A CRÓNICA: LUSITANO SEM IDEIAS, CANELAS APROVEITOU AS FALHAS

Um duelo de extremos com o lanterna vermelha da Série D do Campeonato de Portugal, o Lusitano FC de Vildemoinhos, ainda sem vitórias, a receber o líder invicto da competição, o CF Canelas 2010.

O jogo começou com as equipas a dividirem a posse de bola e o controlo de jogo, mas longe das duas balizas. Só aos dez minutos, houve o primeiro remate e primeira oportunidade de golo e para o lado dos visitantes. Saldanha cruzou e a bola se não fosse Ruca a bola para a frente, ela tinha ido para a baliza. Na sequência, Fábio Rola chutou para uma defesa a dois tempos do guarda-redes do Lusitano.

O Canelas passou a mandar mais no jogo, mas as oportunidades só voltaram a surgir no último quarto de hora da primeira parte. À passagem da meia hora, Onyeka rematou contra um defensor do Lusitano e a bola sobrou para Fábio Rola, que já dentro da área rematou rasteiro para defesa fácil de Ruca. O golo para o líder da competição acabaria por surgir já à beira do intervalo. Chico marcou o livre ainda perto do meio campo para a área e Rafa Silva, na tentativa de aliviar a bola, cabeceou para dentro da baliza, aos 42 minutos.

Anúncio Publicitário

O Lusitano iniciou a segunda parte com mais posse de bola, num domínio aparentemente consentido pelo Canelas. Braz entrou para reforçar o ataque da equipa da casa, mas sem haver nenhum perigo para a baliza de Raphael Mello.

À medida que os minutos foram passando, o Canelas voltou a ter mais posse de bola e a avançar no terreno. Aos 62 minutos, num cruzamento quase perfeito de Saldanha, o recém-entrado Alex Tank respondeu com um cabeceamento no coração da área. Ruca teve de se esticar para defender a bola junto ao poste esquerdo da baliza.

O segundo acabaria por chegar através de uma grande penalidade. Atrapalhação na defesa do Lusitano, com a bola ressaltar e a sobrar para Francisco Sousa que isolado dentro da área é derrubado, segundo o árbitro. Bola para um lado, guarda redes para o outro, Alex Tank converteu o penalti e tornou a vantagem mais confortável dos visitantes, aos 64 minutos.

O melhor que o Lusitano conseguiu fazer foi fazer o primeiro remate, num livre em zona frontal junto à grande área, com Hélder Rodrigues a rematar rasteiro para defesa incompleta de Raphael Melo.

Mesmo nos últimos minutos mais avançado no terreno de jogo, a equipa de Vildemoinhos não conseguiu criar perigo e foi o Canelas quem mais perto esteve do terceiro, na sequência de um contra-ataque. Os da casa acabariam mesmo por ficar reduzidos a dez, pela expulsão por vermelho direto de Rafa Silva, aparentemente por palavras ao árbitro.

Vitória justa para o Canelas, que conta com cinco vitórias em cinco jogos. Já o Lusitano mantém-se em último lugar da série D, com apenas um ponto conquistado.

 

A FIGURA

Goloooo Chico

Publicado por C.F. Canelas 2010 em Domingo, 15 de novembro de 2020

 

Francisco Sousa – Não foi pelo seu lado que o ataque do Canelas recorreu a maioria das vezes, em especial no primeiro tempo. No entanto, o extremo esteve nos dois golos do Canelas e não se escondeu do jogo. Bombeou para dentro da grande área, o livre que levou ao primeiro golo da partida e foi ele que sofreu a falta para a grande penalidade que deu o segundo.

O FORA DE JOGO

CAMPEONATO DE PORTUGAL – ÉPOCA 2020/2021
“Luís Almeida, o herói da 1ª manutenção no Campeonato de Portugal, está de…

Publicado por Lusitano Futebol Clube em Sexta-feira, 29 de maio de 2020

 

Luís Almeida – Presa fácil no ataque para a defesa do Canelas, acabou por nem sequer se aproximar da baliza adversária com bola. Acabou por fazer autogolo, num lance que tentou aliviar a bola para a linha de fundo e introduziu-a na baliza. Ficou nos balneários ao intervalo.

 

ANÁLISE TÁTICA – LUSITANO FC DE VILDEMOINHOS

Rogério Sousa apostou no 4-4-2 com Luís Almeida e Anael, na frente, sem uma referência ofensiva, e apostando na rapidez de ambos. Na segunda parte a perder, o treinador apostou em Braz, para o e transformou o esquema tático em 4-3-3. Hélder Rodrigues que estava recuado no meio campo avançou no terreno, ficando no lado direito e juntou-se a Anael, pela esquerda, e Braz, no ataque.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ruca (6)

Gonçalo Lixa (6)

Leo Dias (5)

Raphael Almeida (5)

Rafael Silva (5)

 Adilson (6)

Mauro (5)

Landry (5)

Anael (6)

 Hélder Rodrigues (6)

Luís Almeida (5)

SUBS UTILIZADOS

Braz (6)

Calico (6)

Jack (-)

Tiago Almeida (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – CF CANELAS 2010

Tiago Margarido apostou num 4-3-3, com Francisco Sousa, do lado esquerdo, Onyeka, pelo centro, e Fábio Rola, pela direita. Os visitantes atacaram, principalmente, pelo lado direito, na primeira parte, usando muito as combinações entre Ruben Saldanha e Fábio Rola. Na segunda parte, Tank entrou para o lugar de Onyeka, mas a estrutura não mudou.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Raphael Mello (6)

Luís Simão (7)

Leo Araújo (7)

Nando (7)

Vítor Fonseca (7)

Zid (7)

Saldanha (8)

Samu (7)

 Onyeka (6)

Fábio Rola (7)

Francisco Sousa (8)

SUBS UTILIZADOS

 Alex Tank (7)

Mohamed (6)

Bruno Costa (6)

Balanta (6)

Emerson (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Lusitano FC de Vildemoinhos

BnR: À partida, o Lusitano pretendia dar a iniciativa do jogo ao adversário, apostando no contra-ataque?

Rogério Sousa: Nós quisemos disputar o jogo. Sabíamos que o Canelas está com bastante confiança, está em primeiro. Era um jogo do primeiro contra o último e tínhamos de ter algum respeito. A posse de bola, parece que não foi por aí. O Canela teve alguma posse, mas parece-me que não tenha criado grandes situações de perigo. O jogo foi um bocadinho dividido na primeira parte. Nós não críamos muito, mas eles também não criaram.

O [primeiro] golo foi pura sorte. Não fizeram muito por isso. Meteram a bola na área e os nossos jogadores é que acabaram por fazer o golo. Por isso, não me parece que nós tenhamos dado muito espaço. Agora, sabemos que quem vai em primeiro, tem bastante confiança e sabíamos que, com bola, tem muito mais confiança do que nós. Penso que isso é normal.

CF Canelas 2010

BnR: O Canelas atacou, principalmente, pela direita, em especial na primeira parte. O objetivo era aproveitar as fragilidades do Lusitano, por esse lado?

Tiago Margarido: Nós tínhamos uma estratégia do jogo que era entrar mais pelos corredores. Daí a sensação de na primeira parte temos atacado pelo lado direito, mas depois, na segunda parte, não se verificou tanto. Alternámos mais pelo lado esquerdo e, depois também surgiu o penalti. O objetivo do jogo foi explorar os corredores, sem dúvida.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome