De facto, o sucedido ontem no sorteio do calendário da Primeira Liga 2018/2019 é uma boa analogia ao futebol português neste momento. À semelhança do papel que foi mostrado ao contrário durante o sorteio, o nosso campeonato e as equipas que nele competem parecem estar, também elas, de pernas para o ar.

Os clubes não se entendem com as SADs, os interesses financeiros sobrepõem-se aos desportivos. E, mais uma vez, quem perde é a modalidade e os adeptos que tanto a amam.

No passado dia 29 de Julho, o Clube de Futebol “os Belenenses” e a sua respectiva SAD cessaram relações em definitivo. Estas já não eram propriamente as melhores há cerca de três anos, mas em Novembro do ano passado a situação agravou-se. Neste momento, já não existe reconciliação possível e o Belenenses e a SAD são, agora, realidades completamente opostas.

A SAD alega que o clube não estava a levar a melhor conduta no que diz respeito aos terrenos do Restelo. Em questão esteve a ocultação de uma penhora da Oitante que poderia vir a comprometer resultados da equipa e até uma eventual despromoção. O clube queria que as instalações fossem partilhadas por uma associação recreativa, ficando a equipa condicionada na rotina dos seus treinos e, pior ainda: teria de pagar mais de meio milhão de euros por época para o fazer.

Anúncio Publicitário
A equipa do Belém vai jogar e treinar no estádio nacional durante toda a época de 2018/2019
Fonte: FPF

Posto isto, a decisão final foi o corte total de relações. SAD e clube de costas voltadas, mesmo de se chegar ao ponto de Patrick Morais de Carvalho não admitir que a equipa comandada pela SAD utilize o nome e o símbolo que representavam – o do CF ‘Os Belenenses’.

A minha pergunta é: e agora quem é que é suposto os sócios e adeptos apoiarem? A equipa que foi despejada do seu próprio estádio e se vai ver obrigada a treinar e a jogar no estádio nacional como se fosse a sua casa? Ou a equipa que, conforme já foi anunciado, vai jogar nas distritais num projecto que visa um recomeço impulsionado pelo clube? Claro que será aquela a quem o coração manda, mas decerto que não será uma escolha fácil.

Confesso que tudo isto me faz muita confusão. Talvez pelo facto de ser ainda uma adepta iludida que tem esperança de que a magia do futebol perdura acima de qualquer coisa. Infelizmente, já não o é. Cabe-nos a nós moldar-nos a esta dura realidade ou fazer de tudo para quebrá-la? Fica a questão.

Foto de Capa: Clube de Futebol ‘Os Belenenses’