CRÓNICA: EXIBIÇÃO CONSISTENTE DITA TRIUNFO

À partida para este desafio, os do Bessa encontravam-se na primeira metade da tabela, a cinco ponto da Europa. No sentido contrário, os do Jamor encontravam-se apenas a três pontos da linha de água. Mas não foi isso que pareceu, uma vez que o Belenenses SAD entrou mais forte e a querer mandar no jogo. Os primeiros 20 minutos foram claramente dominados pelos azuis que estiveram sempre mais perto da baliza de Helton, obrigando este a trabalho reforçado.

Através de um canto cobrado do lado esquerdo, chegaram à vantagem por Danny que apareceu solto ao segundo poste e encostou para o golo, aproveitando um desvio de um colega. Após este período, os axadrezados equilibraram a contenda e foram crescendo no jogo, mas sem criar grandes lances de perigo. No entanto, os azuis podiam ter aumentado a vantagem se Cassierra definisse de outra forma um lance de golo iminente, quando surgiu sozinho na cara de Helton. Nota para um Belenenses SAD mais agressivo, equilibrado e consistente neste primeiro tempo, que fez por merecer a vantagem.

Ao intervalo, a alteração tática promovida por Daniel Ramos – ao fazer entrar Cassiano para o lugar de Ricardo Costa – foi a primeira novidade numa tentativa de mudar o rumo do jogo, ao acrescentar mais poderio ofensivo à sua equipa. Na verdade, a segunda parte começou o Boavista FC a arriscar mais e a chegar mais vezes à baliza contrária, mas sem que o adversário se encolhesse perante os seus intentos.

Anúncio Publicitário

E assim, o Belenenses SAD aumentou a vantagem depois de uma excelente arrancada de Nilton pela esquerda e iniciada no meio campo onde ultrapassou vários oponentes, e cruzou para o meio da área onde se encontrava Licá que faturou. Entre ataques alternados e disputa de lances aguerridos, Danny foi expulso a 15 minutos dos 90’ e convidava assim o Boavista FC a reagir. Aos 85’ a reação veio mesmo após uma falha tremenda de André Moreira a sair mal a um canto, com a bola a bater em Rúben Lima e a entrar.

No entanto, este golo não chegou para o Boavista FC somar qualquer ponto. A reação já veio tarde e embora a segunda parte tenha trazido melhorias, as panteras foram insuficientes para ultrapassar um Belenenses SAD que se mostrou quase sempre confortável na partida e que acabou por justificar o triunfo.

 

A FIGURA

Fonte: Liga Portugal

Segundo golo do Belenenses SAD – Um momento de magia do camisola 25 dos azuis. Daqueles momentos de inspiração que merecem figurar no álbum de recordações dos jogadores. Numa autêntica auto estrada sem limite de velocidade, Nilton ultrapassa tudo o que lhe aparece à frente e assiste para o segundo golo da sua equipa.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: Liga Portugal

Primeira parte do Boavista FC – Foi um primeiro tempo pouco conseguido dos axadrezados. Sem conseguirem encaixar na teia montada por Petit, foram para o intervalo em desvantagem e viram-se obrigados a alterar o esquema para a segunda parte. Este arranque de jogo contribuiu e muito para o desfecho final.

 

ANÁLISE TÁTICA – BOAVISTA FC

Dispostos no habitual 3-4-2-1, o conjunto boavisteiro não entrou no jogo com a devida agressividade e concentração. Yusupha foi sendo o elemento mais desconcertante de um conjunto algo apático e sem grande capacidade de conter as ofensivas do adversário. Ao intervalo, a saída do capitão Ricardo Costa e a entrada de Cassiano obrigou a uma mexida tática, passando para um preferencial 4-4-2, onde Yusupha era o homem da frente que mais recuava. Com as várias alterações para o setor ofensivo, Bueno foi quem passou a pegar na batuta, numa zona que acabou bastante preenchida.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Helton Leite (7)
Fabiano (4)
Ricardo Costa (4)
Neris (3)
Carraça (5)
Obiora (3)
Ackah (3)
Marlon (4)
Paulinho (4)
Heriberto (4)
Yusupha (6)

SUBS UTILIZADOS

Cassiano (4)
Bueno (5)
Mateus (3)

ANÁLISE TÁTICA – BELENENSES SAD

Com já vem sendo hábito, o 3-4-3 da formação do Jamor apresentou-se no Bessa com uma imagem melhorada, onde a equipa se apresentou mais agressiva e competente a todos os níveis. Com a lição bem estudada e a ganhar grande parte dos lances disputados, o conjunto de Petit foi mais audaz, onde se notou capacidade de entreajuda em todos os setores. Com a expulsão de Danny, as linhas baixaram forçosamente e Cassierra passou a estar sozinho na frente.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

André Moreira (4)
Chima (6)
Danny (6)
Nilton (8)
Tiago Esgaio (7)
Show (7)
André Santos (7)
Cafu Phete (7)
 Licá (7)
Varela (6)
Cassierra (6)

SUBS UTILIZADOS

Rúben Lima (5)
Marco Matias (-)
Nuno Pina (-)

Foto de capa: Liga Portugal

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários