Cabeçalho Futebol Nacional

Recentemente, o Clube Desportivo das Aves voltaria a ser um dos protagonistas deste campeonato, e não seria pelos melhores motivos. Já não é a primeira vez nesta temporada que falo do emblema da Vila das Aves, e na outra ocasião, uma das questões que coloquei era se Lito Vidigal teria maior margem de manobra que os seus antecessores. E a verdade é que o técnico angolano acabou por ter o mesmo destino que Ricardo Soares e Ivo vieira, mas por um motivo impensável e que me deixou completamente estupefacto.

Ao que tudo indica, a SAD do clube presidida por Luiz Andrade não gostou que Lito Vidigal tivesse elaborado a lista de dispensas do clube numa fase já avançada do mercado de Inverno, situação que levou à instauração de um processo disciplinar que acabaria por resultar do despedimento de um treinador com provas dadas no nosso campeonato.

Mas antes de tirar o balanço desta decisão, há que fazer um apanhado das decisões da SAD do clube no decorrer desta temporada: primeiro, despediram Ricardo Soares sem que este tivesse tempo de construir uma nova equipa, após os mais de 20 reforços que o clube teve nesta nova temporada.

José Mota levou o CD Aves à subida de divisão em 16/17 Fonte: cdaves.pt
José Mota levou o CD Aves à subida de divisão em 16/17
Fonte: cdaves.pt

Com a chegada de Lito Vidigal, as coisas melhoraram ligeiramente e a pouco e pouco, o clube ia ganhando terreno em relação aos lugares de despromoção, tendo inclusive arrancado um empate ao FC Porto, então líder do campeonato. No entanto, esta decisão da SAD avense leva-me a entender que a SAD se intromete nas decisões do treinador e que está mais interessada na rentabilização dos seus activos, sem olhar para as decisões de quem dirige a equipa.

Se a verdade que o CD Aves melhorou as suas infraestruturas e se tornou mais moderno e profissional, também não é menos verdade que esta já tomou uma série de decisões “estranhas” no decorrer desta temporada, como por exemplo, a extinção da equipa B.

Dadas as circunstâncias, há uma grande questão que se coloca: quais serão os reais interesses da SAD? Usar o clube para “fazer” dinheiro, ou levá-lo a patamares mais elevados? E se a SAD pretende mesmo levar o CD Aves a outros patamares, será que está disposta a sacrificar a identidade do clube para tal? E será que os interesses do clube fazem moça no balneário, ao ponto de levar a falta de empenho e de compromisso que muitos adeptos avenses acusam?

Relembrando casos recentes de outros clubes em Portugal como o CD Beira-Mar ou a União de Leiria, não estou muito optimista quanto ao futuro deste clube. Até porque, com todo o respeito, duvido muito que haja algum acompanhante do futebol português que considere que José Mota seja um treinador mais competente do que Lito Vidigal.

Foto de capa: desportubol.blogspot.pt

Comentários