A CRÓNICA: DÉRBI MINHOTO COM SABOR A REVIRAVOLTA FOI SERVIDO PELO CHEF EDWARDS 

É também considerado um dérbi do Minho. À oitava ronda da Primeira Liga, FC Famalicão e Vitória SC encontraram-se no Estádio Municipal 22 de Junho para um grande duelo entre equipas que não começaram o campeonato da forma que, certamente, ambicionavam. Um ponto, igualmente, a destacar sobre este encontro está relacionado com a equipa de arbitragem que, à exceção do quarto árbitro (David Silva), foi composta por árbitros de nacionalidade francesa.

Anúncio Publicitário

Quem entrou melhor neste duelo foi o FC Famalicão. Desde início a aplicar pressão nos vimaranenses, a equipa da casa não precisou de muito tempo até inaugurar o marcador. Simón Banza levou de vencida no duelo com o defesa do Vitória SC, já dentro de área, e restou-lhe apenas, inserir a bola no fundo da baliza de Bruno Varela, ao virar para o quinto minuto do jogo.

A primeira grande jogada de perigo do Vitória SC surgiu pouco antes dos dez minutos, depois de uma perdida de bola em “zona proibida” por parte dos famalicenses, onde Marcus Edwards bem tentou assistir Estupiñan, mas Luiz Júnior cresceu no meio dos postes.

Com o jogo a virar em prol dos conquistadores, o empate veio ao de cima. Tiago Silva bateu o pontapé livre à entrada da área e Estupiñan redimiu-se, cabeceando totalmente sozinho entre a defesa famalicense. Estava feito o empate aos 34 minutos.

Se a primeira parte começou favorável ao FC Famalicão, a segunda já foi do deleite do Vitoria SC. Foram necessários pouco mais de dez minutos para Marcus Edwards para colocar os conquistadores em vantagem no Estádio Municipal 22 de Junho.

O restante decorrer do jogo demonstrou “as águas a mudar” pois, no seguimento das alterações elaboradas pelos técnicos de ambas as formações, foi o FC Famalicão que pareceu beneficiar das suas substituições, passando a pressionar muito mais os vimaranenses. Parecia o presságio do que se viria a suceder, com Charles Pickel a rematar para o fundo da baliza de Bruno Varela a apenas cinco minutos do fim do tempo regulamentar, mas o árbitro Thomas Leonard, depois de consultar o vídeo-arbitro, anulou o golo por posição irregular.

Terminou, desta forma, o dérbi minhoto, com direito a remontada e vitória do Vitória SC por 2-1 sobre o FC Famalicão.

 

A FIGURA

Fonte: Sebastião Rôxo / Bola na Rede

Marcus Edwards (Vitória SC) – Jogar com Marcus Edwrads é saber que se tem na equipa um elemento-chave para a construção de jogo e critério no último terço do terreno. Foi o homem que deu a vitória aos conquistadores, com o todo o mérito da sua exibição (principalmente na segunda metade).

Nota também para Heriberto Tavares, do lado do Famalicão, que veio mudar completamente o rumo do jogo e os minutos da sua exibição culminaram no segundo golo da equipa caseira, que acabou invalidado. As substituições de Ivo Vieira pareceram as mais acertadas, mudando algo do ritmo do jogo, mas a entrada de Heriberto foi fulcral para a construção de jogo famalicense.

 

O FORA DE JOGO

Falaye Sacko (Vitória SC) – Acabou substituído ao intervalo, mas a sua presença no terreno de jogo durante a primeira parte já fazia adivinhar esse mesmo cenário. Foi pouco consistente e esteve também algo desaparecido no decorrer dos 45 minutos em que alinhou.

 

ANÁLISE TÁTICA – FC FAMALICÃO

Com Alexandre Penetra de fora deste encontro depois de ter sido advertido com cartão vermelho no último encontro do FC Famalicão, Ivo Vieira viu-se obrigado a modificar a sua equipa para este duelo frente ao Vitória SC.

Apostou no mesmo 4-2-3-1, mas as novidades entraram no terreno. Luiz Júnior voltou a assumir a guarda dos postes, rendendo a ausência de Dalberson. Na defesa, Batubinsika entrou para colmatar a lacuna, continuando Alex Nascimento, Marín e Figueiras a compor o restante setor.

David Tavares foi chamado à titularidade, junto a Ivo Rodrigues e Iván Jaime na frente do meio-campo, com Pêpê e Charles Pickel a garantirem a primeira linha do setor. Na frente restava Simon Banza, o ponta de lança já habitual do Famalicão.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Luiz Júnior (6)

Adrián Marin (5)

Batubinsika (5)

Alex Nascimento (5)

Diogo Figueiras (5)

Pêpê (6)

Charles Pickel (5)

Iván Jaime (6)

David Tavares (5)

Ivo Rodrigues (5)

Simon Banza (6) 

SUBS UTILIZADOS

Marcos Paulo (6)

Bruno Rodrigues (6)

Heriberto Tavares (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – VITÓRIA SC

À semelhança de Ivo Vieira, Pepa também elaborou algumas alterações ao seu onze inicial, comparativamente ao último encontro do Vitória SC, apesar de manter o 4-3-3.

Bruno Varela voltou à baliza dos conquistadores, no lugar de Trmal. Destaca-se a inserção de Handel no meio-campo vimaranense, rendendo Alfa Semedo, e a entrada de Rochinha a titular.

A dinâmica de jogo do Vitória SC permaneceu a mesma que Pepa sempre apresentou, com Marcus Edwards e Rochinha nas alas e André André na primeira linha do meio-campo.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Bruno Varela (6)

Falaye Sacko (4)

Borevkovic (6)

Abdul Mumin (5)

Rafa Soares (5)

André André (5)

Handel (6)

Tiago Silva (6)

Marcus Edwards (7)

Rochinha (6)

Oscar Estupinan (6) 

SUBS UTILIZADOS 

João Ferreira (5)

Ricardo Quaresma (6)

Alfa Semedo (5)

André Almeida (6)

Nicolas Janvier (5)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome