Luís Manuel Ribeiro Castro, 3 de setembro de 1961, Mondrões (Vila Real).

Luís Castro é um treinador português que se tem vindo a demarcar dos seus pares tanto dentro como fora das “quatro linhas”. Adepto do futebol atrativo e de mentalidade ofensiva, o transmontano de 56 anos é já um dos nomes incontornáveis, no que a técnicos lusos diz respeito, devido ao percurso ascendente que a sua já longa carreira tem vindo a seguir.

Luís Castro fez a sua estreia como treinador principal ao serviço do FC Penafiel, em setembro de 2004. Ao serviço dos Durienses permaneceu não mais que um ano e meio, tendo alcançado um registo pouco positivo (15 vitórias; 13 empates e 38 derrotas).

Aos Rubro-Negros seguiu-se o FC Porto, clube no qual desempenhou a função de coordenador do departamento do futebol jovem, cargo que exerceu até 30 de junho de 2013. Seguidamente, regressou ao banco de suplentes, passando a orientar a equipa B do FC Porto. Ao comando da formação secundária dos Dragões, protagonizou um excelente registo (18 vitórias; seis empates e oito derrotas). O bom trabalho desenvolvido levou a que assumisse, de forma interina, as rédeas da equipa A, passando a ocupar a vaga deixada pela saída de Julen Lopetegui (atual selecionador de Espanha). Como treinador da equipa principal dos Azuis e Brancos, o técnico transmontano viria a totalizar 16 jogos obtendo o registo de nove vitórias, um empate e seis derrotas.

Em seguida, voltou para a equipa B e, por lá permaneceu, até novembro de 2016, dando sequência ao bom trabalho que iniciara, em 2013.

Luís Castro está preparado para dar mais um passo em frente na sua carreira
Fonte: Vitória SC
Anúncio Publicitário

Regressou à primeira liga, pelas portas do Rio Ave FC, onde alcançou um honroso sétimo lugar, mas mais que isso deixou a “marca” do seu futebol, atrativo e, acima de tudo, “sem medo” de arriscar. A crença nestas premissas permitiu ao emblema vilacondense potenciar futebolistas como Filip Krovinovic, Hélder Guedes ou Gil Dias.

Na temporada passada, orientou o CD Chaves ao comando do qual, apesar do mau começo (alcançou, apenas, um ponto nas primeiras cinco jornadas da Liga NOS) se manteve fiel à sua ideia de jogo, concluindo a prova no sexto lugar com 47 pontos.

A este desafio em Trás-os-Montes segue-se um, ainda, mais exigente no “Castelo”, ao serviço de um dos mais prestigiados clubes portugueses, o Vitória Sport Clube.

Foto de Capa: Vitória SC

Comentários