Foi sorteada, na passada semana, a fase de grupos da Allianz Cup, como agora é conhecida a Taça da Liga. A terceira competição mais importante do futebol português entra na sua 12.ª edição e promete ser novamente disputada com seriedade, como tem sido apanágio nas últimas épocas, pelos grandes do nosso futebol.

Esta competição, depois de numa fase inicial ser bastante desvalorizada, agora é vista quase como uma espécie de bóia de salvamento, ao falhar objetivos mais importantes e ambiciosos (exemplo do Sporting CP que perdeu o campeonato, o apuramento para Liga dos Campeões e Taça de Portugal). Ou seja, não salva a época, mas é um “mal menor”. Não se sabe quem irá conquistar Liga, Taça de Portugal e até o um apuramento para a Champions. Portanto, os três grandes e até mesmo o SC Braga já pensam que o melhor é mesmo conquistar a Taça da Liga, para ter sempre algo para amostra.

Depois de já disputadas a primeira e segunda fases, com as equipas da II Liga e as menos bem classificadas da I Liga da época passada, chega-se agora à fase de grupos, que dará acesso à final-four. Só se apuram os primeiros classificados de cada grupo, sendo que o vencedor do grupo A cruza com o C e o B com o D.

O Sporting CP venceu a competição na época passada
Fonte: Sporting CP

No grupo A, surge o principal vencedor da competição (7 conquistas em 11 possíveis). O SL Benfica é, naturalmente, o grande favorito. Os encarnados não vencem há duas edições e, mesmo apresentando as suas segundas linhas em alguns dos jogos, devem vencer o grupo em circunstâncias normais. No entanto, se o SL Benfica apresentar segundas linhas e os restantes adversários forem a jogo com os seus melhores, o CD das Aves, atual vencedor da Taça de Portugal, e o Rio Ave FC têm uma palavra a dizer.

Anúncio Publicitário

Atenção que a única saída fora do SL Benfica será à Vila das Aves e que os vila-condenses têm como objetivo chegar às meias finais e ganhar a Taça da Liga. Não é segredo que a equipa do Rio Ave FC tem como meta ganhar uma das taças num futuro próximo. Para fechar o grupo A, falta falar no FC Paços de Ferreira, que é ‘só’ o principal candidato à subida à primeira liga. Apesar de, na época passada, termos tido uma equipa de II liga nas meias finais, é importante referir que não havia nenhuma equipa ‘grande’ no grupo.

O grupo B é o mais equilibrado. Com SC Braga (vencedor em 2013), Vitória FC (vencedor em 2008), CD Tondela (afastou o Vitória SC) e o CD Nacional (a Choupana serve sempre de joker da equipa madeirense). No entanto, CD Nacional e CD Tondela só fazem um jogo em casa, portanto favoritismo para os sadinos e minhotos.

No grupo C, temos Os Belenenses Futebol SAD, o Varzim SC, GD Chaves e o campeão nacional, FC Porto. Os “dragões” foram afastados nas meias finais pelo Sporting CP na época passada, continuando com a espinha da Taça da Liga entalada, com zero conquistas. Este grupo parece, em teoria, ser mais acessível do que os grupos de SL Benfica e Sporting CP, no entanto o FC Porto terá de confirmar esse favoritismo, sendo que a visita ao Jamor na última jornada, poderá ser decisiva e uma autêntica final antecipada entre Belenenses e FC Porto.

Por fim, no grupo D, temos o atual vencedor, Sporting CP, o GD Estoril Praia (também super favorito à subida à primeira liga), o CD Feirense e o CS Marítimo. Este grupo também tem tudo para ser excitante e imprevisível. A única saída fora dos “leões” será ao Marcolino de Castro na última jornada, ou seja, se o CD Feirense precisar de uma vitória ou um empate para passar, terá a “faca e queijo na mão”. E atenção ao início excelente de campeonato dos “fogaceiros”. No entanto, o CS Marítimo também poderá discutir o apuramento, o que dependerá muito do que fizer em Alvalade, sendo que o GD Estoril Praia tem potencial para surpreender neste grupo.

Quem olha para os grupos pode pensar que teremos uma final-four com SL Benfica, SC Braga, FC Porto e Sporting CP (que era perfeito na ótica de quem organiza a prova e dos patrocinadores), mas antevêem-se surpresas e dificilmente será isso que acontecerá, porque, felizmente, o futebol é imprevisível e é isso que torna este desporto tão apaixonante. Como dizia o outro, “a bola é redonda”…

 

Foto de Capa: Liga Portugal