À sexta-feira à noite começa o descanso da maior parte das pessoas e o tempo da semana dedicado ao divertimento. Para os bracarenses, significou esta semana tempo de ir ao Estádio Municipal apoiar os Guerreiros do Minho em mais uma batalha na tentativa de se aproximarem dos três primeiros lugares do Campeonato.

Desta vez o adversário era o Moreirense, um confronto que em teoria é um derby do Minho, na prática um jogo desequilibrado entre equipas com meios e objetivos bem diferentes. Para os da casa, só interessava vencer e manter o soberbo registo caseiro na Liga que ainda só os viu perder pontos com FC Porto e SL Benfica. Já ao conjunto de Moreira de Cónegos qualquer pontinho é saboroso na luta pela manutenção.

As equipas iniciais deixavam indiciar o jogo habitual do Braga, com a equipa a querer estar por cima da partida e apostar forte ofensivamente, mantendo o onze habitual das últimas jornadas tirando a saída do central goleador Raul Silva, castigado, entrando para o seu posto Rosic. No Moreirense, sabia-se que teria de passar bastante tempo à defesa e contavam com uma das revelações do campeonato, o guardião Jhonatan para tentar aguentar os arsenalistas. De regresso à titularidade estava Alfa Semedo, outro jovem que tem vindo a afirmar as suas qualidades esta temporada.

À entrada, foram os visitantes a aproximarem-se primeiro da baliza adversária logo na primeira jogada da partida. No entanto, rapidamente o Braga deu resposta e levou uma bola ao poste de Jhonatan. Aos 17 minutos, Wilson Eduardo isolou-se na cara do brasileiro e meteu a bola lá dentro. No entanto, o árbitro refreou os ânimos ao pedir a análise do VAR sobre possível fora-de-jogo e levou com um ininterrupto coro de assobios até a decisão final confirmar a mudança no marcador.

Anúncio Publicitário

Daí para a frente, houve jogadas com algum perigo de parte a parte, mas somente já na compensação estiveram as equipas mesmo perto do golo. Primeiro, a defesa bracarense deixou um avançado verde e branco sozinho, mas este não acertou na bola. Retorqui o Braga com um cabeceamento de Esgaio à barra e na recarga Jhonatan evitou males maiores.

Ricardo Horta tirou as dúvidas a quem ainda as tinha
Fonte: SC Braga

Na segunda parte, o Braga assumiu o controlo do jogo e logo a abrir Wilson Eduardo esteve perto de aumentar a contagem. Não foi logo aí, mas com tanto domínio, era uma questão de tempo e foi aos 64 minutos que o mesmo Wilson respondeu da melhor forma como uma cabeçada a cruzamento de Paulinho. Na jogada seguinte, foi a vez de Ricardo Horta aparecer desmarcado na cara do guarda-redes e fazer o terceiro de primeira.

A partir daí, o Braga recuou um pouco e o Moreirense ainda conseguiu encontrar-se algumas vezes em posições interessantes na área, mas um par de boas intervenções de Matheus e uma boa conta de falta de discernimento na concretização acabaram por evitar mais mexidas no resultado.

Numa noite de chuva forte, nada de novo, mais uma vitória para o Braga que continua numa serie muito positiva de resultados e continua a morder os calcanhares ao Sporting. Já o Moreirense, fica vulnerável a ultrapassagens no fim-de-semana e, dependendo dos resultados de Estoril e Paços de Ferreira, arrisca-se a terminar a jornada abaixo da linha da despromoção.