O verão foi particularmente agitado em Alvalade. O incidente que ocorrera em maio passado na Academia precipitou a saída de vários futebolistas do Sporting CP, que alegaram – em virtude do sucedido – justa causa para a rescisão dos respetivos vínculos.

Um desses jogadores foi Rafael Leão. Nascido em Almada a 10 de junho de 1999, o polivalente avançado de origem angolana era encarado como uma das promessas mais valiosas dos Leões e a sua evolução estava a ser acompanhada por olheiros de alguns dos principais emblemas europeus, com destaque para Manchester City e Borussia Dortmund.

Todavia, e contrariamente ao que já se começava a idealizar, o jovem de 19 anos optou por assinar um contrato de cinco anos com o LOSC Lille Association, emblema que concluíra a última edição da Ligue 1 (o principal escalão na hierarquia do futebol francês) a, apenas, cinco pontos dos lugares de despromoção.

LOSC Lille – Uma escolha improvável, mas com razão de ser

Anúncio Publicitário

A formação atualmente orientada por Christophe Galtier tem vindo a adotar, de há uns anos a esta parte, uma política de aposta em jovens valores que se tem revelado bastante proveitosa, pese embora os modestos resultados desportivos registados a nível coletivo.

Note-se que, só no derradeiro mercado de transferências, o clube presidido pelo milionário luxemburguês Gérard López encaixou 53 milhões e 900 mil euros, com as vendas de Yves Bissouma (21 anos, Brighton & Hove Albion), Ibrahim Amadou (25 anos, Sevilla FC), Kévin Malcuit (27 anos, SSC Napoli), Hamza Mendyl (20 anos, FC Schalke 04) e, ainda, Mothiba (22 anos, RC Strasbourg) – sendo que desses cinco atletas apenas os médios Bissouma e Amadou e o defesa Malcuit eram titulares indiscutíveis nos Les Dogues.

Para além disso, venda do avançado sul-africano Lebo Mothiba – que se revelara um jogador importante no decorrer da época passada – para o RC Strasbourg é demonstrativa da confiança depositada em Rafael Leão, visto que, para além do jovem ex-Sporting CP, o plantel do Lille conta, apenas, com mais dois avançados: o, também, português Rui Fonte (emprestado pelo FC Fulham) e Rémy (este já com 31 anos).

Já este ano, Leão mereceu destaque por parte do diário desportivo italiano Tuttosport, que o comparou a Adriano Imperador
Fonte: Wyscout

O treinador

O marselhês Christophe Galtier é reconhecido, em França, por ter promovido, enquanto treinador do AS Saint-Étienne, a estreia na Ligue 1 de vários jovens talentos do futebol gaulês, como Allan Saint-Maximin e Kurt Zouma (Chelsea FC) – quando ambos tinham, apenas, 16 anos – ou Jonathan Bamba (seu jogador no LOSC Lille). Ademais, trata-se de um técnico que privilegia um futebol de posse, montando as suas equipas, quase que exclusivamente, em 4-2-3-1 o que, a meu ver, poderá fazer sobressair as principais caraterísticas de Rafael Leão – a velocidade, mobilidade e capacidade de drible.

Concluindo, o avançado internacional sub-21 luso tem tudo para se afirmar em França e, quiçá, ambicionar o salto para patamares mais elevados num curto/médio prazo.

 

Foto de Capa: LOSC Lille Association

Artigo revisto por: Rita Asseiceiro

Comentários