Anterior1 de 3Próximo

Regresso das fases de grupos europeias ao D. Afonso Henriques. O Vitória SC recebe em Guimarães um dos semi-finalistas do ano passado, o Eintracht Frankfurt, um clube com uma boa equipa, de uma liga bastante competitiva e com três conhecidos portugueses – e dos portugueses – no seu plantel: André Silva, Gonçalo Paciência e Bas Dost.

Ivo Vieira entra no seu habitual 4-3-3 móvel, com um dos elementos do meio-campo a atuar mais perto do ponta de lança, transformando a equipa num 4-2-3-1 quando em situação de ataque. O técnico dos alemães, Adi Hutter, joga num 4-2-3-1 mais assumido em campo, com André Silva e Gonçalo Paciência, os dois mais avançados, a revezarem-se entre as posições 9 e 10.

O jogo começou dividido e aos dois minutos, André Silva já falhava um golo cantado para a sua equipa, depois um erro na saída de bola do lateral Sacko. Poha, logo a seguir, rematou à figura de Ronnow, o substituto do lesionado Kevin Trapp, que só deve voltar em Janeiro.

A toada continuava a mesma, mas conseguia-se perceber que ambas as equipas queriam jogar subidas no terreno, pelo que tentaram por diversas vezes entrar na profundidade do adversário. Aos 16 minutos, primeira grande para o Vitória SC, com Leo Bonatini a alvejar o poste, num autêntico “penalty em movimento”.

N’Dicka, o melhor em campo e autor do único golo da partida
Fonte: Eintracht Frankfurt

A partir desta altura, o Vitória SC tornou-se mais dominador no jogo, mas na sequência de um canto batido por Sow, aos 35 minutos, N’dicka cabeceou no coração da área, fazendo o 0-1 para o Eintracht Frankfurt. Resultado injusto para os vimaranenses, pelo que estavam a demonstrar em campo, com um bom futebol.

A equipa da casa sentiu o golo, apesar de até ter criado duas ocasiões, ténues, através de cruzamentos para a área. Ao intervalo 0-1 no marcador, resultado que não reflectia aquilo que se tinha passado em campo na primeira parte.

Os primeiros 15 minutos da segunda parte começaram novamente com o Vitória SC em bom nível, quase sempre pelas alas, a criar perigo através de cruzamentos, com a defesa do Eintracht Frankfurt a responder sempre bem. O tempo avançava e continuava tudo na mesma, com a defesa de betão alemã a negar toda e qualquer aproximação minhota à sua baliza.

Aos 73 e 75 minutos, duas enormes oportunidades para o Eintracht Frankfurt. Primeiro, na sequência de um canto, Miguel Silva faz uma espectacular defesa a negar o golo à boca da baliza, enquanto Kostic, logo a seguir, cabeceou ao poste. Sorte para o Vitória SC, que continuava na luta por um bom resultado.

Até final do jogo, o resultado não se alterou mais e o Eintracht Frankfurt viu a sua coesão defensiva sair por cima, apesar de ter tido simultaneamente as melhores oportunidades de golo, em contra-ataques “venenosos”. Vida difícil, como se antecipava, para os minhotos na Liga Europa.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

Vitória SC – Miguel Silva, Sacko (Rochinha, 64’), Pedro Henrique, Tapsoba, Florent, Mikel Agu, Poha, Lucas Evangelista, Marcus Edwards, Léo Bonatini (Bruno Duarte, 65’) e Davidson (André Pereira, 77’).

Eintracht Frankfurt – Ronnow, Touré, Durm (Da Costa, 78’), N’Dicka, Hinteregger, Gelson Fernandes, Djibril Sow, Rode (Kamada, 59’), Kostic, André Silva e Gonçalo Paciência (Bas Dost, 67’).

Anterior1 de 3Próximo

Comentários