futebol de formação cabeçalho

UEFA Youth League 2013/14, originalmente intitulada como o Campeonato Sub-19 da Liga dos Campeões, é a primeira edição deste tipo de torneio, sendo disputada pelas equipas de juniores  dos 32 clubes europeus que se classificaram no escalão de seniores para a fase de grupos. Tal como o próprio nome indica, é uma versão bastante idêntica à prova europeia mais importante a nível dos clubes. As equipas da UEFA Youth League vão jogar numa fase de grupos com o mesmo calendário e com os mesmos emblemas do escalão sénior.  Deste modo, os representantes portugueses são o S.L. Benfica e o F. C. Porto.

Comecemos pelo Centro do país. O S.L. Benfica já fez quatro dos jogos do seu calendário para este torneio europeu e a sua participação tem sido motivo de orgulho para Portugal. No primeiro jogo, venceu por 3-0 o Anderlecht, com uma prestação ao mais alto nível. No segundo jogo, visitou o Stade Montbavron, em Versalhes, e venceu por 4-1 o Paris Saint-Germain (PSG), mostrando um forte colectivo. Recebeu, depois, o Olympiacos, e, apesar do empate final (0-0), a equipa da casa esteve inúmeras vezes perto de assumir vantagem no marcador, mostrando superioridade em relação ao seu adversário. Esta superioridade viria a revelar-se no quarto jogo, com uma viagem a Atenas e mais uma vitória (0-1), a qual coloca a equipa portuguesa  no 1º lugar do Grupo C, com 10 pontos e com cinco de vantagem para o 2º classificado (PSG). O S. L. Benfica encontra-se, assim, a um pequeno passo do apuramento para a fase seguinte da competição.

A equipa do Norte de Portugal, ao contrário do S.L. Benfica, actual campeão nacional de juniores, não entrou com o pé direito na competição, ao perder por 3-0 com a equipa de Áustria de Viena. Porém, a equipa portuguesa redimiu-se ao ganhar por 3-1 ao Atlético de Madrid, mostrando a sua grande qualidade ofensiva. No terceiro jogo, ao receber o Zenit no Centro de Estágio do Olival, em Vila Nova de Gaia, o resultado final de 2-2 foi espelho da igualdade competitiva entre ambas as equipas. Contudo, o F.C. Porto, ao deparar-se novamente com esta equipa, desta vez em campo desconhecido, demonstrou a sua superioridade e venceu por 1-2. Desta forma, a equipa portuguesa igualou no 1º lugar do Grupo G, com 7 pontos, Áustria de Viana e Atlético de Madrid, o que, a duas jornadas do final desta primeira fase, deixa tudo em aberto quanto ao apuramento.

Esta réplica da Liga dos Campeões permite que os jogadores da formação sigam as pisadas das respectivas equipas principais ao longo da fase de grupos. Ao viajarem juntamente com os seniores, têm a possibilidade de interagir com os jornalistas e de assistirem aos jogos nos grandes estádios da Europa, disfrutando de experiências que são fundamentais para o seu desenvolvimento dentro e fora de campo.  O futebol português, através desta experiência, ganha a capacidade de aperfeiçoar a sua cultura futebolística, uma vez que os jovens jogadores ganham o hábito de competir duas vezes por semana, acabando eles próprios por atingir um nível mais elevado de exigência. Nesta competição, os jogadores portugueses têm a hipótese de jogar contra outros jogadores europeus de elite da sua faixa etária. Defrontar equipas dos principais emblemas europeus fomenta o desafio pessoal dos jogadores lusos, motivação extrínseca superior à que encontram para a disputa do campeonato nacional. Se esta competição  impulsiona os atletas portugueses a evoluírem no seu estilo de jogo, também funciona como uma mais valia cultural, pois proporciona a oportunidade de estes conhecerem novos países e novas culturas.

Anúncio Publicitário

Actualmente, o objectivo dos diversos clubes europeus encontra-se centralizado em descobrir talentos em idades cada vez mais precoces, o que faz com que este tipo de torneios acabe por ser um impulsionador para que os jogadores portugueses ganhem boa imagem no estrangeiro e, quem sabe, obtenham também convites para integrar plantéis que possam oferecer melhores condições. O futebol português tem algumas debilidades, a maior parte delas relacionadas com a menor dimensão do país, que não o permite equiparar-se às maiores economias europeias. Clubes da 2ª divisão de Inglaterra, de Espanha, de Inglaterra, da Suíça, da Alemanha, ou de outros países onde se encontram muitos futebolistas nacionais, oferecem melhores condições financeiras do que clubes nacionais de segundo plano. Jogadores da formação lusa que não chegam à Selecção Nacional, têm, aqui, uma oportunidade de se exporem aos contactos internacionais e de participarem em competições ao mais alto nível.

O facto de Portugal ser palco destas disputas da UEFA Youth League, nomeadamente no Caixa Futebol Campus (Seixal) e no Centro de Estágio do Olival (Vila Nova de Gaia), proporciona a oportunidade de jogadores de futebol de formação portugueses e de os amantes de futebol em geral terem contacto com a realidade do futebol praticado na Europa e tirarem dessa experiência o melhor proveito.

Será este pequeno país de 10.555.853 habitantes, capaz de se tornar gigante e conquistar o troféu Lennart Johansson? A final da UEFA 2014 Youth League está agendada para dia 14 de abril de 2014 e terá lugar no Estádio Colovray, em Nyon, na Suíça. Veremos nessa altura em que lugar se encontra o nosso futebol de formação na Europa.