A CRÓNICA: OS TRÊS PONTOS QUE FALTAVAM AOS AÇORIANOS

Domingo de futebol juntos as duas equipas insulares, no Estádio de São Miguel, para a 26.º jornada da Primeira Liga. O CD Santa Clara encontra-se, agora, em 7.º lugar na tabela e, ao ganhar esta partida, ficou em lugares de luta pela Europa. Por outro lado, o CD Nacional, o último classificado da tabela, precisava destes três pontos para conseguir ter um pouco mais de oxigénio e tentar fugir dos lugares de descida.

Os Bravos Açorianos entraram melhor na partida e Carlos Jr. provou isso ao serpentear toda a defesa do Nacional e a conseguir rematar, mas o atento António Filipe conseguiu fazer uma boa defesa.

Pouco tempo depois, o Santa Clara voltaria a mostrar a sua determinação através de Mikel que, após um canto, de cabeça, colocou a redondinha no fundo das redes do Nacional.

A equipa açoriana continuava a ser superior e a conseguir pressionar bem o clube madeirense que tentava sair, mas com muitas dificuldades. Anderson Carvalho ao aproveitar os espaços entre a equipa do Nacional, tentou rematar, mas, a bola acabou por bater na trave. Estava lá Rui Costa, no lugar certo à hora certa, que na recarga fez o segundo golo da partida, deixando assim os açorianos em vantagem ao intervalo.

Anúncio Publicitário

A equipa açoriana de Daniel Ramos entraria a matar na segunda parte. Rui Costa, o reforço de inverno dos açorianos, assistido por Anderson Carvalho, bisou na partida, fazendo o terceiro golo para a sua equipa.

A turma de Manuel Machado, nesta segunda parte, acabaria por se mostrar mais e a conseguir chegar mais perto da baliza de Marco Pereira e a rematar mais do que teria feito na primeira parte. Aos 67 minutos, esse esforço em aparecer mais resultaria no primeiro golo do Nacional através do Capitão Rui Correia que cabeceia para o fundo das redes ao primeiro poste.

Minutos mais tarde, a resposta do Santa Clara viria através dum passe de Morita, que passou a Carlos Jr.. Este recebeu com o peito e rematou de pé esquerdo, fazendo, assim, o quarto golo para a sua equipa. O Nacional ainda tentou responder com um remate de Riascos, mas este encontrava-se em posição irregular e, por isso, o golo viria a ser anulado pelo VAR.

Já em tempo complementar, devido a uma falta sob o jogador do Santa Clara na grande área o árbitro concede um penálti para a equipa açoriana. Penalti este que dá origem ao 5.º golo ao cair do pano.

Foi, sem dúvida, uma partida histórica e importantíssima para o clube açoriano que deixa claro o seu objetivo por um jogo com qualidade.

 

A FIGURA

Rui Costa – O reforço de inverno do Santa Clara bisou e mostrou o quão focado o grupo está em fazer mais e melhor para atingir os seus objetivos e, sem dúvida, é uma partei mportante para isso.

O FORA DE JOGO

Pedrão – O central brasileiro teve uma exibição desastrosa nesta partida o que também não ajudou a motivar a equipa para dar mais.

 

ANÁLISE TÁTICA – CD SANTA CLARA

O Mister Daniel apresentou-se com o esquema tático 4-4-3. Este procurou forçar o erro do adversário. Mostrou que o seu principal objetivo era chegar à frente no marcador. Procurou criar linhas de passe entre si e aproveitar os espaços para chegar com maior facilidade à baliza.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Marco (7)

Rafael Ramos (5)

Mikel Villanueva (4)

Fábio Cardoso (5)

Mansur (5)

Allano (4)

Lincoln (4)

Carlos Jr. (6)

Hide (5)

Anderson Carvalho (6)

Rui Costa (8)

SUBS UTILIZADOS

Ukra (5)

Costinha (4)

João Afonso (-)

Sagna (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – CD NACIONAL

O Mister Manuel Machado apresentou-se com o esquema tático 5-4-1. Apesar da sua fragilidade procuraram criar algumas situações de perigo. Tentou, também, explorar a profundidade mas sem sucesso. Só na segunda parte conseguiram explorar mais a criação de linhas de passe e, por consequência, chegar mais facilmente à baliza do Santa Clara.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

António Filipe (3)

Lucas Kal (3)

Pedrão (2)

Camacho (4)

Danilovic (4)

Kalindi (5)

Rui Correia (5)

Rochez (3)

Vicent Thill (3)

Nuno Borges (4)

Rouai (5)

SUBS UTILIZADOS

Marco Matias (5)

Micael (5)

Riascos (4)

Eber Bessa (3)

Gorre (3)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CD SANTA CLARA

BnR: A maneira como a equipa encarou a partida foi determinante?

Daniel Ramos: Fomos muito competentes. A humildade, a preparação do plano de jogo e como o encaramos foi muito importante e, só por isso, conseguimos este resultado. Conseguimos colocar dificuldade no outro. Os golos cedo foram importantes. Entrar forte e o marcar presença no jogo mostra que queremos dar mais e não damos facilidades aos adversários.

Temos trabalhado muito em conjunto com todos os departamentos para conseguir conquistar mais e demonstramos em campo todo o nosso trabalho.

CD NACIONAL

BnR: Numa primeira parte vimos um nacional mais resguardado e sem conseguir sair a jogo. Por outro lado, na segunda parte, o Nacional aparece mais motivado e a conseguir chegar à baliza do Santa Clara. A substituição ao intervalo contribuiu para motivar a sua equipa na luta por outro resultado?

Manuel Machado: Esta foi uma vitoria justa por parte do Santa Clara. A classificação difícil faz com que tenhamos pouca confiança. O desfecho começou a ficar desenhado na primeira parte após o golo. Apesar disso, fizemos alguma coisa, as alterações ajudaram a ter mais qualidade de jogo. Ao terceiro golo a equipa desconcentrou-se e isso fez uma possível “remotanda” ser impossível.