A CRÓNICA: VITÓRIA DO CS MARÍTIMO “TIRADA A FERROS”

Separados por cinco pontos, CS Marítimo e Rio Ave FC subiram ao relvado do Estádio do Marítimo para disputar a jornada 28 da Primeira Liga Portuguesa de futebol.

O Marítimo entrou bem desperto para o jogo e, no primeiro minuto, Alipour caiu na área, lance que o VAR reviu e nada deu. Depois disso, o que se viu foi um jogo equilibrado, até que, numa jogada de insistência de Rafik Guitane, Alipour serviu Joel Tagueu de bandeja e este não se fez rogado em colocar os “verde-rubros” na frente do marcador, aos 11 minutos.

Após o 1-0, o Rio Ave teve mais vezes a posse de bola ao passo que os madeirenses desceram no terreno. Os “rio-avistas” podiam ter chegado ao empate minutos depois do golo maritimista, mas a bola passou um nadinha ao lado do poste direito de Amir. Já o Marítimo, teve nos pés do francês Rafik Guitane o 2-0, mas este não conseguiu bater o guarda-redes polaco Pawel Kiezeck.

Anúncio Publicitário

Até final da primeira parte, houve pouco a acrescentar à crónica da partida.  Apenas referir a grande jogada de entendimento entre Claúdio Winck e Edgar Costa, em que o brasileiro subiu no terreno, deslocou-se para a grande área, esperou o cruzamento do madeirense e cabeceou ao poste da baliza de Kieszek.

Para a segunda metade do encontro, a formação de Vila do Conde fez subir as suas linhas ao tirar Pelé e meter Anderson Cruz. No entanto, o Marítimo parecia muito seguro de si e não deixava o Rio Ave ter grandes ocasiões de perigo. Com o desenrolar do tempo, a equipa do norte do país tornou-se mais pressionante e ia sufocando a turma madeirense, mas o Marítimo não desarmava na sua concentrada exibição.

O Rio Ave foi pressionando, subindo as linhas, dominando a posse de bola e o Marítimo só atacava em contra-ataque, mas o certo é que os ataques dos homens, esta tarde, vestidos de amarelo não representavam grande ameaça para a baliza “verde-rubra”. Isto até que Guga Rodrigues sacou um “tiro” do seu pé direito e só a trave (e alguma sorte) impediu o empate vila-condense. Aos 89 minutos, Ivo Pinto caiu na área adversária e o VAR teve que intervir novamente, todavia com o mesmo desfecho do que da primeira vez.

A formação visitante bem procurou o golo do empate, porém sem grande êxito, visto que o Marítimo esteve impecável a defender. Os dados estatísticos dizem bem aquilo que foi o desenrolar da partida: um Marítimo em força até marcar o golo, mas que depois disso geriu em termos defensivos e tentou matar o jogo em contra-ataque.

 

A FIGURA

CS Marítimo
Fonte: CS Marítimo

Solidez defensiva do Marítimo – Ao contrário de outras partidas, a defesa do Marítimo foi uma mais-valia para vencer esta partida. Apesar da equipa ter recuado demasiado no terreno após o golo marcado, a verdade é que a concentração da equipa foi fundamental para conquistar estes importantes três pontos.

 

O FORA DE JOGO

Falta de eficácia ofensiva do Rio Ave FC – Ao nível da produção de jogo, o Rio Ave esteve com nota satisfatória. O que “tramou” a equipa foi entrar algo nervosa. No entanto, o setor ofensivo tem sofrido algumas fases menos boas durante a época. Hoje, no Funchal, não houve nem Gelson Dala (suspenso), nem André Pereira (lesionado), portanto a escolha recaiu sobre Ronan David e Júnior Brandão (suplente utilizado) para a posição de número ´9´. Contudo, nenhum dos dois foi capaz de dar as valências necessárias à equipa no momento da finalização. Aliando isto ainda à falta de inspiração de Carlos Mané e Chico Geraldes. Mas isso é, também, mérito dos homens do “maior das ilhas”.

 

ANÁLISE TÁTICA – CS MARÍTIMO

Julio Velázquez fez quatro alterações no onze que perdeu frente à B SAD: Lucas Áfrico, Karo, Hermes e Irmer, introduzindo Leo Andrade, Zainadine (regressado de lesão), Fábio China e ainda Rafik Guitane.

Assim, o técnico espanhol do Marítimo enviou para o terreno de jogo Amir “Seguro” Abedzadeh na baliza, com uma defesa a quatro à sua frente: Claúdio Winck na direita, Zainadine e Leo Andrade ao centro e Fábio China na esquerda. Um duplo pivot, composto por Pedro Pelágio e René Santos (ambos aniversariantes), ao passo que Edgar Costa, Rafik Guitane e Joel Tagueu compuseram a linha de três homens atrás do ponta de lança iraniano Alipour, constituindo assim, o sistema de 4-2-3-1.

Com as mudanças ofensivas do adversário, Júlio Velázquez quis reforçar o meio-campo e fez entrar Bambock para o lugar do lesionado (e aniversariante) Pedro Pelágio. Jorge Correa entrou para refrescar as alas ´verde-rubras´ e Rodrigo Pinho foi a jogo para disponibilizar uma lufada de ar fresco ao ataque dos locais, rendendo o esgotado Joel Tagueu. A partir de então o Marítimo passou a jogar em 4-4-1-1.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Amir Abedzadeh (5)

Claúdio Winck (6)

Zainadine (SC) (7)

Leo Andrade (7)

Fábio China (6)

René Santos (5)

Pedro Pelágio (5)

Rafik Guitane (7)

Edgar Costa © (4)

Joel Tagueu (7)

Alipour (6)

SUBS UTILIZADOS

Jorge Correa (2)

Rodrigo Pinho (2)

Franck Bambock (4)

Jean Irmer (-)

Rúben Macedo (-)

ANÁLISE TÁTICA – RIO AVE FC

Para o jogo frente aos ´verde-rubros´, Miguel Cardoso, também a precisar de pontos, optou por um 4-3-3. Um quarteto defensivo composto por Ivo Pinto, Borevkovic, Anderlan Santos e o internacional português Fábio Coentrão. No meio-campo, o experiente capitão Tarantini foi o responsável por iniciar a fase de construção do ´seu´ Rio Ave, com Guga Rodrigues e Pelé mais libertos à sua frente. Chico Geraldes e Carlos Mané foram as setas apontadas à baliza de Amir, com Ronan David a tentar importunar os centrais maritimistas.

Ao intervalo, no balneário, ficou o médio Pelé e Rui Santos, adjunto e substituto de Miguel Cardoso que está suspenso, fez entrar o extremo angolano Anderson Cruz, posicionando a equipa em 4-2-3-1, com Chico Geraldes a ocupar os terrenos centrais mais ofensivos.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Kieszek (6)

Ivo Pinto (3)

Borevkovic (5)

Anderlan Santos (5)

Fábio Coentrão (SC) (3)

Tarantini © (4)

Guga Rodrigues (6)

Pelé (4)

Carlos Mané (3)

Chico Geraldes (5)

Ronan David (2)

SUBS UTILIZADOS

Anderson Cruz (3)

Júnior Brandão (2)

Sávio Alves (2)

Meshino (-)

Gabrielzinho (-)

BNR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CS Marítimo

Não foram colocadas questões ao treinador do CS Marítimo, Julio Velasquez.

 

Rio Ave FC

Não foram colocadas questão ao treinador do Rio Ave FC, Rui Santos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome