição e colocar mais uma vez em cheque a defesa gunner. Estavam melhores os portugueses.

A partir daqui, os ingleses tentaram controlar a partida e conseguiram chegar com maior perigo à área vitoriana, embora a exibição não fosse a mais desejada, com vários passes errados à mistura. Finalmente, aos 31′ obtiveram o seu tento a partir de Martinelli que, sem oposição, corresponde a um cruzamento da esquerda para cabecear para a baliza deserta, já que Miguel Silva ficou a meio do caminho.

Anúncio Publicitário

Contudo, o Vitória SC mantinha o bom registo e atrevimento e pouco depois era premiado com o segundo golo através de Bruno Duarte, que aproveitava um remate ao poste de Davidson e na recarga colocava de novo os portugueses na frente. Perto do intervalo, sem surpresa nenhuma, quase fazia o terceiro. A primeira parte chegava ao fim com um jogo bastante interessante por parte dos vitorianos que estavam a conquistar Londres.

Os vitorianos realizaram uma grande partida, embora tenham saído derrotados
Fonte: Vitória SC

O segundo tempo começava por trazer duas mexidas nos gunners, sinal de que Unay Emery não estava satisfeito com o que via da sua equipa. Guendouzi e Dani Ceballos substituíam ao intervalo Maitland-Niles e Joe Willock respetivamente, com a intenção de trazer uma maior agressividade e capacidade de transporte.

Os primeiros sinais de destaque foram duas oportunidades para os ingleses e, pelo meio, mais duas para o lado contrário. O jogo tornou-se também mais faltoso e os vitorianos tentavam controlar o natural crescimento dos da casa, mantendo, contudo, a sua identidade. Identidade essa que lhes permitia, ainda assim, chegar à área forasteira com algum perigo. O jogo foi-se mantendo num ritmo médio-alto, mas notava-se uma maior pressão dos londrinos e uma maior capacidade de resposta, com as alterações ao intervalo a surtirem efeito.

Porém, a cartada mais decisiva do encontro registou-se a quinze minutos do fim, quando Pépé entrou para o lugar do desinspirado Lacazette e, cinco minutos depois através de um livre descaído da direita, estabelece uma vez mais a igualdade. Neste momento a confiança crescia para o lado dos gunners e adivinhavam-se minutos finais de sofrimento para os vitorianos.

Já perto do final, uma nova falta perto da área levava as mãos à cabeça dos cerca de 2500 adeptos vitorianos presentes em Inglaterra. E tinham razão, pois o suspeito do golo anterior voltou a faturar – novamente de livre – e colocava pela primeira vez o Arsenal FC em vantagem no marcador. Com a diferença que o jogo acabaria logo a seguir, sem haver possibilidade de resposta.

Pode-se dizer que este foi um resultado bastante penalizador para o Vitória SC, que fez por merecer um resultado melhor. A equipa fez um jogo bastante positivo, com uma grande alma e quase saía de Londres com um resultado histórico. Esteve perto e sai com uma imagem valorizada. As contas do grupo ficam assim mais complicadas para os portugueses que continuam sem somar pontos, ficando a faltar três jornadas para o fim da fase de grupos.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

Arsenal FC – Emiliano Martinez (GR), Héctor Bellerín, Rob Holding, Shkodran Mustafi, Kieran Tierney, Maitland-Niles (Guendouzi, int.), Lucas Torreira, Joe Willock (Dani Ceballos, int.), Emile Smith-Rowe, Alexandre Lacazette (Pépé, 75’) e Gabriel Martinelli

Vitória SC – Miguel Silva (GR), Victor Garcia, Frederico Venâncio, Edmond Tapsoba, Florent Hanin, Mikel Agu, Denis Poha, André Almeida (Pêpê, 64’), Davidson (Rochinha, 86’), Marcus Edwards (André Pereira, 70’) e Bruno Duarte

Anterior1 de 3Próximo

Comentários