Cabeçalho Futebol Nacional

Não existem dúvidas de que a pré temporada é um factor bastante importante tendo em conta o desempenho que uma equipa poderá ter ao longo de uma época. É aqui que o treinador conhece os novos jogadores, analisa as suas competências e lacunas, e adapta as suas ideias da conceção do jogo de modo a delinear os princípios de ação que pretende que a sua equipa venha a seguir, e de modo também a definir o seu plantel. Tentará também perceber o potencial que cada jogador terá para reduzir as suas lacunas e potenciar os seus pontos positivos, perspetivando até que nível este poderá chegar no decorrer da época.

Então o que será mais importante, promover experiências, observar as respostas de determinados jogadores, ou apostar na consolidação de processos? As duas detêm uma enorme importância, e não deverão nunca ser vistas de modo dissociado. Tendo o treinador uma conceção prévia do que deverá ser o jogo da equipa, este deverá começar a aplica-la em contexto de treino. Aí, terá a possibilidade de diagnosticar a resposta de cada jogador, a forma como estes poderão ou não conseguir interpretar a sua ideia de jogo e as particularidades que poderá modificar, de modo a definir princípios de jogo que possam explorar e potenciar os pontos fortes dos jogadores que tem à sua disposição.

Jorge Jesus foi um dos treinadores que testou vários esquemas tácticos nos vários jogos de pré-época Fonte: amorsporting.com
Jorge Jesus foi um dos treinadores que testou vários esquemas tácticos nos vários jogos de pré-época
Fonte:Sporting CP

Numa perspetiva dinâmica, o diagnóstico e a operacionalização deverão estar em constante sintonia, e existirem concomitantemente no processo do treino. Ao operacionalizar está-se simultaneamente a diagnosticar, para que a próxima operacionalização possa ser otimizada. Assim, o modelo de jogo do treinador estará em constante evolução, sempre tendo em conta os indicadores que for recebendo por parte da sua matéria-prima, os elementos do plantel. Nesta fase da época, a realização de jogos particulares, com importância “desprezável” relativamente a resultados e com a possibilidade de substituições ilimitadas (ou em quantidade superior ao habitual), permite ao treinador obter esse diagnóstico em contexto de competição, tendo assim a oportunidade de uma análise mais lata.

Portanto, a consolidação de processos e as experiências deverão ambas fazer parte do processo de treino nesta fase inicial da época, pois só assim o treinador poderá retirar o melhor da sua equipa e prepará-la para aquilo que poderá fazer ao longo da competição.

Foto de Capa: Liga de clubes

Comentários