Os Guerreiros do Minho tinham missão quase impossível pela frente para virar uma eliminatória cuja derrota por 3-0 no Dragão praticamente decidira.

Quiçá impulsionados por uma Pedreira com boa casa, não se deixaram cair no pessimismo e mostraram vontade de dar a volta, dominando por completo a primeira metade.

Logo a abrir, Paulinho ofereceu uma excelente oportunidade a Wilson Eduardo e o internacional angolano rematou bem, mas Fabiano tocou o suficiente na bola para a desviar para cima e ainda embater na barra antes de sair pela linha de fundo.

Também ainda dentro dos dez minutos iniciais, o primeiro caso da partida. Ricardo Horta fintou Militão dentro da área e a bola bateu no braço do brasileiro. Após indicação do VAR, o juiz da partida mandaria seguir.

Anúncio Publicitário

No entanto, esta entrada de rompante do Braga continuava e Paulinho colocou a bola dentro da baliza, aproveitando um bom cruzamento de Ricardo Horta e um desentendimento entre Fabiano e Felipe. Os da casa festejaram, mas o VAR anularia a decisão por fora-de-jogo de Horta.

O ritmo acalmou um pouco, mas o Braga continuava por cima. Entretanto, as principais notas eram um amarelo a Wilson por uma entrada desnecessária e o constante perder tempo do Porto na reposição de bola.

Finalmente, aos 41’, Paulinho apareceu pleno de oportunidade ao segundo poste para abrir o marcador e dar esperança à Pedreira para a segunda metade.

No retorno ao relvado, a mesma atitude e, logo a abrir, valeram as intervenções da defensiva portista num contra-ataque e sucessivo canto que quase fizeram gritar golo em Braga.

Pouco depois, nova grande defesa de Fabiano em jogada estudada e sentia-se a ameaça minhota, pelo que Sérgio Conceição foi ao banco buscar Marega para tentar dar outro rumo ao encontro. 

Danilo resolveu a eliminatória
Fonte: FPF

A verdade é que o jogo seria resolvido aos 74’ para os Dragões. Após um canto, uma falha de marcação e um Marafona que não fica propriamente bem na fotografia permitiram a Danilo cabecear para o empate, sentenciando a eliminatória.

Os arsenalistas foram-se abaixo e mostraram-se daí em diante resignados com o resultado, mesmo com a expulsão de Filipe bem perto do fim.

O FC Porto garante a presença no Jamor, onde encontrará um dos grandes rivais, SL Benfica ou Sporting CP.

Nota final e negativa para o árbitro. Além de várias decisões questionáveis e demasiada avareza nos minutos de compensação, faltou critério na amostragem de cartões, cuja atribuição ou não parecia decidida arbitrariamente. 

EQUIPAS INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

SC Braga: Marafona; Goiano (Novais 82’), Sequeira, Pablo, Bruno Viana; Ricardo Horta, Claudemir (Trincão 82’), Palhinha, Murilo; Wilson Eduardo (Xadas 70’), Paulinho

FC Porto: Fabiano; Maxi, Militão, Felipe, Manafá; Corona, Danilo, Oliver (Loum 77’); André Pereira (Marega 65’), Adrián Lopez (Otávio 55’), Fernando Andrade