Depois de seis eliminatórias e duas meias-finais a duas mãos, estão encontrados os finalistas da edição oitenta da prova rainha. SL Benfica e FC Porto reeditam um duelo que não acontecia há 16 anos. Na altura, as águias levaram a melhor no prolongamento com golos de Fyssas e Simão Sabrosa. Derlei apontou o único golo dos dragões.

Até ao jogo decisivo no Jamor, as águias eliminaram o CD Cova da Piedade (0-4), o FC Vizela (1-2), o SC Braga (2-1), o Rio Ave FC (3-2) e o FC Famalicão. Foram quatro equipas nortenhas e um vizinho da margem sul – três primodivisionários, uma do segundo escalão e uma do Campeonato de Portugal. O SL Benfica chega à grande final com um saldo de 15 golos marcados e sete sofridos.

O maior obstáculo apareceu, naturalmente, nas meias-finais. Os famalicenses deram trabalho desde cedo e logo na primeira mão assistiu-se a uma partida com cinco golos. Depois de uma primeira parte morna (0-0), Pizzi adiantou os encarnados, Pedro Gonçalves e Toni Martínez viraram o resultado, mas Rafa empatou minutos depois. Antes do apito final, Gabriel garantiu a vantagem que se viria a revelar fulcral.

Na segunda mão eram esperados mais golos, mas desta vez a pontaria ficou aquém. Pizzi voltou a adiantar os encarnados, Toni Martinez empatou, mas o assalto final à área benfiquista revelou-se impotente. As águias reservaram nova vaga na final, três anos depois.

Os dragões tiveram, à primeira vista, o sorteio mais favorável e um caminho menos sinuoso até ao Jamor
Fonte: Académico de Viseu FC
Anúncio Publicitário

Por sua vez, o FC Porto eliminou o SC Coimbrões (0-5), o Vitória FC (4-0), o CD Santa Clara (1-0), o Varzim SC (2-1) e o Académico de Viseu FC. Foram duas equipas nortenhas e vizinhas, uma das ilhas, uma da Beira Alta e uma da margem sul – duas do principal escalão, duas da Segunda Liga e uma do Campeonato de Portugal. O FC Porto chega à final com um saldo de 16 golos marcados e dois sofridos.

Ainda que nenhum jogo seja “favas contadas”, os dragões não tiveram de suar muito para chegar à fase mais avançada da competição. As duas goleadas iniciais foram contrariadas por vitórias anoréticas frente a açoreanos e varzinistas, mas sem que a continuidade em prova fosse verdadeiramente ameaçada.

Nas meias-finais viajaram primeiro a Viseu onde os golos só apareceram a meia hora do final de uma partida cinzenta e desinteressante. Valeu o empate saboroso aos da casa e que lhes permitiu sonhar com o apuramento em pleno relvado do Dragão.

No entanto, com a oportunidade para garantir a quinta final de Conceição ao leme do FC Porto, os dragões não deram grandes hipóteses à revelação da prova e venceram inquestionavelmente com golos de Alex Telles, Zé Luís e Sérgio Oliveira.

Já há finalistas, falta conhecer o árbitro e que se reúnam as condições de segurança que um jogo deste nível exige. Dia 24 de maio, quinze minutos depois das cinco da tarde, haverá novo capítulo do clássico entre águias e dragões.

Foto de Capa: SL Benfica

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários