Mas como todas as regras que se prezem contêm exceções… São elas Sérgio Conceição e Domingos Paciência. Coincidência ou não, os dois ex-FC Porto, são as exceções à regra no nosso campeonato. Os dois internacionais portugueses jogaram e destacaram-se num dos três grandes, gerando sempre carinho entre os adeptos. Enquanto jogador, Sérgio venceu tudo em Portugal e aventurou-se na SS Lazio, Parma FC, FC Inter, Standard de Liège e PAOK. À sua semelhança, Domingos venceu também tudo em Portugal e ainda consegui juntar o prémio de melhor marcador na época 1995/96. A sua passagem pelo estrangeiro foi mais fugaz; resume-se a duas épocas no Tenerife (16º e 19º em LaLiga) antes de regressar ao FC Porto. Já como treinador, Sérgio Conceição conduziu a Académica de Coimbra a um confortável 8º lugar e o SC Braga ao seu “habitual” quarto lugar.

Mais recentemente, e antes de assumir a “cadeira de sonho” no Dragão, passou pelo campeonato francês, pegou num dos últimos e deixou-o às portas da terceira pré-eliminatória da Liga Europa; o FC Nantes (sétimo lugar). Domingos, por sua vez, conta com passagens pela UD Leiria, Académica de Coimbra, Sporting CP, RC Deportivo de La Coruña, Kayserispor ou Vitória FC mas foi ao serviço do SC Braga e do APOEL que se destacou, embora o desempenho em todos os outros clubes seja também, de longe criticável. Conduziu os minhotos, para além de um quarto lugar, a um incrível segundo lugar e uma presença na final da Liga Europa, em Dublin. No comando técnico dos cipriotas, venceu uma liga daquele país.

Mas, como sempre, a “exportação de mão de obra” parece funcionar, no nosso país, como um selo que ateste a qualidade. E disso são exemplos, mais recentemente, José Mourinho, André Villas-Boas, Paulo Fonseca, Marco Silva ou Leonardo Jardim. Aquele que é considerado por muitos o melhor do mundo, o “Special One”, passou pelo Rio Ave FC, CF “Os Belenenses” ou GD Sesimbra sem aquele brilho das estrelas que treina hoje em dia. Mas foi nesse cargo, o de treinador, que “Mou” arrecadou todos os elogios existentes e imaginários.

Sergio Conceição tenta alçançar a glória como treinador, no clube onde teve sucesso como jogador Fonte: Instagram do FC Porto
Sérgio Conceição tenta alcançar a glória como treinador, no clube onde teve sucesso como jogador
Fonte: Instagram do FC Porto

Não teve o início desejado no SL Benfica, mas logo se provou com um sétimo posto ao serviço da UD Leiria, uma notável passagem pelo FC Porto e o percurso daí em diante, e os títulos que isso implica, fala por si; Chelsea FC, FC Inter, Real Madrid CF, regresso ao Chelsea FC e atualmente no Manchester United FC. Um dos seus pupilos, André Villas-Boas, cedo convenceu o FC Porto. Não terá sido tanto o 11º lugar da Académica de Coimbra mas talvez o futebol praticado e o discurso assertivo que o levou ao Dragão. Aí, e somente numa época, venceu tudo em Portugal e ainda a Liga Europa.

Seguiu para a Inglaterra onde não foi tão feliz; assumiu a liderança do Chelsea FC e posteriormente do Tottenham HFC, mas nunca convenceu. Assim, rumou à Rússia onde nas três épocas que lá esteve, juntou os três primeiros lugares no campeonato a uma taça e supertaça russas ao serviço do FK Zenit. Atualmente encontra-se a treinar o Shanghai SIPG, da liga chinesa.

Anúncio Publicitário