A CRÓNICA: ATITUDE É SINÓNIMO DE VITÓRIA(S)

O SC Braga goleou esta noite o Belenenses por uns expressivos 7-1, na estreia de Rúben Amorim no comando técnico dos bracarenses. O treinador de 34 anos explicou na antevisão da partida que tinha pedido atitude e vitórias aos seus jogadores, algo que estes não demoraram a conseguir. Os Guerreiros do Minho rubricaram uma exibição dominadora no Estádio Nacional, pressionando com muita intensidade e obrigando o Belenenses a cometer muitos erros na sua primeira fase de construção. Os minhotos foram bastante eficazes no aproveitamento dos erros do adversário e aos 22’ já venciam por três golos sem resposta, com um bis de Ricardo Horta e um golo de Trincão, jogador que cresce a olhos vistos e assinou mais uma exibição repleta de classe. O Belenenses SAD ainda reduziu por Varela, mas Palhinha fez o quarto para os visitantes ainda antes do intervalo. No segundo tempo, os bracarenses voltaram a dominar o jogo e marcaram por Paulinho e Rui Fonte (bis). Com esta vitória, o SC Braga soma 21 pontos e sobe ao sexto lugar à condição. O Belenenses SAD terminou o ciclo de três jogos sem perder em casa e mantém-se na 15. ª posição.

A FIGURA

Fonte: UEFA Europa League

Ricardo Horta – Foi o exemplo da atitude e determinação que Rúben Amorim tinha pedido na antevisão do jogo. Marcou dois golos, fez uma assistência e entregou-se sempre ao jogo com o verdadeiro espírito dos Guerreiros do Minho. Cada vez mais justifica a chamada à seleção nacional.

O FORA DE JOGO

Fonte: Liga Portugal

Robinho – Entrou ao intervalo para tentar mexer com o jogo e ajudar o Belenenses a reagir à desvantagem mas acabou expulso ao fim de 20 minutos, sendo admoestado com o segundo amarelo e consequente ordem de expulsão por palavras dirigidas a Tiago Martins.

ANÁLISE TÁTICA – BELENENSES SAD

Pedro Ribeiro apresentou a sua equipa para este jogo em 4-3-3, com a suspensão de André Sousa a obrigar o técnico dos azuis a fazer alterações face ao último onze apresentado no jogo frente ao Moreirense. Gonçalo Silva recuperou a titularidade e surgiu como defesa direito, com Tiago Esgaio a aparecer na linha média ao lado de André Santos e Show. O ataque do Belenenses SAD ficou entregue a Licá, Varela e Cassierra. A equipa de Pedro Ribeiro iniciou a construção de jogo com uma linha de três, subindo o lateral Chima para dar largura e aumentar as linhas de passe disponíveis mas o Belenenses não conseguiu soltar-se da pressão do Braga, o que deu origem a muitas perdas de posse no seu próprio meio-campo defensivo. Quando a equipa sofreu o terceiro golo, Pedro Ribeiro juntou Licá a Cassierra e o Belenenses passou a jogar em 4-4-2, mas a equipa não conseguiu contrariar o domínio do adversário.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Koffi (3)

Gonçalo Silva (3)

Nuno Coelho (4)

Tomás Ribeiro (4)

Chima (2)

Tiago Esgaio (4)

André Santos (4)

Show (4)

Varela (6)

Licá (3)

Cassierra (4)

SUBS UTILIZADOS

Robinho (1)

Hakim (2)

Matias (2)

ANÁLISE TÁTICA – SC BRAGA

O primeiro onze de Rúben Amorim ao comando dos Guerreiros do Minho foi escalado num 3-4-3, com duas novidades na linha defensiva em relação ao último jogo dos minhotos. Raúl Silva voltou às escolhas da equipa principal, após quase dez meses de ausência devido a lesão grave no joelho, e Tormena surgiu como a primeira grande surpresa de Rúben Amorim, ele que até aqui pouco tinha sido utilizado. Na linha intermédia, Esgaio e Sequeira apareceram a dar mais largura ao jogo dos bracarenses, com Palhinha e Fransérgio a serem as unidades encarregues de povoar o miolo. Na frente de ataque, os extremos Trincão e Ricardo Horta surgiram no apoio a Paulinho. Os bracarenses pressionaram alto e com intensidade, obrigando o Belenenses a errar na primeira fase de construção. A equipa de Rúben Amorim aproveitou esses erros para ganhar as segundas bolas e criar perigo logo a partir do seu meio-campo ofensivo. No momento defensivo, o SC Braga passava a 5-3-2, com Esgaio e Sequeira a descerem e juntarem-se à linha da defesa, ficando Paulinho e Trincão como unidades mais adiantadas.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Matheus (7)

Tormena (7)

Raul Silva (8)

Bruno Viana (7)

Sequeira (7)

Ricardo Esgaio (8)

Palhinha (8)

Fransérgio (7)

Trincão (8)

Ricardo Horta (9)

Paulinho (8)

SUBS UTILIZADOS

Xadas (6)

Rui Fonte (8)

Wilson Eduardo (-)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Belenenses SAD

BnR: Pedro, o Belenenses é o terceiro pior ataque do campeonato e hoje a equipa voltou a demonstrar dificuldades, tanto na criação como na concretização das oportunidades. Está satisfeito com as opções que tem no plantel ou sente que o clube precisa de se reforçar neste setor nesta janela de transferências?

Pedro Ribeiro: “O SC Braga foi muito eficaz esta noite, marcou na primeira oportunidade que criou. Nós tivemos um desempenho em termos de eficácia completamente díspar, tivemos a seguir duas oportunidades de golo iminente, não marcámos e o Braga fez mais dois golos. Quando reduzimos para 3-1 o jogo ficou vivo, mas depois não conseguimos continuar esse bom momento. É natural que depois de um jogo como o de hoje vocês questionem estas coisas, mas nós marcámos nos últimos três jogos e criámos ocasiões de perigo para os nossos adversários.”

SC Braga

BnR: Rúben, na antevisão do jogo referiu que iria trazer estabilidade à baliza do SC Braga. Hoje apresentou uma linha defensiva a três, com duas novidades em relação ao último jogo, Raul Silva e Tormena. Também podemos esperar estabilidade neste setor?

Rúben Amorim: “Naturalmente que a posição de guarda-redes é uma posição que exige mais estabilidade do que as outras, embora na defesa também seja importante ter estabilidade. Vamos ter estabilidade no processo, mas as escolhas vão depender do número de jogos que tivermos. A equipa não são só onze jogadores, são 21, 22, e todos contam para as minhas opções.”

Foto de Capa: Bola na Rede

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão 

 

Comentários