Há um ano, se alguém falasse no nome Carlos Vinícius Alves Morais, um jovem avançado brasileiro de 22 anos que acabara de chegar a Portugal proveniente do Grêmio Esportivo Anápolis, para ingressar no Real Sport Clube, formação da cidade de Queluz (concelho de Sintra) que, na temporada anterior (2016/2017), havia assegurado uma histórica promoção à Segunda Liga, poder-se-ia estar a fazer referência a apenas mais um dos muitos futebolistas e, em particular, avançados brasileiros que desembarcam no nosso país, oriundos das divisões secundárias daquele país e que passam, sem distinção, por terras lusas.

No entanto, o emprego do condicional do verbo ‘poder’ elucida que, após uma época de sucesso no Real SC (38 jogos; 20 golos; cinco assistências) que motivou, inclusive, a sua venda para o SSC Napoli, a troco de quatro milhões de euros, em janeiro, a desconfiança em torno da sua valia se começou a esfumar.

Rio Ave FC – Uma (apelativa) montra para italiano ver

A forte concorrência a que estaria exposto caso permanecesse nos Partenopei, devido à presença do incontornável Dries Mertens e do internacional polaco, Arkadiusz Milik, aliada à falta de experiência do futebolista em competições de maior prestígio, levou a que os responsáveis do clube napolitano definissem que o mais acertado a fim de Carlos Vinícius prosseguir a sua evolução ao mais alto nível, seria a sua saída a título de empréstimo.

Anúncio Publicitário

Por conseguinte, um regresso a Portugal e o ingresso no primodivisionário Rio Ave FC, um clube que, por norma, tem procedido à valorização de diversos futebolistas ao longo das últimas temporadas – vejam-se, a título de exemplo, os casos mais recentes de Pelé Gomes (AS Monaco), João Novais (SC Braga) ou Krovinović (SL Benfica) foi entendido como a melhor solução com vista a satisfazer as pretensões de ambas as partes: jogador e clube.

Vinícius & Galeno

A dupla mais rentável da história do Grêmio Esportivo Anápolis pretende continuar a render junta, agora em Vila do Conde
Fonte: Promosport

O passado mercado de verão revelou-se particularmente proveitoso para o Rio Ave FC, em especial no que concerne à chegada de reforços. Desembarcaram em Vila do Conde, futebolistas de inegável qualidade, como o internacional A português Fábio Coentrão, o avançado Bruno Moreira ou o médio brasileiro João Schmidt. A estes juntaram-se alguns jovens promissores, destinados a afirmar-se no futebol português ao mais alto nível e, nesse prisma, enquadram-se os ingressos dos avançados Carlos Vinícius (23 anos) e Wenderson Galeno (emprestado pelo FC Porto; 20 anos).

Ora, em torno dessa dupla, reside uma curiosidade: o facto de ambos os jogadores terem chegado a Portugal provenientes do Grêmio Esportivo Anápolis, na condição de vendas mais caras da história do emblema do estado de Goiás. Recorde-se que Galeno foi adquirido, em julho de 2017, pelo FC Porto por um milhão e quinhentos mil euros, constituindo a maior transação efetuada por aquele clube. Já a venda de Carlos Vinícius é descrita, pelo sítio oficial do Azulão Anapolino, como a ‘segunda transação mais elevada’, ainda que não sejam conhecidos mais detalhes da sua transferência para o Real SC.

Para já, uma boa caminhada

A nível desportivo, o rendimento de ambos está a ser positivo. No caso de Galeno, tem vindo a superar as melhores previsões, com o extremo a revelar-se um dos futebolistas mais influentes no ataque vila-condense.

Já Carlos Vinícius (totalizou, até agora, 294 minutos de utilização em todas as competições), tem ganho destaque os últimos encontros referentes à Primeira Liga – apontou os dois golos que permitiram garantir o triunfo ante o Boavista FC, na última jornada da prova. No total, em quatro jogos disputados, repartidos por duas competições (Liga e Taça da Liga), o avançado de 23 anos fez outros tantos golos e efetuou uma assistência, sendo, presentemente, o melhor marcador da formação orientada por José Gomes no principal escalão do futebol português.

Em suma, é caso para se dizer que, se dúvidas houvessem em relação ao potencial deste interessante avançado, o (atual) desenrolar dos acontecimentos deixa antever que, mais tarde ou mais cedo, as mesmas acabarão por se dissipar. Se, efetivamente, o registo goleador de Vinícius perdurar, o Rio Ave FC e o futebol português só terão a ganhar.

Foto de Capa: Liga Portugal

Comentários