O jogo mais esperado da semana, que opôs o FC Porto ao Sporting CP, realizou-se no Estádio do Dragão. Por um lado, esta partida para os dragões tinha um peso especial, já que podia marcar a conquista do 29.º campeonato para os portistas, por outro lado para os leoninos também tinha um cunho diferente, visto que já era curiosidade de muitos ver como os verdes e brancos se comportavam num desafio com outra exigência.

Ambas as formações entraram no terreno de jogo com o intuito de impor o seu ritmo e a sua dinâmica, pelo que assistimos a um início de partida bastante entretido. Sinal disso foi logo a primeira ameaça por Sporar, que acabou por ser anulado. No entanto, o FC Porto não se deixou acanhar e também quis mostrar o porquê de liderar a liga e, por isso, através de Luís Diaz, teve uma grande oportunidade nos seus pés, após uma excelente jogada de laboratório. Por conseguinte, num jogo caraterizado pelo equilíbrio, os pupilos de Sérgio Conceição conquistaram alguma superioridade no encontro, motivo pelo qual Otávio provocou a atenção de Max. Porém, a equipa leonina reagiu e tentou assustar o FC Porto, primeiro através de um canto e depois pela marcação de um livre direto, ambos por Jovane, quem mais?

A segunda parte começou com o ritmo elevado, outra vez, mas com menos oportunidades de golo. Num jogo que estava a ficar um pouco entediante, foi Fábio Vieira que o fez despertar novamente com um remate certeiro na barra da baliza do Sporting CP. No minuto a seguir, Danilo inaugura o marcador a favor dos homens da casa, através de um golpe de cabeça, somando o seu segundo tento no campeonato.

Anúncio Publicitário

Apesar do golo sofrido, os “meninos” de Ruben Amorim não consentiram a desvantagem e foram à procura do empate, facto que levou Sérgio Conceição a mostrar o seu desagrado. O “timoneiro” do emblema da invicta pedia mais posse e mais controlo e por isso não demorou a colocar em campo “Vitinha”, para dar uma maior qualidade à gestão da bola. A substituição parece ter surtido o efeito pretendido, algo que desagradou o técnico do Sporting CP, que não perdeu tempo a fazer uma dupla substituição com Joelson e Tiago Tomás, com o intuito de agitar um pouco a partida.

Tal como Sérgio Conceição, Ruben Amorim também conseguiu espelhar para o relvado o seu pensamento, uma vez que a sua equipa encarou os últimos minutos com uma outra frescura, muito devido ao irrequieto Joelson, que fez com que os dragões recorressem ao banco, nomeadamente a Diogo Leite e a João Mário para estancar um pouco o atrevimento do Sporting CP. Por fim, foi o FC Porto a dilatar o resultado por Marega, que assim fechou as contas do jogo.

A FIGURA
Fonte: FC Porto

Fábio Vieira – Cada minuto somado por parte do jovem médio é só mais uma certeza do seu talento e do futuro promissor que o faz esperar no mundo do futebol. Dono de um pé esquerdo predestinado, o internacional jovem por Portugal sabe como gerir os ritmos da partida e o momento exato em que tem de libertar a bola. Além disso, não descura no momento defensivo, pressionando sempre os seus adversários na saída de bola e apoiando devidamente o lateral do seu corredor. Sem dúvida nenhuma que tem sido um dos jogadores mais do FC Porto nesta retoma.

O FORA DE JOGO
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Stefan Ristovski – O lateral macedónio até deu boas indicações aquando da sua contratação, mas época após época não se tem conseguido afirmar na ala direita leonina. Aliás, ultimamente até se tem destacado mais pelas suas debilidades do que propriamente pelas suas qualidades. De facto, é uma das posições que os dirigentes leoninos tentarão encontrar uma alternativa mais válida para o esquema tático de Ruben Amorim.

Análise Tática – FC Porto

Devido às suspensões resultantes da partida com o CD Tondela, Sérgio Conceição foi obrigado a mexer na estrutura que tinha vindo a apresentar nas últimas partidas, desta forma há que destacar as titularidades de Loum, Danilo, Luís Díaz e Fábio Vieira. Algo que não abalou a raça e a vontade de ganhar dos azuis e brancos, que entraram de uma forma personalizada sempre à procura do golo que desse uma outra tranquilidade. De realçar a dupla a meio campo que soube muito bem controlar o confronto no miolo com os seus opositores, algo que permitiu sempre ter a equipa dos leões controlada. Sempre seguros no momento defensivo, como o habitual, hoje parece ter aparecido um novo FC Porto a atacar, ou seja, com uma maior tranquilidade e criatividade, algo que nem sempre foi visto esta época. Isto é, o campeonato foi consagrado numa vitória à campeão.

11 Inicial e Pontuações:

Marchesín (7)

Manafá (7)

Mbemba (8)

Pepe (7)

Alex Telles (7)

Danilo (7)

Loum (7)

Fábio Vieira (8)

Otávio (8)

Luís Díaz (7)

Marega (7)

SUBS UTILIZADOS:

Vitinha (7)

João Mário ()

Diogo Leite ()

Romário Baró ()

Análise Tática – Sporting CP

Ruben Amorim avisou na antevisão que a sua equipa iria tentar ao máximo dificultar o objetivo do FC Porto e a entrada em campo mostrou bem isso, ou seja, a formação leonina entrou no relvado sem querer apenas remeter-se ao momento defensivo e realizaram alguns momentos de bom futebol. Porém, notou-se ainda alguma imaturidade e precipitação na definição de alguns lances, assim como foi evidente a falta de acompanhamento dada a Sporar, que pouco conseguiu fazer contra uma defesa eficaz dos dragões. Destaque para a boa entrada de Joelson, que promete ser um caso sério, assim como a equipa verde e branca, que apesar de não estar no ponto promete uma outro luta para a próxima época.

11 Inicial e Pontuações

Max (6)

Eduardo Quaresma (7)

Coates (7)

Borja (7)

Ristovski (6)

Wendel (7)

Matheus (6)

Nuno Mendes (7)

Plata (6)

Jovane (7)

Sporar (6)

SUBS UTILIZADOS:

Francisco Geraldes (6)

Camacho ()

Tiago Tomás ()

Joelson (7)

Foto de Capa: FC Porto

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

Comentários