No passado domingo, o Atlético Clube de Portugal, mítico clube Lisboeta de Alcântara, garantiu a segunda subida de divisão consecutiva. Perante o ADCEO, com quase 2 mil pessoas nas bancadas do Estádio da Tapadinha, o Atlético CP venceu por 2-1 e garantiu assim, a quatro jornadas do fim, a tão desejada subida de divisão da Honra para a Pró Nacional.

O jovem plantel do Atlético CP (a média ronda os 22 anos) “despachou” a subida de divisão com 22 vitórias em 26 jogos, tendo empatado três vezes e perdido apenas um jogo. Para além disso, são também o melhor ataque e defesa do campeonato, o que prova o valor da equipa, que cedo provou ter nível a mais para estas andanças.

No arranque da temporada, o discurso do presidente, Ricardo Delgado, e do treinador principal, Carlos Alves (filho do histórico João Alves, atualmente timoneiro da Académica OAF), passava pela subida ao Campeonato de Portugal nos próximos dois anos, ou seja, esta subida da Divisão de Honra não significa um sentimento de missão cumprida, mas sim de uma etapa concluída rumo à verdadeira meta do clube: regresso ao Futebol nacional em agosto de 2020.

Carlos Alves foi o escolhido para liderar a equipa até aos campeonatos nacionais
Fonte: Atlético CP

O clube, depois de baixar à última divisão do Futebol português após diferendo com a SAD, reergueu-se sob a batuta de uma presidência e estrutura responsáveis, que estão a limpar a imagem do clube, dando-lhe um verdadeiro futuro. Apesar da passagem pela Segunda Liga Portuguesa ter sido recente, o clube foi constantemente noticiado e associado a situações menos positivas. Desde manutenções garantidas na secretaria, a problemas financeiros, salários em atraso… e até ao facto de a SAD ter sido associada a um escândalo de apostas. O clube entrou numa espiral negativa e a rotura total com a SAD foi a resposta para salvar a reputação social e estofo desportivo do Atlético CP.

Anúncio Publicitário

Essa reputação e estofo estão cada vez mais blindados. O clube dá sinais de vida, assente numa equipa orientada por um técnico experiente (conseguiu a sexta subida da carreira), com jovens valores de grande qualidade do distrito que prometem lutar pela subida na Pró Nacional da próxima temporada.

Momento do golo aos 84 minutos, que carimbou a subida de divisão
Fonte: Atlético CP

O Atlético Clube de Portugal tem um potencial enorme, localizado numa zona privilegiada, e tem como base um passado de sucesso, que o tornou um dos melhores clubes nacionais. Finalmente, o emblema consegue projetar o futuro com responsabilidade, visão e muita vontade de triunfar. Um histórico que promete voltar, rodeado de um ambiente de positividade e esperança, reunindo, pouco a pouco, condições para que o clube suba e permaneça por muitos anos nas principais ligas nacionais. Para já, os sinais são extremamente positivos, e as quase duas mil pessoas que embelezaram a subida de divisão no passado fim de semana provam-no.

O Atlético Clube de Portugal já garantiu a subida e está a apenas um ponto de garantir o primeiro lugar da série 2 da Divisão de Honra, que lhe dará lugar à finalíssima com o primeiro classificado da série 1 na disputa do título de campeão. Até lá, os Alcantarenses têm quatro jornadas para garantir esse ponto em falta e preparar a equipa da melhor forma para o ataque ao título.

 

Foto de Capa: Atlético CP

Artigo anteriorPor amor de Deus, não despeçam Luís Castro
Próximo artigoPortugal bem encaminhado, mas ainda não qualificado
O Rúben é um verdadeiro apaixonado pelo futebol, sem preferência clubística. Adepto do futebol, admira qualquer estratégia ou modelo de jogo. Seja o tiki taka ou o catenaccio, importante é desfrutar e descodificar os momentos do jogo e as ideias dos técnicos. Para ele, futebol é paixão, trabalho, competência, luta, talento, eficácia, etc. Tudo é possível, não existem justos vencedores ou injustos perdedores, e é isto que torna o futebol um desporto tão bonito.                                                                                                                                                 O Rúben escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.