Muitos talentos passaram pelo Grupo Desportivo de Chaves nos últimos anos, mas poucos tiveram a influência que o central sérvio Nikola Maras tem no plantel transmontano. Chegado a Portugal no deadline day do verão de 2017, proveniente do Rad Belgrado, Maras cedo conseguiu a titularidade na equipa orientada por Luís Castro, fazendo valer os cerca de 500 mil euros que os flavienses pagaram pelo defesa.

Com apenas 23 anos, Nikola Maras já joga Futebol de primeira desde os 17 anos, altura em que se estreou pelo Rad, clube onde se formou na Sérvia. Com apenas 21 anos, mas já com 87 jogos enquanto sénior e seis golos marcados no clube de Belgrado, o central estreou-se pela seleção A da Sérvia no início de 2017, num amigável sem golos contra os Estados Unidos, com Maras a fazer os 90 minutos.

Destaque num Chaves que lutou até à última por uma ida à Europa, Maras fez uma dupla de qualidade com o internacional sub-21 português Domingos Duarte, emprestado pelo Sporting CP, e chegaram a correr rumores do interesse do SL Benfica na aquisição do defesa sérvio, mas nenhuma proposta concreta chegou ao Municipal de Chaves.

Esta temporada não tem sido fácil para os flavienses, mas o central continua em destaque na recuperação na Primeira Liga, sendo o patrão da defesa e uma das peças fundamentais dos agora comandados por José Mota, já com 23 jogos oficiais e um golo marcado.

Nikola Maras foi considerado o homem do jogo frente ao CD Aves, na última jornada da Primeira Liga
Fonte: GD Chaves

Com duplas feitas com jogadores como Domingos Duarte, Nuno André Coelho, Marcão ou Hugo Basto, Maras é sempre destaque por ser o chefe da defesa transmontana, fechando os caminhos para a baliza, saíndo a jogar e, quando preciso, subindo às alturas nas bolas paradas à procura de um golo, raramente cometendo erros na zona defensiva. A sua importância na defesa flaviense ficou comprovada durante o mês e meio que esteve de fora por lesão, altura em que o Chaves apenas venceu o CD Santa Clara, para a Taça de Portugal.

A cumprir a segunda temporada na Primeira Liga e com uma cláusula de seis milhões de euros, não deixa de ser estranho que nenhum dos três grandes tenha feito algum esforço para conseguir o central, sendo mais certo que Maras acabe por ser vendido a um clube estrangeiro, tal como aconteceu com Marcão e Stephen Eustáquio no último mercado de inverno.

 

Foto de Capa: GD Chaves

Comentários