Anterior1 de 3Próximo

Segunda-mão da 3ª pré-eliminatória da Liga Europa, com o Vitória SC – arrisco-me a dizer – apenas cumprir calendário no D. Afonso Henriques contra o FK Ventspils, depois de uma vitória bastante confortável na Letónia (0-3), mas principalmente devido à exibição que pudemos ver nessa partida. Poucas alterações no onze titular da equipa letã (apenas duas) em relação ao primeiro jogo. Ivo Vieira, por sua vez, não alterou nenhum jogador, alinhando com o seu já “clássico” 4-3-3 vitoriano.

A tarde de futebol começou logo com uma grande oportunidade para o Vitória, ao primeiro minuto de jogo. Infelizmente veio acompanhada de uma lesão prematura, do homem que não conseguiu finalizar: Joseph. Pelas imagens conseguia-se perceber que o jogador estava com muitas dores, queixando-se – aparentemente – da zona abdominal. A substituição forçada teve mesmo de acontecer, com ganês a sair de maca. Entrou André Almeida, logo aos seis minutos.

Desde o apito inicial, a tendência de domínio por parte dos minhotos era mais que evidente. Por causa das boas defesas de Kudrjacevs e de alguma falta de acerto dos homens mais adiantados no terreno, o resultado não se alterava. Aos 28 minutos, na sequência de um canto, Davidson recebeu e no terceiro remate que fez na mesma jogada, conseguiu colocar a bola no fundo das redes. Jogada de insistência do extremo brasileiro, recompensada com o 1-0.

O FK Ventspils, por sua vez, ainda assustou duas ou três vezes na primeira parte, principalmente através do lançamento de bolas em profundidade, quase sempre à procura de Tosin – o mais virtuoso – nas costas da defesa do Vitória SC. Até ao intervalo, mais uma série de oportunidades para os vimaranenses, mas a vantagem pela margem mínima não se alterou. Só pecava por escassa.

Disputa de bola entre Pêpê e o capitão do Ventspils
Fonte: Ventspils FK

Os segundos 45 minutos arrancaram com a melhor hipótese de golo do FK Ventspils – que demonstrou aos da casa que nunca é demais ter cautela para se fazer o “jogo perfeito” –, bem como com o segundo golo dos vimaranenses. Davidson, aos 47, fez uma excelente jogada na ala, ludibriando o seu oponente e cruzando rasteiro para o coração da área, onde estava Rochinha que finalizou com qualidade.

Com 2-0 no marcador, a toada continuava a mesma: Vitória SC no ataque e Ventspils a ir defendendo o que conseguia. Dez minutos mais tarde, a associação Davidson – Rochinha fez estragos mais uma vez. O brasileiro, com espaço, assistiu o português que, isolado, atirou a contar. Vantagem por três golos, mas havia condições e vontade para mais.

O tempo passava sem darmos por isso, e os vimaranenses não tiravam o pé do acelerador, nunca deixavam de pressionar alto e de tentar marcar. Aos 79 minutos, um frango do guarda-redes ucraniano do Ventspils deu o 4-0. João Carlos Teixeira, de meia-distância, chutou e a bola passou por debaixo do corpo de Kudrjacevs. Logo a seguir, 60 segundos depois, “manita” vimaranense do recém-entrado João Pedro. Cruzamento de Rochinha e finalização em antecipação, no primeiro poste. Tudo fácil. Ainda houve tempo para Pêpê colocar o seu nome na lista de marcadores, aos 85 minutos, depois de uma bela “tabelinha” com Rochinha, finalizando com classe. 6-0, meia-dúzia que podiam ter sido mais. Equipa completamente avassaladora perante a fragilidade enorme do FK Ventspils.

Venha de lá esse play-off! A equipa portuguesa mostra aqui está preparada para chegar à fase de grupos, apesar de ter sido contra adversário bem mais fracos. Amanhã, por volta das 18h, decide-se o oponente: ou Mlada Bolenov ou FCSB (anteriormente Steaua de Bucareste). Seja qual for, estou em crer que os minhotos têm muitas hipóteses de passarem e de continuarem a pontuar para o Ranking Nacional.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

Vitória Sport Clube: Miguel Silva, Sacko, Pedro Henrique, Tapsoba, Florent, Joseph Amoah (André Almeida 6m), Al Musrati, “Pêpê” Rodrigues, Rochinha, Guedes (João Pedro 63m) e Davidson (João Carlos Teixeira 75m).

FK Ventspils: Kudrjacevs, Jean Sonny (Osipov 51m), Mamah, Mchedlishvili, Obuobi, Villela, Hélio Batista, Stuglis (Svarups 34m), Serhiichuk, Palavandishvili e Tosin.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários