futebol nacional cabeçalho

O último jogo da Liga NOS entre Belenenses e Estoril disputou-se hoje às 19:30 no Estádio do Restelo. Este é um jogo de opostos para ambos os clubes. De um lado, um Belenenses em 11.º na classificação e com a manutenção, obviamente, garantida; e do outro lado um Estoril que, em caso de vitória e perda de pontos do Paços de Ferreira no Bomfim diante do Setúbal, assegurava a última vaga na Europa.

Antes deste encontro, as duas equipas vinham de resultados opostos: o Belém vinha de quatro jogos sem vencer (1-1 com a Académica, derrota com o Boavista, derrota por 0-2 com o Paços e empate a duas bolas na Madeira com o Nacional) e o Estoril vinha de quatro jogos sem perder (vitória diante do Boavista, empate em Guimarães, vitória contra o Marítimo e empate contra o Arouca).

O jogo começou com alguns minutos de atraso para começar ao mesmo tempo que o Tondela – Académica, Setúbal – Paços de Ferreira e União da Madeira – Rio Ave.

No Restelo, tempo ameno, vista soberba e estádio muito despido para este que é o último jogo da temporada 2015/2016.

Face à curta distância entre o Estoril e o Restelo, deslocaram-se ao Estádio do Restelo muitos adeptos do Estoril, que não se calaram um único minuto e tornaram o ambiente no estádio muito mais animado, visto que os adeptos da casa eram poucos e pouco entusiastas.

No que toca ao jogo em si, o Belenenses entrou de forma pressionante e muito aguerrida e logo aos três minutos inaugurou o marcou por intermédio de Miguel Rosa. O jogador de 27 anos formado no Benfica marcou o seu sexto golo no campeonato através de um excelente remate de pé esquerdo, o seu melhor pé. O remate sofreu um pequeno ressalto na defensiva estorilista; no entanto, não deixa de ser um excelente golo.

O Estoril estabilizou o seu jogo e começou a jogar melhor. Mais posse de bola, mais calma a subir no terreno, e começou a criar mais perigo à baliza, defendida por Ricardo Ribeiro. Aos dez minutos, o brasileiro Matheus cabeceia e só não empata porque o guarda-redes português responde com uma excelente defesa. Até aos 15 minutos de jogo, o Estoril dispõe de mais duas oportunidades para empatar o jogo, uma através de um cabeceamento e outra através de um remate perigoso mas fora do alvo.

Aos 27 minutos, o árbitro Bruno Esteves vê a falta de Babanco sobre André Sousa e marca penálti. Na conversão do mesmo, o montenegrino Bakic, emprestado pelos italianos da Fiorentina, marca e aumenta o resultado para 2-0.  No melhor período do jogo da equipa visitante, os azuis do Restelo marcam, tornando assim mais complicada a apuração do Estoril para a Liga Europa.

Aos 36 minutos, Fabiano Soares tira o amarelado Marion e faz entrar Dieguinho.

No entanto, aos 38 minutos o guarda-redes português dos azuis calcula mal a distancia e em vez de passar para o defesa direito André Geraldes passa para o quarto melhor marcador da liga Léo Bonatini, que agradece a oferta e marca o seu 17.º golo na Liga. Ficou mal na fotografia o guardião dos azuis.

Aos 44 minutos, o árbitro vê uma mão na bola do defesa esquerdo Filipe Ferreira e assinala penálti, expulsando o mesmo. Decisão exagerada do árbitro da partida! Na conversão, o homem-golo da Amoreira falha e não consegue empatar. Boa defesa de Ricardo Ribeiro com os pés.

O árbitro apita para o intervalo e fica na retina um bom jogo de futebol. O Belenenses jogou muito bem nestes 45 minutos e o Estoril foi um pouco inconstante. Teve momentos bons, em que causava perigo e tentava assumir o jogo, mas depois desconcentrava-se e tinha momentos em que jogava mau futebol, dava muito espaço aos azuis e permitia que estes mandassem nas incidências do encontro.

Nos outros jogos, o Tondela vence a Académica por 1-0, o Setúbal está empatado com o Paços de Ferreira e o União vence o Rio Ave por 1-0.

Belenenses Estoril
Estádio muito vazio para o último jogo da época entre Belenenses e Estoril

No recomeço, como aconteceu no início do jogo, o árbitro só reinicia o jogo quando os outros jogos começam.

Comentários