Anterior1 de 4Próximo

Num jogo quase de sentido único, o Rio Ave recebeu e bateu o Boavista por 2-1, mantendo-se no pelotão da frente. Vinícius levou os vilacondenses para o intervalo a vencer por 2-0 e os axadrezados, que jogaram uma hora com menos uma unidade e terminaram com nove, só no final conseguiram reagir.

Na estreia de Fábio Coentrão, José Gomes surpreendeu e colocou o internacional português no lado direito do ataque. Já Jorge Simão efetuou três alterações relativamente ao onze que defrontou o Chaves.

Quanto ao jogo, o início foi aguerrido e foi o Boavista a dispor da primeira oportunidade. Rochinha, que vinha sendo o jogador em destaque, isolou Rafael Lopes com um grande passe, mas o remate do avançado saiu frouxo.

Do outro lado, o Rio Ave, que ia tendo mais bola, procurava responder e chegou ao golo aos 15 minutos. Falha incrível de Sparagna, que falhou uma receção de bola em zona proibida, e Vinícius, solto nas costas da defesa adversária, a fintar Helton e a empurrar para o 1-0.

O golo fez bem à equipa da casa e, já depois de Galeno, num disparo de longe, ter ficado perto de ampliar, Vinícius atirou à barra. O avançado brasileiro trabalhou bem sobre Sparagna já na área, mas, frente a Helton, atirou contra o travessão.

As coisas ficaram ainda mais complicadas para o Boavista à passagem da meia hora quando Sparagna viu o vermelho direto. Vinicius apareceu novamente solto nas costas da defesa axadrezada e o central, na procura do corte, acaba por rasteirar por trás o avançado e receber ordem de expulsão.

O cenário já era muito negro para a equipa de Jorge Simão, mas as coisas ainda se agravaram mais quando, perto do intervalo, o Rio Ave ampliou para 2-0. Diego Lopes isolou Vinícius com um toque sublime e o avançado bateu Helton de novo, chegando ao segundo da conta pessoal.

Vinícius fez uma exibição quase perfeita
Fonte: Liga Portugal

Já no segundo tempo, o Rio Ave entrou a controlar com bola e só Galeno, numa arrancada individual, criou perigo, mas Helton respondeu à altura.

Mas, numa altura em que o jogo estava adormecido e os minutos iam passando, o Boavista chegou ao golo de forma algo surpreendente. Leo Jardim escorrega na altura de responder a um atraso de Nadjack e deixa a bola à mercê de Rafael Costa, que dispara contra o guardião da casa. No entanto, na sequência do lance, Carraça bate o canto para Rafael Lopes que, mais alto que toda a gente, cabeceia para o 2-1.

O Boavista animou com o golo e, apenas dois minutos depois, Rafael Costa podia ter empatado de livre direto, mas o disparo do brasileiro bateu com estrondo na barra.

Os axadrezados estavam a crescer no jogo, mas sofreram nova contrariedade em cima do minuto 80. Choque de cabeças entre Rafael Lopes e Buatu e o jogador do Boavista a cair inanimado no relvado, com os jogadores de ambos os conjuntos a pedirem intervenção rápida das equipas médicas.

O avançado acabou por sair de ambulância, depois de assistido pelos bombeiros, e os axadrezados viram-se obrigados a terminar a partida com apenas nove unidades, o que dificultou o assalto final à baliza do Rio Ave.

Anterior1 de 4Próximo

Comentários