Cabeçalho Futebol NacionalUm Belenenses que procura a primeira vitória em casa; um Nacional no último lugar da tabela e a querer sair dessas posições antes de o alarme começar a soar. O Restelo era palco de duas equipas para quem o campeonato não tinha começado bem em termos de resultados mas também em futebol jogado.

Determinado a mudar a pálida imagem que deixou nas três primeiras jornadas, o Nacional foi sempre a equipa mais clarificada e mais organizada em campo. A boa entrada resumiu-se num golo logo aos 7 minutos. O fantástico trabalho de Victor Garcia, a furar pela área dentro, teve seguimento num golo de Bonilla, que veio directamente da sua selecção para Lisboa. Em vantagem, a equipa do Nacional soube segurar o ímpeto do Belenenses. Os homens de Velasquez quiseram ter bola mas nunca conseguiram criar lances de verdadeiro perigo. Abel Camará era um homem muito sozinho na frente. As poucas oportunidades surgiam apenas de bola parada e o técnico espanhol não estava satisfeito com as dificuldades que a equipa tinha em criar perigo e meteu Gerso a aquecer.

O intervalo chegava com uma vantagem justa do Nacional. A equipa madeirense marcou cedo e soube fechar os caminhos, além de que foi sempre bem mais perigosa no contra-ataque do que o Belenenses com bola.

Insatisfeito, Velasquez arriscou e tirou o médio Rossell, que esteve muito apagado e já tinha um amarelo, para colocar Gerson – mais uma unidade ofensiva.

A segunda parte começou mais animada com a entrada de Gerso a mexer com o jogo. Logo aos 47 André Sousa mandou a bola à trave na marcação de um livre e deu o mote do que seria a segunda parte do jogo. Pouco depois, aos 52 minutos, lance polémico com Carlos Xistra a ter a decisão mais polémica ao considerar que a bola não entrou após cabeceamento de Tobias Figueiredo. As imagens da Sport TV mostram o contrário.

 A expulsão de Aly Ghazal aos 56 minutos da segunda parte mudou ainda mais o jogo a favor da equipa de Lisboa. Menos de 10 minutos depois Vítor Gonçalves faz falta sobre João Palinha dentro da área que resultou no 1-1 por Abel Camará. 

O Belenenses com o empate ainda avançou mais no terreno com a entrada de Vítor Gomes e Tiago Caeiro e foram precisamente estes dois jogadores a fazer o golo da vitória. Vítor Gomes bate um canto do lado esquerdo e Bonilla faz um autogolo ao antecipar-se a Tiago Caeiro. 

Até ao final do jogo o Nacional tentou sem grande sucesso chegar ao empate, com um Belenenses mais seguro de si.

Pergunta: Sente que a estratégia na primeira parte falhou e que a entrada de Gerso foi o momento da reviravolta para a sua equipa?

Resposta: As estratégias nunca falham. Na primeira parte não estivemos bem nos primeiros 20 minutos, mas tirando isso fomos superiores. A entrada de Gerso deu nos mais verticalidade e ajudou à vitória. Mas não gosto de individualizar, esta vitória é de toda a equipa.

Comentários