Anterior1 de 4Próximo

O CD Aves venceu o GD Estoril Praia por 1-0. Nildo Petrolina marcou o golo que definiu o resultado final.

 

“Queres o Aves na primeira? Vai ao estádio segunda-feira!” e “Com a manutenção o Jamor tem mais sabor”. Era o que se podia ler em faixas expostas pelas ruas da vila do concelho de Santo Tirso. Este era, de facto, um jogo decisivo para os destinos de ambas as equipas.

Na última vez que estas duas equipas se haviam defrontado o GD Estoril Praia venceu por 3-2. Na altura foram Kleber, Allano e Lucas Evangelista os marcadores dos golos para os canarinhos. Do lado dos avenses foi Paulo Machado quem marcou os dois golos.

Anúncio Publicitário

Desta sem Paulo Machado o Aves tentava vencer e, se possível, ganhar a vantagem no confronto direto. Mas foi o GD Estoril Praia quem entrou com a corda toda, assumindo o jogo perante um CD Aves adormecido. Rapidamente os canarinhos perderam o fôlego e o jogo passou a ser mais dividido, com intensas lutas pela posse na zona central do terreno.

Num jogo de constantes faltas e de pouco tempo útil de jogo foi mesmo de uma bola parada que surgiu a primeira oportunidade de golo. Foi Allano que, no seguimento de um toque de Dankler ao segundo poste, acertou com a bola no poste. Ficou a impressão que o avançado brasileiro podia ter feito melhor.

A bola no ferro avense acordou o jogo que tinha nesta altura um ritmo frenético de contra-ataques constantes, sempre sem grande capacidade de decisão no último terço por parte de ambas as equipas. A única efetiva oportunidade de golo surgiu novamente de bola parada e novamente para os canarinhos: Adriano Facchini foi obrigado a fazer duas grandes intervenções, primeiro defendendo um cabeceamento de Ailton, depois de Halliche. Havia jogo na Vila das Aves!

Ao minuto 33 foi a vez de Allano provocar um arrepio na espinha dos adeptos avenses. Um remate forte de fora da área que tirou tinta à trave da baliza de Adriano Facchini. Tinha tudo para entrar na lista de golos do ano.

À medida que o jogo se aproximava do intervalo voltava o jogo de constantes paragens e de pouco tempo útil. Artur Soares Dias mandou toda a gente para os balneários com o nulo ainda no marcador.

O Aves vence, sai da zona de despromoção e respira de alívio por mais uma jornada
Fonte: Bola na Rede

Com o resultado a não interessar a qualquer uma das equipas, o CD Aves entrou forte na segunda parte, beneficiando de três pontapés de canto consecutivos que levaram perigo à baliza defendida por Renan. Primeiro Guedes de cabeça e depois Tissone a falhar o desvio, não foram capazes de inaugurar o marcador.

O GD Estoril Praia não esperou muito para responder e, aos 52 minutos, Bruno Gomes antecipou-se a Adriano Facchini mas atirou ao lado. O contra-ataque do CD Aves não se fez esperar e, no seguimento do pontapé de baliza, Dankler evitou o golo de Nildo Petrolina, com um corte em cima da linha. Foram minutos frenéticos em Vila das Aves, com o golo a poder cair para qualquer um dos lados.

Dos dois bancos veio a indicação de que era preciso fazer mais na frente e, à passagem do minuto 60, tanto Ivo Vieira como José Mota lançaram jogadores para o ataque: André Claro do lado canarinho, Fariña do lado avense.

O recém-entrado da equipa da casa tentou a sorte com um remate de fora da área, mas Renan, atento, agarrou sem dificuldade. A persistência ia-se vendo nas duas equipas, mas os lances de verdadeiro perigo junto das balizas eram raros.

Nildo Petrolina ia sendo um elemento activo no ataque avense, a surgir pelo lado esquerdo do ataque e a lançar cruzamentos para o coração da área. Ainda assim, ou um passe que saía curto ou a defesa atenta, evitavam que o perigo de golo fosse iminente.

E com o CD Aves completamente instalado no meio campo adversário e perante um Estoril incapaz de chegar à área contrária, Nildo Petrolina acabou mesmo por desfazer a igualdade. Ao minuto 81, Vítor Gomes lançou Nildo que, entre dois jogadores canarinhos, não desperdiçou e fez o 1-0.

José Mota já preparava a última substituição, com Derley a saltar do aquecimento para ir intensificar o ataque, mas o golo fez o técnico voltar atrás e aguardar pelos últimos minutos para lançar Falcão. A resposta do GD Estoril Praia não se fez esperar e a equipa intensificou a pressão junto à baliza de Fachini, na tentativa de recuperar a igualdade e se manter agarrada à luta pela manutenção, mas sem efeitos práticos.

A vitória retirou o CD Aves da zona de despromoção, onde estava à condição desde a vitória do CD Feirense, e deixou a equipa em vantagem no confronto directo com os canarinhos. Apesar do salto na tabela e do balão de oxigénio a duas jornadas do fim, o CD Aves ainda não garantiu a manutenção e, na próxima jornada, deverá ir ao vizinho Moreirense FC na busca de pontos. Já o GD Estoril Praia ficou ainda mais isolado no fundo da tabela e, apesar de ter o confronto com o CD Feirense na última jornada, não deverá escapar à descida.

Como jogou o CD Aves:

Adriano Fachini; Rodrigo Soares, Diego Galo, Ponck e Nelson Lenho; Amilton, Braga Tissone, Vitor Gomes e Nildo Petrolina; Alexandre Guedes

Substituições: Fariña (Braga, 62’), Arango (Guedes, 71’), Falcão (Nildo Petrolina, 88’)

Como jogou o GD Estoril Praia:

Renan Ribeiro; Ailton, Dankler, Halliche e Fernando Fonseca; Lucas Evangelista, Duarte, Pêpê e Allano; Bruno Gomes e Ewandro

Substituições: André Claro (Bruno Gomes, 62’), Eduardo (Lucas Evangelista, 72’), Savio (Ewandro, 81’)

Anterior1 de 4Próximo

Comentários