No passado domingo fez-se história em Montalegre. Pela primeira vez em cinquenta e quatro anos de histórias para contar, o clube passou para os “oitavos” da Taça de Portugal, onde apenas marcarão presença 16 equipas portuguesas.

Neste momento, em Montalegre, o alvoroço deve ser inexplicável! Os barrosões nunca estiveram numa fase tão adiantada da competição, mas não é por isso que pensam pequeno. O treinador, José “Viage”, veio, inclusive, dizer que a equipa quer marcar a diferença, quer criar impacto e, que, para isso, teriam de eliminar um dos titãs do campeonato português.

Só queria aqui salientar uma coisa: o CDC Montalegre tem ainda na sua equipa jogadores que, para além de jogarem futebol, têm part-times em áreas como enfermagem, informática e fisioterapia. E agora pergunto: esta é a mesma equipa que não tem medo de olhar nos olhos de um clube de primeira divisão? Desde já, o meu apreço por isso! Realmente, é a Taça de Portugal e basta!

Para quem não sabe, este sonho que Montalegre está a viver é comandado por dois irmãos. É verdade: o treinador, José “Viage”, e o presidente, Paulo Reis, são mesmo irmãos. Mas, por incrível que pareça (e quem tem irmãos sabe do que falo), os dois não andam sempre às “turras”. Até pelo contrário! Sendo assim, é caso para dizer: “Irmãos, irmãos… negócios à parte”. O entusiasmo é partilhado pelos dois e ambos não têm dúvidas de que esta é uma das etapas mais bonitas vividas pelo clube desde o ano da fundação.

Para termos uma ideia mais pragmática daquilo que o Montalegre alcançou, sejamos claros. Para além destes, apenas duas equipas da 2.ª liga estão presentes na próxima fase da competição e as restantes são da Primeira Liga. Desde 74/75 que tal não acontecia. Por isso, acho que deve ser dado ainda mais o mérito ao clube. Contudo, há uma coisa que gabo nesta equipa: ninguém se faz de coitadinho. Dizem que querem surpreender e até vão mais longe, dizendo que, apesar de as probabilidades não estarem a favor, também era possível eliminar um dos grandes.

Anúncio Publicitário
Depois de eliminar o RD Águeda por 1-0, o CDC Montalegre segue para os “oitavos” da Taça de Portugal
Fonte: Bola na Rede

A verdade é que já não era a primeira e nem haveria de ser a última vez que uma equipa de Primeira Liga iria sentir mais dificuldades em eliminar uma equipa do Campeonato de Portugal. Vejamos o exemplo do jogo SC Braga – SC Praiense, por exemplo.

Isto é tudo muito bonito, mas não esqueçamos que continua a ser o futebol português e não é tudo um mar de rosas. Não posso de deixar de falar na seguinte intriga: o Águeda apresentou uma participação ao Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, pedindo a eliminação do Montalegre da competição. A queixa deve-se à presença do treinador da equipa da casa, que cumpria um jogo de castigo, no recinto e algumas outras irregularidades.

Não sei em que é este caso vai dar, mas, quer queiramos quer não, temos de dar o mérito a esta equipa, que é um conjunto sonhador que pode, quem sabe, num futuro próximo, fantasiar com uma subida à Segunda Liga. Isto pode nem acontecer, mas a verdade é que só esta passagem aos “oitavos” já deu muito a este clube e à própria região, em termos de visibilidade.

Foto de Capa: CDC Montalegre