A CRÓNICA: OFENSIVA AROUQUENSE RESULTOU NA PRIMEIRA DERROTA DE JOSÉ MOTA

Com o regresso de José Mota ao banco de suplentes e Beto na baliza matosinhense, jogou-se a 19.ª jornada da Segunda Liga, no Estádio do Mar. O Leixões SC recebeu o FC Arouca, duas equipas à procura da vitória para somar posições na tabela.

O jogo partiu mesmo da premissa ofensiva de ambas as equipas. Viu-se um início partido, com duas equipas a demonstrarem vontade de atacar a baliza adversária. Logo no primeiro minuto, tanto o Leixões como o Arouca tiveram oportunidades flagrantes de golo, ambas anuladas pelos guarda-redes de serviço.

Partindo da má posição da linha defensiva do Leixões, e também de alguma desconcentração por parte da equipa de José Mota, o Arouca chegou-se à frente da vantagem, depois de um remate “do meio da rua” de Arsénio. Beto não conseguiu chegar à bola, que entrou na gaveta do canto superior direito da baliza. Aos 17 minutos, os visitantes estavam à frente no marcador por um golo.

Depois de uma entrada fulminante no encontro, o Leixões começou a desvanecer. Quem o aproveitou da melhor maneira, concretizando transições ofensivas consecutivas, foi a turma de Armando Evangelista. A pressão arouquense estava mesmo em cima dos jogadores do Leixões. Aos 24 minutos, a vantagem podia ter sido mesmo dilatada, após uma saída sem sentido dos postes por parte de Beto, que podia ter comprometido a própria equipa. A sorte dos matosinhenses foi André Silva ter errado no alvo.

Anúncio Publicitário

Tudo permaneceu igual até ao apito para o intervalo, feito soar pelo árbitro João Gonçalves. No retomar do encontro, o Arouca continuou a demonstrar mais perigo. Ao contrário do Leixões, os arouquenses, a partir do momento em que ultrapassavam a linha do meio-campo, demonstravam perigo e critério na finalização – faltava apenas a eficácia. Já a equipa de Matosinhos, quando perto da área de Victor Braga, não demonstravam qualquer tipo de critério, nem pareciam desenvolver uma estratégia ofensiva clara.

Os últimos minutos demonstraram fraqueza ofensiva por parte do Leixões, e nem as substituições feitas por José Mota conseguiram colmatar essas lacunas do elenco em campo. O Arouca acabou mesmo por vencer no Estádio do Mar, condenando José Mota à sua primeira derrota enquanto treinador do Leixões. 1-0 foi o resultado de um encontro plenamente dominado pelo Arouca.

 

 

A FIGURA

⌛️ Intervalo do encontro em Matosinhos.

A nossa equipa vai vencendo o Leixões SC ao intervalo por 0-1.

Leixões SC 0-1 FC Arouca
15’ Arsénio

Publicado por Futebol Clube de Arouca em Sábado, 6 de fevereiro de 2021

Estratégia ofensiva do FC Arouca – Bastante bem fundamentada e implementada em campo, a forma como Armando Evangelista dispôs os seus jogadores a nível ofensivo foi uma constante em criar perigo e oportunidades de golo. De cada vez que o Arouca passava a linha do meio-campo, era certo que iria existir uma oportunidade de golo.

 

O FORA DE JOGO

ℹ️ AVTO É JOGADOR DO LEIXÕES

O Leixões SC – Futebol, SAD chegou a acordo com Avtandil Ebralidze, conhecido no universo…

Publicado por Leixões SC – Futebol, SAD em Terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Avto – Aquele que costuma ser um dos jogadores mais influentes do Leixões esteve totalmente apagado em jogo. Apanhado na curva, devido à falta de critério ofensivo da equipa, Avto já teve dias melhores.

 

ANÁLISE TÁTICA – LEIXÕES SC

José Mota, de regresso ao banco após um período de isolamento devido a infeção por COVID-19, optou por um 4-3-3. Beto voltou às redes, depois de, à semelhança do treinador, também ter estado infetado. A linha defensiva manteve-se composta pelo capitão Pedro Pinto e Brendon, com as laterais asseguradas por Lucas Lopes e Tiago André.

O meio-campo foi assumido pela muralha Nduwarugira, Bruno Monteiro e Joca Samuel. No apoio a Nenê, estiveram Avto e Jefferson Encada.

 

ONZE INICIAL E PONTUAÇÕES

Beto (5)

Tiago André (6)

Pedro Pinto (6)

Jefferson Encada (6)

Nenê (5)

Nduwarugira (6)

Avto (4)

Lucas Lopes (6)

Bruno Monteiro (5)

Joca Samuel (5)

Brendon (6)

SUBS UTILIZADOS

Sapara (6)

Rodrigo (6)

Belkheir (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – FC AROUCA

Armando Evangelista alinhou a sua equipa num 4-4-2 para este encontro frente ao Leixões. Victor Braga segurou a baliza e a linha defensiva foi composta por Basso e Brunão na zona central, com apoio de Thales e Quaresma nas alas.

No setor do meio-campo, Leandro e Pedro Moreira fizeram a ligação aos avançados André Silva e Adilio, com apoio dos extremos Ofori e Arsénio.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Victor Braga (6)

Quaresma (7)

André Silva (7)

Arsénio (6)

Adilio (6)

Basso (7)

Pedro Moreira (6)

Leandro (6)

Brunão (7)

Thales (6)

Lawrence Ofori (6)

SUBS UTILIZADOS

Bukia (6)

Marco Soares (6)

Joel (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Leixões SC

BnR: Peço-lhe uma análise ao encontro e pergunto, igualmente, o que faltou à equipa para conseguir somar pontos hoje?

José Mota: Faltou marcar golos. Entrámos bem no jogo, mas o Arouca foi mais dominador. Depois do golo que sofremos, tivemos uma boa resposta. Na primeira parte, tivemos boas oportunidades para fazer um resultado completamente diferente. No segundo tempo, tentámos ser esclarecedores, mas o Arouca fechou as linhas e o futebol acabou por perder qualidade. Na minha opinião, foi um resultado injusto e ingrato. Injusto porque tivemos muito boas oportunidades e ingrato porque eu sei o quanto os meus jogadores trabalharam para mudar o rumo do jogo.

FC Arouca

BnR: Acredita que, depois do jogo que fizeram, o resultado podia ter sido mais dilatado?

Armando Evangelista: Temos de ter em conta a equipa que defrontamos. O Leixões pagou caro neste jogo. Penso que fizemos tudo o que estava ao nosso alcance e, para mim, foi um resultado justo. O 1-0 foi justo. Demonstrámos que estamos sólidos e a querer somar pontos. Procurámos vencer. Estamos bem vivos e com uma identidade presente.

Artigo revisto por Mariana Plácido