A CRÓNICA: MURALHA NDUWARUGIRA NÃO DEIXOU DESCAMBAR O RESULTADO

De volta ao Estádio do Mar, o Leixões SC recebeu a UD Oliveirense no último jogo de João Eusébio a serviço da equipa como treinador, antes da sucessão de José Mota. E o jogo começou de feição para a equipa de Matosinhos, sendo que as primeiras oportunidades de golo no jogo foram a favor deles mesmos. Depois de um canto batido sem sucesso, Avto rasgou pelo flanco esquerdo e cruzou para o remate certeiro de Nenê ao segundo poste, que conseguiu ultrapassar o guarda-redes Arthur. Sete minutos depois do apito inicial, o Leixões via-se a vencer.
Depois de abrir o marcador, o Leixões demonstrou-se a equipa mais pressionante em campo e muito mais ofensivo do que a Oliveirense. As oportunidades que apareciam eram praticamente de forma única a favor da equipa de Matosinhos, mas não conseguiam ser concretizadas com sucesso.
A primeira parte prosseguiu sem muita mais história, dado que à medida que o jogo foi progredindo, o jogo arrefeceu quase ao nível da temperatura que se sentia no estádio. As oportunidades deixaram de aparecer e a Oliveirense começou a tentar pressionar a equipa da casa, mas sem sucesso.
Depois do intervalo, a primeira ocasião de golo surgiu, mais uma vez, a favor do Leixões. Nduwarugira um passe de rotura aos 62 minutos, mas Nenê não conseguiu finalizar na melhor forma, pois a bola passou a centímetro do poste esquerdo da baliza defendida por Arthur.
No entanto, o rumo do jogo começou a inverter a favor dos forasteiros. A Oliveirense começou a pressionar, a ponto de só se ver o Leixões a defender. Depois de tanto tempo e de tanta carga pelo flanco esquerdo do campo, acabaram por nascer os frutos. Leo Bahia cruzou em direção à pequena área e Beto não conseguiu parar o cabeceamento de Lima. Deu-se, assim, o empate no marcador aos 76 minutos da partida.
Já quase ao cair do pano, a turma de João Eusébio tentou a sua sorte, após cruzamento de Rafael Furlan, mas Jota Silva enviou a bola de forma a tirar tinta ao poste esquerdo. No entanto, não foi possível e ambas as equipas saíram do Estádio do Mar com um ponto cada e “celebram” um empate a uma bola.

 

A FIGURA

 

Anúncio Publicitário

Christophe Nduwarugira é jogador da Leixões SC – Futebol, SAD. O médio do Burundi, de 26 anos, chega a Matosinhos…

Publicado por Leixões SC – Futebol, SAD em Domingo, 6 de setembro de 2020

Cristophe Nduwarugira – O jogador mais importante e influente do onze do Leixões. Todo o jogo, tanto ofensivo como defensivo, passava por Nduwarugira. Nas transições ofensivas, era ele próprio que arrastava os defesas da Oliveirense, de forma a dar espaço aos avançados do Leixões para concretizar. O dono e senhor do meio campo do Leixões.

 

O FORA DE JOGO

Lucas Lopes é o mais recente reforço do Leixões SC – Futebol, SAD. O avançado brasileiro, de 22 anos, chega a Matosinhos…

Publicado por Leixões SC – Futebol, SAD em Segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Lucas Lopes – Viu-se pouco do extremo do Leixões ao longo do encontro. Não foi tão pressionante como o jogo pedia e esteve completamente desaparecido em campo. Pedia-se mais do jogador brasileiro.

 

ANÁLISE TÁTICA – LEIXÕES SC

No último jogo ao comando da equipa do Leixões, antes de passar o testemunho a José Mota, João Eusébio optou por um 4-4-2. Beto não largou a defesa entre os postes, com a linha defensiva montada por Rafael Furlan e Edu Machado, a ocupar as alas, e na zona central alinharam Brendon e Pedro Pinto.
No meio-campo, Nduwarugira continuou a segurar na zona central e no apoio aos avançados, com Rodrigo como companheiro de setor. A linha mais avançada no campo contou com Avto e Lucas Lopes como extremos e Nenê e Rui Pedro como homens-alvo.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Beto (6)
Rafael Furlan (6)
Brendon (5)
Pedro Pinto (6)
Edu Machado (6)
Rodrigo (6)
Nduwarugira (7)
Rui Pedro (7)
Avto (7)
Lucas Lopes (4)
Nenê (7)

SUBS UTILIZADOS

Jota Silva (7)
Jota (6)
Wendel (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – UD OLIVEIRENSE

Raul Oliveira enfrentou o jogo com o Leixões montando a equipa num 3-5-2. A baliza foi defendida por Arthur e, à sua frente, a linha defensiva foi composta por três centrais: Raniel, Steven Pereira e Machado.
O meio-campo foi composto por Ono, Oliveira, e Michel, com apoio nas alas por parte de Leandro e Leo Bahia. Os homens mais avançados no terreno foram Dionathã e Jorge Teixeira.
De salientar igualmente que a Oliveirense não tinha qualquer guarda-redes ou defesa no banco de suplentes.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Arthur (6)
Raniel (6)
Steven Pereira (6)
Machado (6)
Leandro (6)
Ono (6)
Oliveira (7)
Michel (7)
Leo Bahia (7)
Dionathã (6)
Jorge Teixeira (7)

SUBS UTILIZADOS

Filipe Gonçalves (6)
Lima (7)
Bortoluzo (6)
Pedro (6)
Thalis (6)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Leixões SC
BnR: Sendo este o seu último jogo ao comando da equipa, pergunto se está orgulhoso daquilo que a mesma fez em campo e se o resultado podia ter sido outro?
João Eusébio: Tivemos uma primeira parte muito boa, e no geral, estivemos sempre por cima. Acho que o Beto não fez nenhuma defesa. Claro que pedíamos mais dos jogadores e a atitude competitiva não foi a melhor. Nota-se o cansaço, apesar de não ser desculpa, porque falta competitividade. O Leixões vai virar, porque merece, porque é um símbolo enorme e temos de perceber que todos juntos vamos dar a volta.

UD Oliveirense
BnR: Peço-lhe uma análise ao jogo e pergunto como se está a sentir a equipa e o que se diz a estes jogadores, dado este seguimento de resultados?
Raul Oliveira: Foi um jogo bastante equilibrado. O Leixões acaba por fazer o golo muito cedo no jogo. A partir daí o jogo mudou, tivemos de assumir. O rumo do jogo estava a ser dececionante para nós e, quando fizemos as alterações, a equipa conseguiu ser superior e estivemos muito próximos da vitória. Não estamos satisfeitos com o resultado, queríamos ganhar, mas foi um ponto conquistado num campo difícil. Obviamente que, estando quase há dois meses sem ganhar, os jogadores estão ansiosos. Os níveis de confiança não estão os melhores, houve jogos em que podíamos vencer. Mas acredito que vamos ganhar e mudar a série de resultados. Não estamos mortos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome