Anterior1 de 2Próximo

Cabeçalho Futebol NacionalÉ natural a existência de “grandes” nos campeonatos nacionais de Futebol. Ainda que, por vezes, de uma forma não tão acentuada, (quase) todas as ligas têm um leque de clubes que ganham mais do que os outros, geralmente, tendo também mais adeptos e um orçamento superior.

Em Portugal, a diferença dos “três grandes” para as restantes equipas da Primeira Liga é por demais evidente a todos os níveis. Com orçamentos incomparavelmente maiores, adeptos espalhados por todo o país e uma diferença avassaladora no número de conquistas alcançadas, Porto, Sporting e Benfica carregam este rótulo.

Ainda que este fosso entre os maiores clubes nacionais e os restantes seja evidente, a discussão em torno de quem merece ser reconhecido como a quarta potência do futebol português surge, invariavelmente, entre os adeptos.

Em Guimarães há uma Super Taça. Em Braga uma Taça intertoto (além de taças de Portugal para ambos) Fontes:  http://maisguimaraes.pt e http://museuvirtualdofutebol.blogspot.pt
Em Guimarães há uma Supertaça. Em Braga uma Taça intertoto (além de Taças de Portugal para ambos)
Fontes: Maisguimaraes.pt e Museuvirtualdofutebol.blogspot.pt

A resposta mais comum, e mais forte, à luz dos resultados desportivos, é o SC Braga. Desde que António Salvador assumiu a presidência do clube, em 2003, os minhotos terminaram o campeonato no quarto lugar por oito vezes, somadas ao terceiro lugar alcançado em 2011/2012 e o inédito segundo lugar de 2009/2010. Objetivamente, a equipa, agora orientada por Abel, terminou nos primeiro quatro lugares da liga dez vezes, falhando o objetivo em apenas quatro ocasiões.

Os bons desempenhos nas competições europeias são outro bom argumento: com participações na Champions e, sobretudo, bons desempenhos na Liga Europa, com a final de Dublin à cabeça, o sucesso desportivo do SC Braga não tem igual nos restantes clubes “extra-grandes”.

Anúncio Publicitário

Contudo, e porque não só de resultados se faz o desporto, há outras equipas que merecem destaque. O rival do Minho, o Vitória SC, destaca-se por outra particularidade que distingue os clubes grandes: os adeptos. Contrariamente ao paradigma nacional, a esmagadora maioria dos habitantes da cidade de Guimarães apoia incondicionalmente o Vitória, sem preferência por nenhum dos “grandes”. Esta postura dos seus adeptos, uma das imagens de marca do clube, contribui para uma identidade verdadeiramente digna de um grande.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários