A CRÓNICA: REFORÇO SHEEVAM ENTRA PARA DESEQUILIBRAR O JOGO

Duelo entre dois históricos lisboetas para a Taça da Associação: Olivais e Moscavide e Belenenses jogavam em Moscavide a passagem às meias-finais da competição ainda da época 2019/20, que ficou por concluir devido à pandemia Covid-19. No Alfredo Marques Augusto, perspetivava-se um grande jogo de abertura de época.

O jogo começou a um bom ritmo, com ambos os lados a querer ter a bola na sua posse, mas com uma contrariedade para o Olivais e Moscavide: num momento de pressão alta, Daniel Costa acabou por se lesionar e teve mesmo de ser substituído pelo mais recente reforço, Sheevam Amratlal.

Os visitados sentiram o infortúnio dos minutos iniciais e o Belenenses passou a tomar conta do jogo, restando à equipa de Moscavide apostar em transições rápidas ou lances de bolas paradas para criar perigo, sendo assim que surgiu o primeiro lance de perigo num pontapé de canto em que o cabeceamento do central Lobo não passou longe do poste da baliza de Tomás Foles.

O aviso foi dado, o Belenenses não soube responder e acabou por sofrer: num lance de insistência em que a defesa azul não afastou a bola como deve ser e esta acaba por ir parar aos pés de Sheevam que faz o 1-0 no jogo aos 24 minutos. A reação visitante surgiu seis minutos depois através de Bruno Botas que obrigou o guardião Gonçalo Reis a aplicar-se para manter a vantagem da sua equipa.

Anúncio Publicitário

Quando se pensava que o Belenenses iria carregar em busca do empate, isso acabou por não se verificar e o encontro caiu num ritmo desinteressante, com muita luta a meio-campo e a bola longe das duas balizas. Perto do intervalo, nota ainda para as tentativas de Bruno Botas e Nélson Mendes que foram travadas com eficácia por Gonçalo Reis. O árbitro apitaria pouco tempo depois para o intervalo com a diferença mínima no marcador a favor do Olivais e Moscavide.

O segundo tempo teve um início algo entretido, e o Belenenses teve uma bola ao poste da baliza do Olivais e Moscavide: lance bem trabalhado do lado direito por Nélson Mendes, com o avançado a cruzar e Rui Janota a disparar ao ferro. Boa entrada dos homens do Restelo, contrastando com a turma de Moscavide que ia jogar mais na expetativa. À entrada da área, Mauro Antunes testou a atenção do guardião Gonçalo Reis que agarrou o remate eficazmente.

O Belenenses começava a carregar à procura de chegar ao empate, mas faltava uma melhor definição na hora de finalizar, daí que as oportunidades de perigo fossem escassas, algo que agradava ao comandados de João Correia que continuavam em vantagem no marcador. Aos 76’, um belo cabeceamento de Bruno Botas obrigou Gonçalo Reis a aplicar-se para manter a vantagem mínima no marcador.

A partida entrava nos últimos minutos e já se jogava apenas no meio-campo defensivo do Olivais e Moscavide, com os homens do Restelo a pressionar para fazer o tento do empate. No período de compensação, o Belenenses esteve perto de marcar num lance algo confuso em que a bola vai duas vezes aos ferros e Gonçalo Reis ainda fez uma defesa soberba. Bruno Botas teve a derradeira oportunidade para empatar na cara do guarda-redes, mas Gonçalo Reis voltou a negar o golo.

O jogo terminaria depois com a vitória por 1-0, graças ao tento do reforço Sheevam. Assim, o Olivais e Moscavide segue em frente e mantém o sonho de conquistar a Taça da Associação pela quinta vez na sua história.

A FIGURA

Fonte: CD Olivais e Moscavide

Sheevam Amratlal – O mais recente reforço do Olivais e Moscavide foi a grande figura do jogo. Chamado para render o lesionado Daniel Costa no início do jogo, o médio entrou bem e marcou o golo que permitiu à equipa passar à meia-final da prova da Associação de Lisboa. Durante o resto do jogo, sempre que o Moscavide partia em transição rápida, a bola passava sempre pelos seus pés. Teve uma infelicidade ao sair também por lesão no decorrer da segunda parte.

O FORA DE JOGO

Fonte: CF Os Belenenses

Nélson Mendes – O reforço do Belenenses para atacar a época 2020/2021 teve uma estreia muito apagada na tarde deste domingo. Com pouca bola nos pés, o avançado não conseguiu desequilibrar na frente de ataque e isso acabou por impedir o Belenenses de seguir em frente na prova.

ANÁLISE TÁTICA – CD OLIVAIS E MOSCAVIDE

O conjunto caseiro jogou em 4-2-3-1, com o técnico João Correia a ser obrigado a mexer na sua equipa logo nos minutos iniciais devido à lesão de Daniel Costa. O substituto Sheevam Amratlal foi o escolhido para render e fez a diferença mal entrou com o golo inaugural. A equipa de Moscavide deu a iniciativa aos visitantes, soube controlar as ofensivas azuis e, assim que conseguia recuperar a bola, lançava contra-ataques rápidos, com a bola a passar sempre pelos pés do mais recente reforço Sheevam que teve uma estreia em grande. Por força do resultado, no segundo tempo, a equipa teve grande parte do tempo e conseguiu manter a baliza a zeros até ao apito final do jogo

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Gonçalo Reis (7)

Miguel Rosado (5)

 João Silva(6)

António Lobo (5)

Tatiano Pereira (6)

Pedro Buaro (7)

Eduardo Leal (6)

Daniel Costa(-)

Hugo Silva (5)

Sandro Martinho (5)

Filipe Magalhães (5)

SUBS UTILIZADOS

Sheevam Amratlal (7)

Luís Oliveira (5)

Valdo Gomes (6)

Bruno Perdigão (5)

ANÁLISE TÁTICA – CF “OS BELENENSES”

A equipa de Belém comandada por Nuno Oliveira jogou em 4-3-3, com os reforços Carimo Conté, André Frias e Nélson Mendes a fazerem a sua estreia. A formação que veste de azul até esteve por cima em grande parte do encontro e dispôs das melhores ocasiões da partida, mas nunca conseguiu bater o guardião adversário e acaba por sucumbir no Alfredo Marques Augusto. Nem as mexidas na frente de ataque ajudaram a mudar o rumo dos acontecimentos.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Tomás Foles (5)

João Oliveira (6)

Alexandre Figueiredo (6)

André Frias (5)

Mauro Antunes (5)

Rui Janota (5)

Rafael Salvador (6)

Nélson Mendes (4)

Francisco Sénica (5)

Bruno Botas (6)

Carimo Conté (5)

SUBS UTILIZADOS

Alisson Patrício (6)

Jorginho (5)

Miguel Pinto (5)

Tomás Correia (5)