Anterior1 de 4Próximo

Em jogo da oitava jornada da Primeira Liga, o Belenenses SAD regressou às vitórias depois de vencer o SL Benfica, por 2-0. A equipa da Cruz de Cristo não vencia desde a ronda inaugural do campeonato, já os «encarnados» somam a segunda derrota consecutiva numa semana, ficando o nome do técnico, Rui Vitória, debaixo de fogo antes do final da partida.

Numa noite fria, com o inverno à espreita, o Benfica procurava a possibilidade de assumir a liderança isolada da Primeira Liga, após no dia anterior, o Sporting de Braga ter empatado com o Vitória Sport Clube, em Guimarães. Já o Belenenses queria somar pontos para fugir aos últimos postos da tabela classificativa, um pouco à semelhança do que se verificou na época passada, em que um golo de Jonas ao cair do pano impediu o triunfo do conjunto comandado pelo treinador, Jorge Silas.

A primeira parte começa com o Benfica a querer atacar mais pelo flanco esquerdo, ocupado por Rafa e Grimaldo, estando aí Pizzi também mais inclinado no meio campo. O mesmo camisola 21 dos «encarnados» é quem faz a primeira jogada de perigo, logo aos 15 segundos de jogo, com um remate para a defesa de Muriel.

Mais tarde, só a partir do quarto de hora de jogo, é que o Benfica tenta mostrar a sua superioridade, mas sem traduzir em golos. Aos 15 minutos, um remate de Rafa é cortado à última para cima da baliza de Muriel após o avançado do Benfica aproveitar um ressalto após tento de Seferovic a resvalar num defesa do Belenenses; dois minutos depois é o próprio suíço a rematar quase sem ângulo, do lado direito da baliza da equipa da casa, para nova defesa de Muriel; e aos 19 minutos, Gedson Fernandes combinam passes à entrada do lado esquerdo da área do Belenenses e o médio remata isolado para Muriel sacudir, outra vez, a bola para canto.

À meia hora, o jogo ganhou outro interesse devido aos penáltis: o primeiro, à passagem dos 28 minutos, que causou alguma fúria nos adeptos benfiquistas: Salvio foi derrubado na área adversária, mas num primeiro instante o árbitro não assinalou nada, sendo que só após a consulta do VAR apontou para a marca da grande penalidade só cerca de três minutos depois, quando o jogo parou num livre a beneficiar o Belenenses, no lado oposto do campo. Contudo, o extremo argentino na marcação permitiu a defesa a Muriel. Quase no lance a seguir, o árbitro assinalou penálti a favor da equipa da casa: Eduardo não perdoou e fez o primeiro golo no Jamor (1-0).

Eduardo fez o 1-0 no Jamor
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

O Benfica partiu logo em busca do tento do empate, contudo seria o Belenenses a dilatar a vantagem aos 42 minutos: Keita, isolado com um excelente passe de Licá, bateu Vlachodimos. Muito se contestou se havia fora de jogo, mas o árbitro Artur Soares Dias validou prontamente o golo.

O resultado não era favorável, a chuva intensificava-se em Oeiras e o estádio do Jamor, dado à logística que apresenta (sem qualquer proteção para os adeptos), ia ficando com menos espetadores após o intervalo. Os adeptos do Benfica que permaneceram no atual reduto da Belenenses SAD iam cantando a favor do seu clube. No total, estiveram 10,663 pessoas presentes.

Para o início da segunda parte, Rui Vitória lançou Jonas para o lugar de Salvio, com vista a ter mais presença na frente de ataque. Coincidência ou não, o Benfica partiu rapidamente em busca de reduzir a diferença no marcador – o certo é que as oportunidades apareceram de forma continuada e em grande volume logo nos primeiros 15 minutos do segundo tempo, como o remate de Rafa aos 47 minutos e de Pizzi aos 55 minutos, só que a bola teimava em não entrar na baliza, muito por culpa de Muriel ou da falta de assertividade dos homens avançados dos «encarnados».

Apesar da forte acutilância ofensiva «encarnada», o Belenenses não deixou de tentar fazer o terceiro golo, como o lance do Licá aos 70 minutos, em que obrigou Vlachodimos a brilhar para impedir uma derrota de piores proporções. O Benfica, já com Castillo (mais Jonas e Seferovic) em campo, continuava a atacar, mas a defensiva azul abafava as ofensivas do adversário.

Até ao apito final de Artur Soares Dias, a toada do jogo manteve-se, mas com o Benfica a jogar “mais com o coração do que com a cabeça”, e também faltava um elemento que fizesse a ligação da defesa com o ataque, o que dificultou ainda mais a missão dos visitantes. Perante o aproximar da confirmação da primeira derrota na Liga, os adeptos do Benfica mostraram o seu descontentamento, entoando cânticos a pedir a demissão e a acenar lenços brancos a Rui Vitória. A derrota impossibilita às «águias» de se isolarem na liderança do campeonato.

Onzes iniciais

Belenenses SAD: Muriel, Eduardo, Sasso, Licá, Diogo Viana, Zakarya, André Santos (Nuno Coelho 68′), Gonçalo Silva, Lucca, Keita (Nuno Tomás 75′), Reinildo (Fredy 54′)

SL Benfica: Odysseas Vlachodimos, André Almeida, Jardel, Rúben Dias, Grimaldo, Fejsa (Zivkovic 84′), Pizzi (Castillo 68′), Gedson Fernandes, Rafa Silva, Salvio (Jonas 45′), Seferovic

Anterior1 de 4Próximo

Comentários