Anterior1 de 2Próximo

Cabeçalho Futebol Nacional

Com o fim da Ledman Liga Pro à vista, o Desportivo das Aves confirmou em definitivo a presença no principal escalão do futebol português. Desde 2005, que a equipa de Santo Tirso não participava na primeira liga. Foi com o mítico professor Neca que a equipa da Vila das Aves o conseguiu. Aliás, o professor Neca tinha sido o único treinador a conseguir levar o Desportivo das Aves à primeira liga, primeiro em 1985, depois no ano de 2000 e depois em 2005. Hoje, uma maldição foi quebrada e o Desportivo das Aves ganha agora asas para voar, na primeira liga.

Como já é habitual, a segunda liga não é propriamente um campeonato “amigável”. São muitos os jogos, são dificeís os campos pequenos, as condições, os jogadores mais experientes que dificultam a vida aos mais jovens. A verdade é que o percurso do Aves não foi fácil. A equipa iniciou a temporada com Ivo Vieira, técnico que já tinha contado com experiências na primeira liga, nomeadamente ao serviço do Nacional e do Marítimo. O início da temporada foi algo irregular. Em 5 jogos, a equipa somava duas vitórias, dois empates e uma derrota, mas já se previa que este Aves teria qualidade suficiente para lutar, pelo menos, pela subida. A equipa foi conseguindo acumular vitórias e depois da eliminação na Taça de Portugal pelo Paços de Ferreira, o Desportivo das Aves somou 13 jogos sem qualquer derrota.

Tudo corria às mil maravilhas, mas como diz o ditado, no melhor pano, caí a nódoa. Depois de quatro jogos sem conhecer o sabor da vitória, Ivo Vieira foi despedido. Nem o excelente trabalho do técnico conseguiu fazer com que os dirigentes do clube tivessem alguma paciência com Ivo Vieira. Chegava-se à frente, José Mota. O técnico que, na temporada passada, tinha conseguido subir, nas mesmas condições, o Feirense, chegava agora ao Desportivo das Aves. O objetivo era segurar o barco e conseguir levar o Aves à primeira.

José Mota é, por diversas vezes, criticado por ser um técnico ultrapassado ou por não conseguir ter muito sucesso. A verdade é que não tendo a imprensa que Vítor Oliveira tem, o técnico conseguiu assegurar a subida por duas temporadas consecutivas, entrando em equipas, no decorrer da temporada. Sim, é diferente entrar num projeto a meio do que estar num projeto desde o início. Mas não é fácil ter de pegar numa equipa com um estado anímico complicado e com jogadores nunca antes conhecidos, com jogadores já habituados a outros esquemas, outros treinos. José Mota conseguiu isso. Sem ser brilhante, foi capaz de responder positivamente, nos momentos críticos da temporada, quando era preciso vencer. Aliás, o técnico conta com um registo interessante. Em dez partidas, conta com duas derrotas apenas, sendo que não perdeu em casa.

Anúncio Publicitário

Mas não são os técnicos que passaram pelo clube esta temporada, os principais destaques desta subida. O Desportivo das Aves tem um plantel muito acima da média para uma equipa que disputa a segunda divisão.  Há uma mistura muito interessante de jogadores mais batidos no futebol nacional, com outros jovens com muito potencial. Ora vejamos, na baliza, há Quim, veterano guarda-redes de 41 anos que já passou por Benfica, Braga e pela seleção nacional.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários