A CRÓNICA: BELENENSES SAD SALVA-SE, CD TONDELA ESPERA

Com a manutenção no horizonte próximo, mas mantendo debaixo de olho a disputa pelos lugares europeus, CD Tondela e Belenenses SAD defrontaram-se no Estádio João Cardoso com um objetivo principal bem claro: garantir de imediato a manutenção no principal escalão do futebol português.

Ainda mal se tinha ouvido o apito inicial de Iancu Vasilica e já Mario González fazia o que sabe fazer melhor: marcar golos. Depois de uma boa combinação pela direita do ataque dos tondelenses, envolvendo vários homens, João Pedro lançou o avançado espanhol que, na cara de Kritciuk, não vacilou e abriu o marcador.

Aos 13 minutos, a Belenenses SAD chegou pela primeira vez com perigo à baliza do CD Tondela, mas o VAR retirou a eficácia ao lance. O experiente Silvestre Varela conseguiu bater Pedro Trigueira, mas Mateo Cassierra estava em fora de jogo no início da jogada, o que justificou a invalidação do tento do empate.

Anúncio Publicitário

O 1-0 manteve-se no marcador, mas não por muito tempo. À passagem do minuto 20, foi a vez de Cassierra colocar a bola no fundo das redes adversárias, desta vez assistido por Varela e com o lance totalmente válido. Estava reestabelecido o empate e intensificava-se a discussão pelo resultado.

Pouco depois da meia hora de jogo, Rúben Lima surpreendeu Tiago Almeida e, perante um primeiro corte deficiente do jovem lateral do CD Tondela, este acabou por cometer penálti sobre o lateral esquerdo da Belenenses SAD. Na conversão do castigo máximo, Miguel Cardoso completou a cambalhota no marcador e fez o 1-2 a favor dos lisboetas, resultado que se manteve até ao intervalo.

No segundo tempo, os beirões entraram melhor e rapidamente assumiram as rédeas do encontro. Todavia, num momento de total balanceamento ofensivo do CD Tondela, Cassierra saiu “disparado” em contra-ataque e, perante Trigueira, picou a bola com classe para o 1-3. Dado o momento do jogo, uma dura e injusta consequência para os tondelenses.

Os homens de Pako Ayestarán continuaram a apertar e tiveram mesmo ocasiões de perigo junto da baliza de Kritciuk, com destaque para dois remates potentes de Telmo Arcanjo, mas que o guardião dos lisboetas travou. Em resposta, Cassierra podia ter completado o hat-trick, mas preferiu tentar a assistência e o ataque perdeu-se.

O resultado acabou por não se alterar até final e os homens de Petit garantiram, assim, a manutenção na Primeira Liga Portuguesa. Quanto aos tondelenses, aguardam o resultado dos adversários diretos, mas ficam com uma certeza: só dependem de si para sobreviver.

 

A FIGURA

Fonte: Isabel Silva / Bola na Rede

Mateo Cassierra – O avançado da Belenenses SAD apontou dois golos e podia ter marcado, pelo menos, mais um. Muito veloz e acutilante nos movimentos ofensivos, foi a figura de proa de uma tarde positiva em termos de finalização para os lisboetas.

 

O FORA DE JOGO

Tiago Almeida – O jovem lateral direito do CD Tondela realizou uma exibição para esquecer. Sempre algo nervoso, deixou-se ultrapassar várias vezes pelos adversários, tendo surgido pelo seu corredor os lances de maior perigo da Belenenses SAD. Também a atacar demonstrou lacunas, apoiando poucas vezes o momento ofensivo.

 

ANÁLISE TÁTICA – CD TONDELA

O treinador espanhol Pako Ayestarán apostou no habitual 4-3-3, mas com dinâmicas diferentes em cada ala. Na direita, Tiago Almeida (enquanto esteve em campo) foi sempre mais contido nas subidas no terreno, deixando o flanco para Salvador Agra. Já na esquerda, Filipe Ferreira várias vezes se cruzou com Rafael Barbosa em zonas ofensivas. Nota ainda para a apatia defensiva dos tondelenses, sobretudo pelo lado direito da sua linha recuada.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pedro Trigueira (5)

Tiago Almeida (4)

Yohan Tavares (6)

Enzo Martínez (5)

Filipe Ferreira (6)

Jaume Grau (6)

João Pedro (6)

Roberto Olabe (5)

Salvador Agra (6)

Rafael Barbosa (6)

Mario González (6)

SUBS UTILIZADOS

Bebeto (5)

Telmo Arcanjo (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – BELENENSES SAD

O ainda castigado Petit montou a equipa em dois sistemas: o 4-3-3 foi aposta no início do jogo, com Phete e Sithole a formarem o triangulo de meio campo juntamente com Afonso Sousa. Todavia, sobretudo na segunda parte, o 3-4-3 assumiu destaque, dada a deslocação de Phete para o meio dos centrais Gonçalo Silva e Tomás Ribeiro. No ataque, Miguel Cardoso e Varela foram os principais apoios de Mateo Cassierra, goleador da tarde.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Stanislav Kritciuk (6)

Tiago Esgaio (6)

Gonçalo Silva (6)

Tomás Ribeiro (6)

Rúben Lima (6)

Yaya Sithole (6)

Cafú Phete (6)

Afonso Sousa (6)

Silvestre Varela (6)

Miguel Cardoso (6)

Mateo Cassierra (7)

SUBS UTILIZADOS

Francisco Teixeira (5)

Afonso Taira (5)

Bruno Ramires (-)

Diogo Calila (-)

Nilton Varela (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CD Tondela

BnR: A primeira alteração que fez foi uma troca por troca, na direita da defesa. Sentiu que era aí que estava a maior lacuna defensiva da equipa?

Pako Ayestarán: Não, o que precisávamos nesse momento era de ser mais claros no momento ofensivo. O Bebeto dá-nos mais no momento ofensivo do que o Tiago e foi por isso que fiz essa alteração.

Belenenses SAD

BnR: Vimos a equipa a sair a jogar com dois centrais e dois médios mais posicionais na primeira parte, mas na segunda saía com três centrais. Foi algo corrigido ao intervalo ou já vinha pensado?

Filipe Anunciação: Temos tido várias formas de sair a jogar, face ao adversário. Vamos variando na saída de forma a conseguirmos sair a jogar da melhor maneira, quer seja com um ou dois médios, ou até com três centrais.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome