Cabeçalho Futebol Nacional

Se não leste o e-mail de Pedro Emanuel para Jorge Simão, podes fazê-lo AQUI, de forma a que seja mais fácil entender as palavras do técnico axadrezado neste e-mail secreto enviado na madrugada de Sábado a Pedro Emanuel. Aquando do e-mail, Pedro Emanuel era ainda o treinador da equipa canarinha.

Olá, Pedro. Não deves estar a estranhar o e-mail que agora te envio como resposta ao que me havias enviado esta semana. A verdade é que pensei em não responder ao teu e-mail, até porque o resultado foi a resposta mais correcta ao mesmo.

Ainda assim, e mesmo cansado (sim, são quase 4 da manhã), não consegui evitar. Já que não deu para trocar umas palavras no fim do jogo… (o que iria a imprensa especular se nos visse mais que trinta segundos a conversar? Dava logo para inventarem aí umas seis ou sete histórias diferentes).

Pois é, por falar em seis ou sete, esse era o teu número de derrotas até hoje não era? Afinal agora são oito. Desculpa lá mas esta estava mesmo a jeito. Já a minha mãe me dizia quando eu era pequeno: “quem muito fala, pouco acerta”.

Durante o jogo lembrei-me das tuas palavras sobre os “calmeirões” e a “besta”. E tens razão Pedro! Eu adoro sempre ter no onze uns calmeirões, uma besta no meio campo, e também uma Carraça e um Espinho para ir picando o adversário de vez em quando. Engraçado que hoje até a Carraça picou as redes adversárias.

É pá ó Pedro… Explica-me lá uma coisa. Não achas que é muito brasileiro do meio campo para a frente? Não sou ninguém para te dar dicas, mas aquele pessoal todo, quase todos idênticos na forma de tratar a bola, fazem-me lembrar os gajos que passam os dias a fazer peladinhas nas areias das praias brasileiras, e com os quais eu me fartava de rir quando tive a sorte de ter visitado esse belo país.

Não sei se reparaste que, quando fizemos o 3-0 (se calhar não e, se tiveres hipótese, vê na TV),  senti que os três pontos estavam no bolso; se bem que nunca, desde o 2-0, acreditei que os não levávamos da Amoreira. Pois é, quando foi o terceiro golo eu festejei bastante, e não com um ar altivo ou superior como consideraste que às vezes demonstro.

Sabes, na realidade eu não estava só a festejar: estava a rir. Porque logo me recordei do teu e-mail a dizer que o Estoril ia ganhar aquele jogo. E não consegui evitar, foi mais forte que eu.

Kuca, passou em Portugal por clubes como Arouca, o Rio Ave e também o Estoril a quem marcou na passada sexta-feira um golo de belo efeito Fonte: Boavista Futebol Clube
Kuca, que já passou pelo GD Estoril-Praia, marcou na passada sexta-feira um golo de belo efeito no regresso ao Coimbra da Mota
Fonte: Boavista FC

E assim me preparo para ir dormir que já são horas. Deixo-te um abraço, desejar que tenhas sucesso no teu Estoril, que aguentes esta má fase como tenho a certeza que o farás, e que consigas dar a volta por cima. E dizer-te que foi um prazer esta “mini” troca de e-mails. Espero que um destes dias possamos “dar dois dedos de conversa” ou até beber um copo; eu prometo que não te vou trocar por uma miúda que que possa lá estar sozinha a beber um copo… Hahahaha.

Agora que falei nisso lembrei-me de uma coisa: naquela história que contei na época passada na sala de imprensa sobre a tal gaja que estava comigo a beber copos? Lembras-te? É pá… Eu acho que desta vez tu é que podias ser o Jorge Simão e eu o gajo que apareceu lá às tantas. Afinal quem marcou golo hoje fui eu. Ou golos. Vocês só andaram ali à volta, à volta e nada. Nem um golinho.

Bom, agora é que vou mesmo.

Foi um gosto

Jorge Simão

Foto de Capa: SC Braga

Artigo revisto por: Beatriz Silva

Comentários