Depois do empate a uma bola na Ucrânia, o SC Braga recebia em vantagem o Zorya para tentar colocar-se um passo mais próximo da fase de grupos da Liga Europa. Para isso, apenas duas alterações ao onze que derrotou o Nacional na partida inaugural do Campeonato, as entradas de Wilson e Novais por troca com Eduardo e o lesionado Claudemir.

A partida começou tranquila, mas com os arsenalistas sempre por cima e a criarem, aos seis e aos 15 minutos, as primeiras oportunidades de perigo. Na frente da eliminatória, os da casa foram-se acomodando e foram controlando a partida sem procurarem intensamente o golo. O resultado foi quase se deixarem surpreender em duas jogadas perto da meia hora de jogo, mas a defensiva resolveu.

Apesar dessas ameaças, o jogo voltaria a acalmar e o único ponto de interesse até ao intervalo seria a lesão do central Raul Silva, que teve de ser substituído pelo reforço Pablo. Assim, o jogo chegou à sua metade com o Braga a manter-se na frente da eliminatória, mas longe de reforçar essa posição.

Talvez por isso, o Braga entrou mais decidido na segunda parte e rapidamente se aproximou várias vezes da baliza adversária. Só que o jogo voltaria a abrandar, e os ucranianos a tornarem-se perigosos, com um contra-ataque perigosíssimo aos 59 minutos a só ser parado por uma boa intervenção de Matheus.  

Anúncio Publicitário
O Braga voltou a ter mais de 12 mil nas bancadas, mas ainda não alcançou o objetivo dos 15 mil por jogo
Fonte: SC Braga

Tudo pareceria mais fácil para os arsenalistas poucos minutos depois, quando Novais cobrou um livre à entrada da área e inaugurou o marcador e, no mesmo lance, o guarda-redes Luyz Philippe, que estava a ser uma das figuras da partida, se lesionou e foi substituído. O problema foi que os ucranianos apenas precisaram de cinco minutos para apanhar a defesa bracarense descompensada e Ratão fazer a igualdade no jogo e, acima de tudo, na eliminatória.

O Braga não perdeu a tempo a reagir e uma grande saída de Makharidze aos 71 minutos apenas adiou para os 73 o golo que colocaria de novo a equipa da casa na frente. Insistência na área adversária e o inevitável Ricardo Horta a marcar o seu quarto golo da época em apenas três jogos oficiais.

A partir daí, o jogo parecia controlado e Dyego até atirou uma bola ao poste, mas, já dentro dos dez minutos finais, a defesa arsenalista voltou a fraquejar e permitiu a Karavaev aparecer sozinho no coração da área e colocar, pela primeira vez, o Zorya na frente da eliminatória. O Braga foi apanhado de surpresa e não conseguiu reagir de forma organizada e de nada lhe valeu a postura correto do árbitro que não hesitou em amarelar o anti-jogo ucraniano.

Chega assim ao fim a passagem demasiado curta do SC Braga pela Liga Europa. Com este objetivo fora do caminho, aumenta a pressão para que o conjunto arsenalista responda nas provas nacionais. Já o Zorya surpreende e marca encontro com o Red Bull Leipzig do português Bruma no palyoff de acesso à fase de grupos.

SC Braga: Matheus; Diogo Figueiras (Xadas 84’), Sequeira, Bruno Viana, Raul Silva (Pablo 37’); Esgaio, Ricardo Horta, Fransérgio, Novais (Ryller 78’); Wilson Eduardo, Dyego Sousa

FK Zorya: Luyz Philippe (Makharadze 67’), Tymchyk, Vernydub, Svatok, Mykhaylichenko; Kharatin, Silas, Karavaev, Lednev (Kochergin 45’), Khomchenovskiy; Rafael Ratão (Kabaev 76’)