Não é aquele central duro que mostra os dentes aos avançados, mas tem uma leitura de jogo acima da média que lhe confere uma capacidade invulgar de jogar na antecipação. Praticamente intransponível pelo chão, está sempre no sítio certo. Impecável nas dobras, quer a dobrar o lateral ou o central que joga ao seu lado, faz tudo com limpeza e elegância, se é que podemos aplicar esses termos ao futebol. O único aspecto negativo, por assim dizer, a apontar-lhe prende-se com a saída de bola e aquele primeiro passe fundamental, para início de construção da equipa, que, não sendo mau, tem bastante espaço para melhorar.  Quem te viu e quem te vê, Iván!

Felipe foi reforço do FC Porto para esta época Fonte: FC Porto
Felipe foi reforço do FC Porto para esta época
Fonte: FC Porto

Sobre o lado direito, joga um reforço para a nova época: Felipe. Chega ao futebol europeu aos 27 anos, proveniente do Timão (alcunha do Corinthians), e a troco de seis milhões de euros pela porta do FC Porto. Vem com a missão de ocupar o lugar de Bruno Martins Indi, central internacional A pela Holanda mas nascido no Barreiro, que estava de partida para Terras de Sua Majestade para representar o Stoke City por empréstimo e não deixou grandes saudades no reino do dragão. Embora chegue com alguns vícios típicos e naturais do futebol brasileiro, que necessitam, obviamente, de ser corrigidos, Felipe Monteiro tem vindo, jogo a jogo, a subir de produção e a demonstrar todo o seu potencial.

Mais agressivo e menos refinado do que o seu colega de setor, não lhe fica atrás na eficácia. Tem como ponto forte o jogo aéreo, onde é praticamente insuperável e é, também, muito forte na marcação. É um central muito regular, que não cede um único milímetro aos avançados. Tem, ainda, criado uma empatia com os adeptos e patenteado uma simpatia pelo clube, anormais para um jogador que chegou a Portugal e ao Porto há dois pares de meses.

Para concluir, há que dizer que pode estar aqui uma dupla para alguns anos, visto que, não sendo jogadores velhos, são jogadores com uma idade considerada alta para o mercado europeu (principalmente no caso de Marcano) e, portanto, salvo uma saída para um mercado periférico como a China ou o Médio Oriente, dificilmente serão protagonistas das habituais transferências milionárias. Assim sendo, estará resolvida a questão Central.

Foto de Capa: FC Porto

Anúncio Publicitário

Artigo revisto por: Manuela Baptista Coelho