Lito Vidigal foi sempre um nome conhecido no futebol português: de 1991 a 2002 jogou no SC Campomaiorense (quatro épocas) e CF “Os Belenenses” (sete temporadas). Para além disso, assumiu-se sempre como uma peça importante nas respetivas equipas.

Lito começou a treinar logo depois de ter “pendurado as botas”. A sua primeira aventura teve lugar no Elvas CAD, mas foi preciso esperar até 2013 para o angolano começar a ser conhecido pela sua carreira enquanto treinador.

Lito Vidigal terminou a época 13/14 com 7 jogos na equipa do Belenenses e fez a temporada seguinte no mesmo clube: as 14 vitórias nos 35 jogos permitam o sexto posto da tabela classificativa e um lugar europeu. Após uma época de sucesso, as divergências com a direção dos azuis aumentaram e levaram mesmo à rutura: o técnico abandonou o Restelo e rumou a Arouca.

Como arouquense, Lito fez história: 54 pontos, quinto classificado do campeonato e o Arouca FC pela primeira vez na Europa.  Foi também neste ano que o sempre polémico Lito voltou “a fazer das suas”. A 8 de novembro de 2015, em jogo a contar para a décima jornada da liga portuguesa, a equipa de Lito empatava a zero com o Sporting de Jorge Jesus e aos 88 minutos e o técnico para protestar entrou dentro do relvado numa tentativa de “queimar” tempo. Foi empurrado por Naldo, antigo defesa central leonino, e ambos receberam ordem de expulsão de Cosme Machado. Minutos depois, Slimani marcou e fez com que o Arouca sofresse a segunda derrota no campeonato.

Com história feita nessa época, o antigo jogador começou a época 16/17 ao serviço dos arouquenses e foi derrotada na eliminatória da Liga Europa pelo Olympiacos. Porém, não concluiu a época em Portugal. Em fevereiro, depois de ter perdido 3-0 frente ao Benfica na 21ª jornada, Lito deixou o Arouca na décima posição e viajou até Israel para comandar a equipa do Maccabi Tel Aviv.

O campeonato português é, de facto, onde Lito melhor expressa as suas capacidades
Fonte: Boavista FC

Porém, as coisas não correram bem ao técnico no estrangeiro e oito meses depois, em outubro, o CD das Aves foi a nova casa desta icónica personagem do futebol português. Contudo, a vida na Vila das Aves não correu bem a Lito: o treinador foi apanhado de surpresa e em janeiro, ou seja, três meses depois de ter sido contratado, e após ter levado o clube à meia final da Taça de Portugal, foi demitido por Luiz Andrade, presidente da SAD do Desportivo das Aves.

Todavia, o valor e a competência de Lito voltaram a falar e foi só preciso esperar quatro meses para ver outro clube a apostar no técnico: desta feita, o Vitória Futebol Clube. Rumou a Setúbal e não o sucesso não foi, de facto, uma realidade: em 24 jogos, foram sete vitórias, cinco empates e 12 derrotas. Após nove jogos sem vencer, no mês de janeiro Lito foi despedido e nesse mesmo mês rumou ao Bessa. Como treinador do Boavista, Lito Vidigal voltou mesmo ao sucesso: salvou o clube da despromoção, pôs a equipa a praticar bom futebol e conseguiu ainda o oitavo posto da tabela classificativa.

Lito Vidigal é um grande conhecedor do futebol português. Para além de taticamente ser bastante evoluído no que diz respeito à preparação do jogo, assume sempre jogadores coqueluches nas suas equipas que acabam por ser preponderantes. Estará Lito pronto para um voo maior?

Foto de Capa: Vitória FC

Comentários