Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Futebol Nacional

O Beira-Mar recebeu esta tarde o colectivo da Mealhada no mítico Estádio Mário Duarte. Numa tarde de sol e calor, os auri-negros voltaram a compor as bancadas do “velhinho” e mostraram mais uma vez o sentimento de paixão existente pelo clube aveirense.

A equipa da casa chegou a este jogo (vigésima sétima jornada) na quinta posição, da primeira divisão distrital de Aveiro, depois de não triunfar desde o primeiro jogo do mês de Março (deslocação ao Romariz FC) enquanto que o colectivo da “terra dos leitões” é o último classificado da divisão em questão. O Mealhada venceu apenas 1 encontro, empatou 4 e perdeu os restantes mais de 20 jogos da época. Olhando para as convocatórias, a equipa da cidade de Aveiro chegou ao presente dia com 9 ausências confirmadas. Entre elas está o nome de Diogo Melo, o guarda redes português lesionou-se num dos treinos semanais e foi submetido a uma cirurgia no Hospital de Aveiro. Quanto ao colectivo visitante, entra em campo com os seus habituais jogadores.

A primeira parte do jogo mostrou um caudal ofensivo por parte do Beira-Mar perante o adversário. Enquanto que o Mealhada conseguiu levar a bola apenas por 3 vezes à área de Samuel Biscaia, a equipa da casa mostrou-se ser sempre a controladora da partida. O constante futebol ofensivo dos auri-negros levaram a equipa da Mealhada a apostar nas faltas agressivas que causaram dois amarelos no primeiro tempo. Depois dos primeiros 16 minutos mostrarem este ritmo constante de futebol, as redes abanaram pela primeira vez: após confusão na entrada da área da baliza do Mealhada, o médio defensivo João Pauli aproveitou com eficácia o facto de estar sozinho e marcou o primeiro. Após o golo da equipa da casa, notou-se uma quebra no ritmo do jogo e o Mealhada começou a reter a bola logo nos primeiros metros do seu campo.

Fonte: SC Beira-Mar
Fonte: SC Beira-Mar

Aos 39 minutos de jogo, chegava o segundo golo do Beira-Mar. O extremo Jorge, camisola 10, furou a defesa visitante, encostou para Cílio Sousa e o veterano jogador encostou com calma para o fundo da baliza do topo do Parque da cidade de Aveiro. Um golo que mostrou bastante categoria e experiência do famoso atleta. Se o primeiro golo do camisola 26 tinha mostrado essas suas características, precisou apenas de 4 minutos para voltar a marcar. Numa jogada pelo corredor direito, Bruno Ribeiro cruzou tenso, Cílio recebe, puxa a bola para uma zona mais central da área e coloca a bola no canto inferior direito de Francisco Simões. Decorridos assim os primeiros 45 minutos da partida, o 3-0 favorável aos Auri-Negros são justos perante os acontecimentos da partida.

A segunda parte acabou por pecar no espetáculo. Depois de 45 minutos de bom futebol, a segunda metade do jogo resumiu-se a muito futebol no centro do terreno. Com a vitória garantida por parte do Beira-Mar, a tática inicial de 4-2-3-1 passou para 4-3-3 ganhando elementos na zona central do relvado. Um futebol de passe e segurança no jogo ditou esta segunda parte. Do lado dos visitantes, o Mealhada tentou subir as suas linhas apostando até na introdução de mais um ponta-de-lança no jogo. Se os visitantes apostaram em mudanças táticas ofensivas, o técnico auto-negro Augusto Semedo aproveitou para fazer descansar alguns dos seus jogadores. O lateral esquerdo Hernâni saiu e entrou Quintino, habitual lateral da época passada. Zamorano também entrou e deu uma energia as zonas mais ofensivas do terreno. Jorge saiu das 4 linhas debaixo de aplausos depois de um jogo onde esteve presente em diversas ocasiões ofensivas.

Final do jogo no Mário Duarte, o Beira-Mar regressa aos triunfos e afunda ainda mais o Mealhada. Cílio Sousa (2 golos) e Mathieu fizeram os tentos da partida.

Foto de Capa: Bola na Rede

Anterior1 de 3Próximo

Comentários

Artigo anteriorJürgen Croy e o futebol em Zwickau
Próximo artigoAD Fafe 1-1 FC Famalicão: Empate em jogo rijo
O João é benfiquista desde que se lembra. Nascido e criado em Aveiro, com uma experiência de cinco anos de vida em Moçambique, vive em Lisboa desde Agosto de 2015. A acompanhar os jogos do Benfica desde sempre e sem falhar a presença no Estádio da Luz pelo menos uma vez por ano, desde sempre que escreve textos pessoais acerca do Benfica e sobre o futebol em geral. Com coragem para defender e criticar o clube da Luz sempre que for preciso, tem mais interesse pela arte do futebol praticado do que pelas polémicas ou aspectos que mancham o desporto rei.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.