A CRÓNICA: SEDE DE VENCER DOS CONQUISTADORES MANTÉM-SE 

O verdadeiro duelo de titãs, onde a equipa da casa lutava para subir três posições e ficar em oitavo lugar na tabela classificativa. A ambição da equipa vinda de Guimarães era outra: aproximar-se do Rio Ave FC e consequentemente dos restantes rivais diretos.

O apito inicial abriu portas à luta entre os rivais há muito conhecidos, era uma questão de orgulho para ambas as equipas vencer este duelo. A primeira parte demonstrou um Boavista FC pouco lutador – embora os amarelos dados por Xistra revelassem o contrário –  no entanto eficaz. A eficácia resultou num golo aos 23’ por parte de Carraça, com um remate forte para a baliza de Douglas, o guarda-redes brasileiro não teve qualquer hipótese de defesa. Entre faltas e defesas, a primeira parte estava concluída no Estádio do Bessa.

A segunda parte teve início sem alterações em ambas as equipas e com o orgulho dos vimaranenses ferido. A equipa da casa aproveita a perda de bola do Vitória SC e aos 54’ Heriberto Tavares rende e está feito o segundo golo.

Anúncio Publicitário

Cada vez mais desmoralizados, a partida estava complicada para o Vitória SC. O domínio do jogo e as oportunidades de golo não fazem jus ao resultado da parte, era necessário melhorar (de forma urgente!) na finalização – tal como se sucede sempre nos jogos da equipa de Ivo Vieira ao longo da época.

Tentativa atrás de tentativa e o guarda-redes Helton a contar com dezenas de defesas, o resultado permanece inalterado até ao final do jogo. A festa faz-se em tons de xadrez preto e branco.

Uma vitória saborosa para o Boavista FC face ao velho rival, embora fiquem colados na tabela classificativa com 25 pontos cada um. Ainda mais saborosa pelo facto de que a equipa não vencia em casa desde o dia 31 de Outubro. Daniel Ramos veio quebrar esse ciclo de derrota e conseguir o seu primeiro triunfo enquanto técnico dos axadrezados em casa.

 

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Helton Leite – O guarda-redes salvou a equipa axadrezada, uma exibição que fez jus enquanto nomeado ‘Homem do jogo’. Demonstrou-se apto para o desafio sempre que era necessário. Contabilizou dezenas de defesa frente à equipa complicada de Ivo Vieira, o Boavista FC deve agradecer ao guarda-redes da formação pelo resultado e por defender o símbolo.

O FORA DE JOGO

Fonte: UEFA Europa League

Finalização do Vitória SC – Apesar das inúmeras de inaugurar ou igualar o marcador, as bolas pareciam não querer entrar. A finalização da equipa de Ivo Vieira tem sido alvo de crítica pelos adeptos há algum tempo, mas a formação vimaranense ainda não encaixou com o sistema de jogo. É o terceiro jogo perdido pela equipa do Vitória SC.

ANÁLISE TÁTICA – BOAVISTA FC

Daniel Ramos aposta numa equipa menos avançada e mais defensiva, seguindo a tática que aconteceu nos últimos jogos. Optando por um 4-4-2, alterando jogadores de posição – tal como Affonso e Paulinho que sobem para avançados – e Heriberto Tavares ganha titularidade.

 

ONZES INICIAIS E PONTUAÇÕES

Helton (10)

Obiora (6)

Sauer (6)

Carraça (8)

Fabiano (7)

Ricardo Costa (7)

Neris (6)

Paulinho (7)

Cassiano (5)

Ackah (6)

Heri (7)

 

SUBS UTILIZADOS 

Nikola S. (5)

Marlon (6)

Idris (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – VITÓRIA SC

Ivo Vieira aposta num onze inicial diferente face aos resultados dos últimos jogos e saída de elementos titulares do plantel – tal como Tapsoba. Mantendo-se fiel ao 4-3-3, aposta em Venâncio para fazer dupla de defesa com Pedro Henrique. João Pedro ganha titularidade, tal como João Teixeira, Sacko e Florent.

 

ONZES INICIAIS E PONTUAÇÕES 

Douglas (5)

Sacko (5)

Pedro Henrique (7)

Venâncio (6)

Florent (5)

Pêpê Rodrigues (8)

Lucas Evangelista (8)

João Teixeira (6)

Davidson (8)

João Pedro (8)

Rochinha (7)

 

SUBS UTILIZADOS 

Bonatini (5)

Marcus Edwards (8)

Bruno Duarte (7)

 

Foto de Capa: Boavista FC

 artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários