Anterior1 de 3Próximo

Olho por olho. Dente por dente. E, não, não estou a falar da luta pelo título na última jornada. Há muito mais do que isso nestes que são os últimos encontros da temporada. Um dos jogos mais importantes para as últimas decisões da tabela foi o encontro entre o CD Tondela e o GD Chaves, onde esteve em cima da mesa a manutenção no principal escalão do futebol português.

Estava prometido um jogo de muitas emoções e assim foi desde o início. O Tondela entrou muito bem na partida e, logo aos quatro minutos, conseguiu traduzir essa superioridade no marcador. Depois de um pontapé de canto batido na direita, Ícaro marcou de cabeça o primeiro para a equipa de Pepa. Muita passividade na abordagem ao lance por parte da defensiva do Chaves facilitou, e muito, a tarefa do número dois do Tondela.

Depois de ter sofrido golo, o Chaves não conseguiu reagir da melhor forma. Continuou a permitir demasiados espaços à equipa da casa e acabou mesmo por sofrer o segundo. Logo aos nove minutos, as redes de Ricardo voltaram a abanar. João Pedro fez um remate rasteiro à entrada da área e marcou o seu primeiro golo para o campeonato esta época.

Após o segundo golo sofrido, o Tondela baixou um pouco o ritmo de jogo, baixou mais o seu bloco e começou a apostar mais na profundidade. Já a equipa de José Mota estrou mais no jogo e obrigou mesmo Cláudio Ramos a uma intervenção fantástica aos 13 minutos. Mas, apesar disto, as oportunidades continuavam a ser muito tímidas e, por sua vez, a defesa do Tondela mostrou-se sempre muito compacta nessas alturas.

Aos 16 minutos, depois de uma infelicidade dos centrais do Chaves, o Tondela faz o terceiro golo na partida. Depois de uma péssima abordagem ao lance por parte do central Campi, que abriu por completo o caminho a Murillo. O extremo não perdoou e marcou mesmo o terceiro a tarde.

Por esta altura, as contas estavam muito complicadas para a equipa de José Mota. A equipa do Chaves, apesar do ligeiro ascendente, continuava muito perdida em campo. E, por outro lado, estava um Tondela muito assertivo e cada vez mais confiante com o seu jogo e com o resultado. Tanto que aos 28 minutos Jhuan Delgado chegou ao quarto golo depois de uma excelente combinação com Tomané.

Este golo pesou muito para os flavienses que, depois disso, se tornaram numa equipa completamente partida. Havia defesa e ataque, mas meio-campo nem vê-lo! A falta de consistência no centro do terreno fez com que, dessa zona até ao ataque, se tornasse numa autêntica autoestrada até à baliza de Ricardo.

Mas a partir dos 30 minutos, e depois de uma vantagem de quatro golos, a equipa de Pepa baixou as suas linhas e mais ataques surgiram por parte da equipa de Trás-os-Montes. Aos 38 minutos, surgiu o golo de Platiny a contar para reduzir a desvantagem do Chaves depois de assistência de Javan pela esquerda.

Um golo que podia acordar a equipa de José Mota e acordou mesmo: no final da primeira parte, Maras marca o segundo para o Chaves. Na zona do segundo poste, o jogador “flaviense” mergulha dentro da área e encurta a desvantagem no marcador. Estava então feito o 4-2 instantes antes de as equipas recolherem ao balneário.

Houve seis golos apenas na Primeira Parte
Fonte: GD Chaves

O início da segunda parte foi muito importante para perceber qual seria a postura de ambas as equipas. Nos primeiros minutos, nomeadamente na primeira meia hora da segunda parte, o Chaves pressionou bastante, mas foi muito pouco eficaz. Não conseguiu marcar e, deste modo, declarou a sua própria sentença. Este ascendente muito se deve ao facto de Ruben Macedo ter aparecido muito mais no segundo tempo e ter criado bastantes dificuldades ao lateral do Tondela – Joãozinho.

Aos 73 minutos, o Chaves esteve mesmo muito perto de fazer o terceiro. Platiny receciona a bola dentro da área, az o remate, mas Ícaro impede que a bola vá direta à baliza de Cláudio Ramos. Instantes depois, foi mesmo a vez de o guarda-redes do Tondela brilhar ao protagonizar uma excelente defesa que impede o terceiro da equipa adversária.

O Chaves continuava a criar perigo e continuava na iminência do golo, mas a verdade é que as más decisões no último terço custaram caro à equipa de José Mota. E porque quem não marca sofre, Murillo faz o 5-2 aos 77 minutos e torna assim a manutenção do Tondela praticamente assegurada.

O Tondela, muito eficiente esta tarde, garante assim a manutenção na Primeira Liga. Já o Chaves não foi feliz, mas ainda teve o mérito de lutar pelo terceiro golo. Não conseguiu marcar na segunda parte e despede-se então da Primeira Liga numa época onde faltou estabilidade ao clube para se fazer mais. E, como se sabe, falta de estabilidade no futebol paga-se caro. O pagamento, neste caso, foi a descida…

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

CD Tondela – Cláudio Ramos, David Bruno, Bruno Monteiro, Ícaro, Joãozinho, Juan Delgado (Susbt. Peña, 51’, Subst. Tembeng, 76’), João Pedro, João Jaquitte, Xavier (Subst. Pité, 70’), Tomané, Murillo.

GD Chaves – Ricardo, Lionn, Maras, Campi, Djavan, F. Melo (Subst. Platiny, 19’), J. de Jesus Santos, R. Macedo (Subst. Paulinho, 84’), B. Gallo, Ghazaryan, William.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários