Anterior1 de 3Próximo

A jornada 14 assinalou o último jogo para o campeonato do presente ano e o Estádio Cidade de Barcelos foi o palco de despedida de 2019 para as formações do Gil Vicente e Vitória SC. Num dérbi minhoto quente e bem disputado, nem a chuva arrefeceu uma partida intensa com quatro golos, numa primeira parte dominada pelos gilistas e um segundo tempo controlado pelos vimaranenses.

A primeira oportunidade do encontro pertenceu aos visitantes, logo aos seis minutos. Depois de muita confusão, a bola sobrou para Edwads que rematou desenquadrado por cima da baliza gilista.

A oportunidade do Vitória despertou os gilistas e logo de seguida, numa incursão ofensiva, Sandro Lima foi derrubado dentro de área por Mikel Agu. Oportunidade clara para o Gil Vicente se adiantar no encontro, mas na cobrança da grande penalidade, Douglas adivinhou o lado do esférico rematado por Sandro Lima.

O Gil Vicente não tirou o pé do acelerador e dois minutos depois, o lateral esquerdo do Gil Vicente, Henrique Gomes quase enganava Douglas com um cruzamento que, por pouco, não levava selo de golo.

Anúncio Publicitário

O Vitória SC, através de Bonatini, respondeu com um remate forte, mas Denis estava atento e segurou a bola. Dérbi muito bem disputado nos primeiros quinze minutos com várias oportunidades para ambas as formações do Norte.

Os cinco minutos seguintes, entre os 28’ e os 33’, viriam a ser determinantes na partida! Kraev, numa jogada de insistência pela ala direita gilista, conseguiu o cruzamento para um corte incompleto da defesa do Vitória. Claude Gonçalves aproveitou e à entrada da área rematou colocado sem hipótese para Douglas.

Mas o melhor ainda estava para vir! Os adeptos gilistas ainda estavam a festejar o primeiro golo, quando cinco minutos depois, Kraev assinou aquele que deverá ser o golo da jornada. Numa jogada coletiva sensacional e repleta de movimentos técnicos de qualidade, Lourency e Sandro Lima, combinaram na perfeição entregando a Kraev que, na cara de Douglas, ainda teve tempo para driblar o guardião e fazer o segundo da partida.

A formação visitante tentou sempre dar resposta, mas sem sucesso e ainda antes do intervalo, fez uma dupla substituição, com Ivo Vieira a prescindir de Mikel e Ola John, este último por lesão, dando lugar a Pêpê e Bruno Duarte, respetivamente.

O intervalo chegava a Barcelos, com dois golos em cinco minutos pelos homens da casa e sem resposta por parte dos vimaranenses, numa primeira parte de sonho dos gilistas em que ainda desperdiçaram uma grande penalidade.

No regresso aos relvados o Vitória SC apareceu no jogo, após 45 minutos muito apagados e teve em Marcus Edwards o principal desequilibrador. Aos 68’ Marcus Edwards reduziu a desvantagem depois de uma excelente jogada de entendimento com Bruno Duarte. Na cara do golo, o extremo inglês finalizou pelo terceiro jogo consecutivo, num golo em que ficou a sensação de que Denis podia ter feito mais. O golo vitoriano incendiou as bancadas e os 20 minutos finais foram dominados pelos homens de Ivo Vieira.

O extremo inglês marcou pelo terceiro jogo consecutivo
Fonte: Vitória SC

Se por um lado Marcus Edwards, por parte do Vitória SC era o mais inconformado com o resultado através de pormenores técnicos e magia nos pés, por outro, Kraev era o principal motor que alavancava os gilistas na procura de ampliar a vantagem.

Os forasteiros não deixaram de procurar o empate e a dez minutos do final tiveram muito perto da igualdade, valeu a dupla defesa de Denis a negar o golo a Bruno Duarte, que entrou muito bem na partida, ainda no primeiro tempo.

O Vitória tanto carregou os gilistas que viriam a quebrar a muralha montada pelos barcelenses. A solução essa estava no banco, com Davidson a assumir o estatuto de “arma secreta” e a concluir da melhor forma mais um lance individual de Marcus Edwards. O avançado brasileiro rodou bem na área sobre a defesa adversária e bateu Denis para o 2-2.

Em cima do último minuto de compensação, Denis fez a defesa da noite após remate cheio de intenção à entrada da área por parte de Pêpê.

Depois de uma primeira parte de grande nível por parte do Gil Vicente, o Vitória assumiu as rédeas no segundo tempo e controlou a partida. O empate final acabou por ser um resultado agridoce e justo para ambas as formações. Os gilistas mantiveram a marca notável de serem uma das únicas três equipas que ainda não perdeu em casa. Já o Vitória SC mantém-se imbatível nos últimos seis jogos disputados.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

Gil Vicente FC – Denis, H.Gomes, Y.Nogueira, Ruben Fernandes, Fernando, Soares, Claude Gonçalves, Kraev (J.Afonso, 89’), Baraye (Romario Baldé, 65’), Lourency (Erick, 71’) e Sandro Lima.

Vitória SC – Douglas, Rafa, P.Henrques, Tapsoba, Sacko, Poha, João Teixeira (Davidson, 63’), M.Agu (Pêpê Rodrigues, 41’), M.Edwards, Ola John (Bruno Duarte, 42’), e Bonatini.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários

Artigo anteriorSC Braga 0-2 SL Benfica: Ia Uchendu, mas não foi
Próximo artigoSC Covilhã 1-2 Académica OAF: Vitória da eficácia
O Nélson é estudante de Ciências da Comunicação. Jogou futebol de formação e chegou até a ter uma breve passagem pelos quadros do grande Futebol Clube do Porto. Foi através das longas palestras do seu pai sobre como posicionar-se dentro de campo que se interessou pela parte técnica e tática do desporto rei. Numa fase da sua vida, sonhou ser treinador de futebol e, apesar de ainda ter esse bichinho presente, a verdade é que não arriscou e preferiu focar-se no seu curso. Partilhando o gosto pelo futebol com o da escrita, tem agora a oportunidade de conciliar ambas as paixões e tentar alcançar o seu sonho de trabalhar profissionalmente como Jornalista Desportivo.                                                                                                                                                 O Nélson escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.