Anterior1 de 4Próximo

O FC Porto venceu o SC Braga por 1-0 no jogo grande da jornada dez. Numa partida equilibrada e com várias ocasiões desperdiçadas, valeu Soares para desfazer a igualdade no encontro e no topo da classificação. Os dragões são líderes isolados.

Casa cheia no Dragão para o jogo da jornada: frente a frente os dois líderes da tabela, num duelo pela liderança isolada. Do lado azul e branco, Casillas, Felipe e Alex Telles são os três totalistas em jogos a contar para o campeonato e, em relação ao encontro da Liga dos Campeões, frente ao Lokomotiv, Soares voltou à titularidade para o lugar de Herrera. Já no SC Braga, Abel apenas promoveu uma alteração em relação em embate com o Vitória Futebol Clube, deixando Fábio Martins no banco e fazendo alinhar Ricardo Horta. Ambos com 21 pontos à entrada para esta ronda, dragões e guerreiros distinguiam-se pela forma como perderam os seis pontos até ao momento, com duas derrotas para o FC Porto e três empates registados pelos minhotos.

Com ambiente de clássico nas bancadas, foi o FC Porto a protagonizar a primeira aproximação à baliza adversária, por intermédio de Óliver. Aos cinco minutos, o grande destaque da equipa nos últimos jogos testou a pontaria, com um remate que acabou por sair por cima da baliza de Tiago Sá. O SC Braga entrou sem receio na partida e disposto a dividir o jogo no Dragão e, aos 19 minutos, conseguiu o primeiro remate enquadrado do encontro, com Paulinho a desviar para as mãos de Casillas.

O Dragão já se preparava para gritar golo quando Óliver serviu Maxi Pereira, aos 22’, mas o remate forte do uruguaio não foi suficiente para bater Tiago Sá, que com uma defesa apertada segurou o nulo. Sem querer deixar o lance sem resposta, Dyego Sousa apareceu solto na área e deixou o público em suspenso, mas o cabeceamento ao lado após cruzamento de Sequeira voltou a devolver o fôlego aos adeptos portistas que encheram as bancadas do recinto.

Brahimi teve nos pés talvez a melhor ocasião do primeiro tempo, mas Tiago Sá voltou a agigantar-se entre os postes. O cruzamento foi de Corona, Marega deixou passar para o argelino que, apesar do remate forte, viu o guarda-redes do Braga negar novamente o golo. Casillas também teve tempo para uma boa defesa, a remate de Esgaio.

Jogo muito divido até ao final
Fonte: Bola na Rede

A segunda parte começou com maior ascendente azul e branco, ao assegurar mais posse de bola no meio campo adversário, mas foram os visitantes a fazer tremer a barra da baliza de Casillas e as cerca de 48.000 pessoas presentes. Aos 56 minutos Esgaio apareceu novamente com perigo e, com um remate forte, atirou à trave. Por pouco o SC Braga não desbloqueava o marcador.

E se no futebol os erros por vezes se pagam caros, Bruno Viana pode agradecer à falta de crença de Marega pelo facto de a sua falha não ter dado o primeiro da partida. O maliano, solto de marcação em frente à baliza, demorou um segundo a mais a assimilar a chegada da bola e permitiu que Bruno Viana se redimisse e aparecesse a tempo para limpar um lance que, mais uma vez, levava carimbo de golo. Do banco, a primeira substituição de Sérgio Conceição dava um sinal claro de aposta no ataque: Maxi Pereira saiu para o lugar de Otávio aos 62 minutos.

E num duelo de ocasiões, FC Porto e SC Braga iam desperdiçando as oportunidades de perigo. Um lance de envolvência do ataque azul e branco terminou com a falta de acerto de Soares, que não conseguiu o desvio. Na resposta, a formação de Abel Ferreira voltou a acertar na barra, desta vez após um remate potente de Fransérgio.

Nos últimos dez minutos os dragões tomaram conta do meio campo adversário e o público fez a sua parte ao puxar pela equipa. O certo, é que funcionou. Aos 88 minutos apareceu Tiquinho para fazer o que faltava. Cruzamento com conta, peso e medida de Otávio e Soares, à ponta de lança, a não desperdiçar. O Dragão explodiu, estava feito o 1-0.

Num duelo equilibrado e marcado pelas ocasiões desperdiçadas, o único golo acabou por surgir já perto do minuto 90 e não deixou ao SC Braga tempo de resposta. Soares desbloqueou as duas igualdades entre as equipas, tanto no jogo como no topo da classificação, e aqueceu a noite dos presentes no Dragão. Frente a um dos candidatos ao título, o FC Porto conseguiu uma vitória importante e os três pontos que permitem aumentar distâncias na frente. Já o SC Braga, registou a primeira derrota na prova.

Onze inicial FC Porto: Casillas, Maxi Pereira (Otávio, 62’), Éder Militão, Felipe, Alex Telles, Danilo, Óliver Torres (Hernâni, 83’), Corona, Brahimi (Herrera, 71’), Marega e Soares

Onze inicial SC Braga: Tiago Sá; Marcelo Goiano (Fábio Martins, 90’), Bruno Viana, Pablo e Sequeira; Esgaio, Fransérgio, Claudemir e Ricardo Horta (Wilson Eduardo, 82’); Paulinho (Palhinha, 78’) e Dyego Sousa

Anterior1 de 4Próximo

Comentários