O Futebol está pobre, meus amigos. Está mesmo! Dentro e fora das quatro linhas. Enquanto se jogar mais fora do que dentro vai continuar a ser a mesma tristeza que se tem visto. Eu sei, eu sei… quão irónico é eu dizer que o Futebol está pobre, quando o que importa cada vez mais no mundo do mesmo é o dinheiro? Mas também, o que importa agora isso para o caso, não é verdade? Trata-se só e apenas de mais uma incoerência no meio de tantas outras.

Desta vez, a polémica surge sobre o empresário César Boaventura, que tem vindo a ser acusado de ter tentado aliciar jogadores que representavam o Rio Ave FC na época 2015/2016. Boaventura terá alegadamente dito que daria um presente aos jogadores que dessem “um jeitinho” frente ao SL Benfica. Os jogadores em questão tratam-se de Cássio e Lionn. Mas estes foram os que deram a cara.

Agora a questão é: quantos mais estarão na sombra do silêncio porque é o mais fácil a fazer? Sou apologista de que onde há fumo, há fogo, e custa-me a crer que estes episódios possam vir a ser casos isolados no Futebol português. E claro que não se tratarão apenas de casos a beneficiar os “encarnados”.

Os adeptos estão cansados de polémicas, de todo o engodo que vai para além das quatro linhas. As pessoas fartaram-se de empresários, de interesses, e pode ser que chegue ao dia em que se fartem de tudo mesmo. Como diz o título: enchem os bolsos, esvaziam os estádios. No fundo, é muito isso…

Há suspeita de aliciamento de jogadores do Rio Ave para facilitar no jogo frente ao Benfica na época 2015/2016
Fonte: Rio Ave FC

Será que vale tudo para ganhar? Se se vierem a confirmar todas estas suspeitas, apenas pergunto: como ficará um adepto após saber que festejou um campeonato comprado? Não acredito, e nem quero acreditar, que a massa adepta de um clube se reveja neste tipo de situações. Pelo menos para mim, não vale, nem nunca valerá tudo para se segurar a taça no final de maio. E quem achar o contrário que se convença: não gosta de Futebol. Gosta apenas de um clube, de ganhar troféus e, meus caros, há mesmo muito para além disso.

Sei que posso estar a tornar-me repetitiva ao longo deste artigo, mas como é possível não o ser? Aliás, como é possível ser mais alguma coisa do que algo previsível e formatado, quando se trata de abordar o tema “Futebol português”? Bem sei que não é de agora, mas interrogo-me sobre como é que nos tornámos nisto? Como é que transformámos uma coisa tão bonita e que tem o poder de unir pessoas, mover paixões, etc., numa coisa tão vazia, tão formatada, tão sem magia? Mais uma vez digo: é a porcaria do dinheiro.

 

Foto de Capa: Liga Portugal

Comentários